Espaço de encontro, “tertúlia” espontânea, “diz-que-disse”, fofoquice pegada, críticas e louvores, ..., é uma zona nobre da cidade, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre "tudo e nada".

30
Jul 10
Morreu António Feio...
A "interpretação" mais difícil da sua carreira de actor durou um ano. Ontem, o pano caiu.
O teatro ficou mais pobre. Muito mais, já que António Feio é um dos responsáveis pelo regresso do público aos teatros. Por exemplo, pelo meu regresso.
Para quem sempre procurou (e consegui) fazer os portugueses, a sua última "actuação" deixa muitos de nós profundamente tristes.
Decididamente... a vida é uma "treta"!

(créditos fotográficos: Campiso Rocha para a Caras)
publicado por mparaujo às 16:34

25
Jul 10
Tal como na política, também na vida...
Para já, tudo em banhos... mas, demagogicamente, com "style".


O Rei Neptuno....

publicado por mparaujo às 22:08

Há coisas que nunca mudam...
Pode mudar muita coisa na vida de uma pessoa, mas há sempre algo (hábitos) que serão eternos.
Mesmo que em outras paragens, um fino dê pelo nome de imperial (embora a cerveja seja sagres).
A trilogia caseira... água para a "senhora", icetea para a "pirralha" e a "jola" imprescindível no verão (e no resto do ano) para mim, claro.

Nota: ainda dura a T-Shirt Twitteira do Leitão2010...
publicado por mparaujo às 22:03

21
Jul 10

Fonte: sic on-line

* Actualização
Criam a confusão, apresentam e aprovam a legislação, aparecem as contestações (óbvias e válidas), são recusadas/chumbadas propostas...
E agora vem alguém dizer: "Governo deve avaliar cobrança de portagens" - curiosamente uma ex-secretária de estado das obras públicas e transportes e actual deputada do PS. (fonte: JN on-line)
A trapalhada aumentou de dimensão...

publicado por mparaujo às 19:39

Por estas alturas...
Por estas bandas...
Armação de Pêra - Concelho de Silves - Distrito de Faro - Região: Algarve/Portugal

publicado por mparaujo às 16:38

15
Jul 10
Publicado na edição de hoje, 15 de Julho, do Diário de Aveiro.

Cheira a Maresia!
Esclarecer equívocos!


Durante estes quatro anos de “ditos e escritos” nas páginas do Diário de Aveiro, com mais ou menos regularidade, em função da “inspiração”, “transpiração” e disponibilidade temporal, nunca pretendi criar qualquer tipo de “diálogo” com outras personalidades que vão manifestando aqui o seu direito à opinião e à livre expressão.
Mas como há sempre uma primeira vez para tudo (ou quase tudo), importa esclarecer o que me pareceram alguns equívocos transmitidos nos primeiros parágrafos do artigo de opinião de Domingos Cerqueira, com o título “O Beira Mar, um clube da nossa terra. Fundamentalismos e extremismos”, e publicado na edição deste jornal do dia 13 de Julho.
Apenas pretendo esclarecer alguns pontos que se referem à minha pessoa, sem entrar em qualquer tipo de controvérsia ou discussão com Domingos Cerqueira, que me conhece há cerca de 40 anos (pouco depois de eu deixar as fraldas). Muito menos tecer qualquer comentário em relação ao seu artigo.
Comecemos pelas primeiras linhas.
Nunca nestes quatro anos de ligação com o Diário de Aveiro, no meu blogue (desde 2005) ou nas redes sociais que frequento (Twitter e Facebook) usei a minha qualidade profissional e a de funcionário municipal para me exprimir. Nunca nos meus artigos foi feita alguma referência directa, positiva ou negativa, à actuação desta Câmara ou dos executivos que a precederam. Nunca o “elemento do gabinete de imprensa da Câmara Municipal de Aveiro, Miguel Araújo” escreveu uma única palavra neste jornal, no blogue “debaixo dos arcos”, no twitter ou facebook pessoais. Nunca o fez, nem nunca o fará nessa qualidade.
Como aparece referenciado junto à fotografia, os textos são da responsabilidade do cidadão aveirense (cagaréu de gema, já agora) Miguel Araújo, colaborador ou lic. ciências da comunicação (depende da vontade editorial). Tão só.
Além deste aspecto, importa ainda referir que o meu artigo em causa a que se refere Domingos Cerqueira foi, por lapso e lamentavelmente, repetido, totalmente fora de contexto e a despropósito (como refere uma nota da redacção do Diário de Aveiro na publicação do artigo correcto dessa semana, no sábado seguinte – dia 26 de Junho). É que o artigo que deu lugar (e ainda bem) a “espevitar a vontade” de Domingos Cerqueira escrever sobre o ‘seu’ Beira Mar, foi escrito e publicado em 5 de Novembro de 2009, sete meses antes.
E convém ainda referir que o mesmo não teve nada a ver com o Clube ou Instituição Beira Mar em si, mas sim com alguma discussão que se fazia sentir na altura, nomeadamente na blogoesfera e na comunicação social local, face a “fantasmas” de “extinção do clube” ou de “fecho de portas”. Artigo, aliás, criticado por uns, elogiado por outros. Como na vida, gostos não se discutem e cada cabeça sua sentença.
Por último importa ainda esclarecer que, na minha modesta e questionável opinião, a condição de associado de um clube (associação ou instituição) faculta ao sócio, entre outros, o direito de eleger, ser eleito, votar e aprovar, beneficiar de condições especiais. Não me parece, salvo melhor e respeitoso parecer, que essa condição de sócio signifique ser melhor ou pior beiramarense ou que impeça qualquer tipo de expressão de opinião. Tal como não significa que não se possa falar sobre política, sem pertencer a um qualquer partido político, ou para falar sobre Aveiro se tenha de ter a condição de vereador ou deputado municipal.
Terminando, refiro apenas que em várias ocasiões e anos servi o clube como treinador de basquetebol (terminando, em 2008, a minha muito modesta carreira de 17 anos, precisamente ao serviço do Beira Mar).
Esclarecidos, espero eu.

publicado por mparaujo às 13:47

08
Jul 10
O Rádio Clube Português encerra portas no próximo domingo.
A história da rádio e da própria comunicação social não resistiu aos novos tempos e realidades comunicacionais.
Mas será este o melhor futuro da comunicação?!
Será consistente a nova realidade?!

Mais um desmoronar da escola do jornalismo nacional... 79 anos "por água abaixo"!
publicado por mparaujo às 18:45

06
Jul 10
6 de Julho de 2000 - 22:20 horas
Nascia o rebento cá de casa.

10 anos volvidos, a Sara não pára de crescer, para alegria colectiva.
Pais Babados...
publicado por mparaujo às 11:23

O imaginário infantil de várias gerações tem, como referência literária, a escritora Matilde Rosa Araújo.
Matilde Rosa Araújo faleceu hoje, terça-feira, 6 de Julho, aos 89 anos.

Destacou-se na literatura infantil. e na defesa dos direitos das crianças.

Resumidamente:
- galardoada com o o prémio para o melhor livro para a Infância em e atribuído pela Fundação Calouste Gulbenkian;
- Grande Prémio de Literatura para Criança da Fundação Calouste Gulbenkian, em 1980;
- prémio para o melhor livro estrangeiro, com "O Palhaço Verde", atribuído pela associação Paulista de Críticos de Arte de São Paulo, Brasil, em 1991;
- grau de Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique, em 2004.
publicado por mparaujo às 10:43

05
Jul 10
É que de repente, em Portugal, a maioria dos cidadãos é tomada como estúpida, burro, analfabeta, vulnerável e influenciável.
Embora na altura do dever eleitoral, assim o faça lembrar.

O Governo e José Sócrates ainda não perceberam que é mais aceitável e compreensível o reconhecimento da realidade e dos factos, e tentar encontrar soluções, do que andar constantemente num discurso de "banha da cobra" que já não convence ninguém (as recentes sondagens já o demonstram).

Em Maio o desemprego chegou aos 11% (dados do Eurostat: 10,9% - fonte TSF)

O Primeiro Ministro continua a retratar e a pintar um país e uma realidade diferentes. Infelizmente longe da verdade.

Mesmo que venha afirmar que existem sinais de que o crescimento do desemprego abrandou.
Ou que espera que neste Verão se registe um aumento do número de empregados.
Esquecendo, por conveniência e demagogia política, o factor sazonalidade.

(actualização)
Como se os factos apresentados não bastassem para alertar os mais cépticos e distraídos, segundo fonte divulgada pela TSF, foram declaradas insolventes 1840 empresas nos primeiros seis meses de 2010, mais 2,5 por cento que no mesmo período de 2009.
É esta a retoma económica e o apoio às PME's?!
publicado por mparaujo às 23:09

04
Jul 10
Como são escassas as notícias, não há nada de relevante nem de preocupante no país ou no mundo...
E como procurar informação custa...

Eis as notícias mais importantes no dia de hoje - 2 de Julho de 2010:

1 - Cristiano Ronaldo comunicou que foi pai recentemente (via facebook).

2 - Fátima Lopes abandona a SIC.

3 - João Moutinho troca Sporting pelo Porto, por 11 milhões de euros.

Assim vai o País e o Mundo.
publicado por mparaujo às 15:34

Publicado na edição de hoje, 4 de Julho, do Diário de Aveiro.

Cheira a Maresia!
Pagar ou não pagar… eis a trapalhada!

A semana foi indiscutivelmente marcada pelo tema da agenda mediática e política: a trapalhada em que se encontra o processo das novas portagens nas SCUT. Mais do que a polémica do afastamento da selecção do mundial 2010 ou da declaração do Presidente da República sobre a insustentabilidade do país, mesmo que poucos o tenham ouvido, infelizmente.
Comecemos pela questão da justiça social da aplicação das novas portagens, provocada pela não universalidade da medida política (mais que económica).
Quando todos os dados e números indicam que o Norte (cerca de 4 milhões de portugueses) se está a tornar, dia após dia, numa região sem emprego, cada vez mais empobrecida, isolada, assimétrica, com o crescente número de empresas encerradas e consequentes causas sociais e económicas, eis que o Governo se lembra de penalizar cidadãos, famílias, tecido empresarial, à custa da fundamentação do esforço colectivo de combate à crise, que nada tem de conjunto e universal. A questão que se coloca é: então e os outros?!
Mas a desarticulação, a incoerência, o desastre desta medida não fica por aqui. À parte das questões de acordos e desacordos, como se explica que Aveiro tenha uma via de cintura interna (eixos de acessibilidade fundamentalmente urbanos) taxada por uma portagem?!
Porque é que não colocam um pórtico no acesso à 2ª circular para que, num claro esforço colectivo de combate à crise, os benfiquistas e sportinguistas paguem, para ir à Luz ou a Alvalade, os mesmos 50 cêntimos que os aveirenses pagam para ter acesso ao estádio municipal?!
Porque não taxam o IC19 ou o acesso ao aeroporto Sá Carneiro?!
E no caso de Aveiro, o processo revela-se um conjunto de medidas sem nexo, sem consistência ou coerência.
Com avanços e recuos, anúncios e desmentidos, o último dado indicava que os municípios que se encontravam abaixo do índice 100 do valor do poder de compra do cidadão (por exemplo Ilhavo, Albergaria-a-Velha ou Águeda) estavam isentos. Ou seja: os ricos destes concelhos circulam “livremente”, enquanto que os pobres de Aveiro têm que pagar.
Além disso, convém relembrar uma parte da cronologia do processo. O percurso entre a Ponte da Barra e o acesso a Angeja é o mesmo de há 15 ou 20 anos atrás, desde o IP5. Não sofreu qualquer melhoramento (salvo a zona envolvente ao Estádio, devido aos acessos), apenas a sua denominação. Ao tempo que, através dos nossos impostos e das empresas aqui sediadas, já está paga esta via de acesso urbano.
Pede-se, apenas, ao governo que seja honesto, justo, coerente. Que tenha a humildade e a coragem política de rever, repensar esta trapalhada e injustiça, aqui sim, colectiva.
Acresce a cereja em cima do bolo: o processo de pagamento.
Quatro modalidades: via verde, chip (agora não obrigatório), pré-pago e pós-pago. Pensemos neste último caso.
Imagine um cidadão que, num ano, passa uma única vez pelo pórtico a sul de Esgueira para ir assistir a um jogo no estádio Municipal. Passa pelo pórtico, sem chip, sem via verde e sem a opção pré-pago. Foi-lhe registado um custo de 50 cêntimos. Passada uma semana recebe o aviso de pagamento. Entre o papel, o tempo do funcionário e o selo, para o Estado é maior a despesa que a receita. Valerá a teimosia política dos 50 cêntimos ou fica mais barata a isenção lógica e evidente?!
Mas também não sou a favor dos dramatismos, dos abanões ou das rebarbadoras (mesmo que, neste caso, alguém se tenha esquecido que, há um ano atrás, afirmasse a pés juntos que os pórticos serviam para contagens de tráfego ou controlo de velocidade). É preciso “influenciar” os deputados eleitos por Aveiro à Assembleia da República para defenderem os interesses do seu ciclo eleitoral, porque é naquele espaço que se tomam as decisões.
Há outras medidas para combater a crise, sem provocar crise, e mais eficientes.

Nota: com dedicatória a um “ilustre” amigo.
publicado por mparaujo às 11:29

03
Jul 10
O primeiro evento RT Action foi realizado, ontem, dia 2 de Julho, no Restaurante Oliva.
O objectivo consistia tão só num simples gesto de solidariedade nestes tempos difíceis: o apoio à Associação "Ajuda de Berço".Os 82 participantes no evento limitaram-se a comparecer no jantar convívio e em "oferecer" um donativo (em espécie) de uma lista divulgada no site oficial da RT Action.Além disso, a iniciativa contou com os seguintes sponsors do evento:Grupo Jerónimo Martins, Albino Vieira Filhos Lda, Global Santé Portugal, TB Store, Loja dos Pins, Jornal O Verdadeiro Olhar.
O "Debaixo dos Arcos" é, por todas as razões, um partner do projecto.
Organização RT Action: Luis Lopes, Paula Pico, Joana Sousa, Ricardo Batista. Excelente. PARABÉNS!
Aguarda-se anciosamente uma edição em Aveiro.
O RTAction tem, nesta data, a projecção e presença nas redes sociais: Twitter (350 followers), Facebook (1300 fãs), blogs (10), Jornais (3) e sites(2).

RTAction: Identidade - Grupo de amigos e utilizadores do Twitter e Facebook que se junta para o convívio e para a promoção de acções de solidariedade social, sem qualquer fim lucrativo.
3 dos 4 RTAction "himself": Luis Lopes - Paula Pico - Joana Sousa (Ricky escondido).

Acolhimento à porta do "Oliva".

O Jantar convívio

O "certificado de presença"

Alguns dos muitos donativos recolhidos.

"Ilustre" amigo - Pedro Aniceto

"Ilustre" amiga - Alberta Marques Fernandes (sem os 'frangos' - eh eh eh)
publicado por mparaujo às 21:04






O Diário de Aveiro faz (fez) 25 anos de existência.
Um quarto de século a acompanhar e a intervir no desenvolvimento da região de Aveiro.
E nestes 25 anos muito mudou na sociedade e no jornalismo.
Mas o Diário de Aveiro soube marcar presença, impor-se, ser referência.
Será tema a retomar...

Mas para já: PARABÉNS A TODOS VOCÊS...
Pessoalmente e com amizade ao Ivan, ao Francisco, ao Zé Manel, à Cristina, ao Rui, ao Peixinho, à Sandra, à Carla, à Sofia, ao Sampaio, ao Ventura, ao Paulo e ao Pina, ao Araújo, ao Ivo, à Liliana, e a mais alguém que, sem querer, me possa ter esquecido.

publicado por mparaujo às 13:14

pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


mais sobre mim
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
16
17

18
19
20
22
23
24

26
27
28
29
31


Visitas aos Arcos
Siga-me
links