17 comentários:
Só vou comentar a primeira pergunta.
Sabe que existe uma grande parte de bombeiros que são voluntários e que trabalham em empresas onde os patrões não os permitem sair do seu local de trabalho para irem socorrer quem mais precisa!
por isso os outros bombeiros devem estar a trabalhar
Carina a 23 de Agosto de 2017 às 09:42

Boa noite...
Sei porque sou de família bombeira e trabalhei com muitos que ficaram, por alterações legislativas, nomeadamente pelo próprio Estado, impedidos de muitas intervenções.
A questão é mesmo essa... é que falam em números que depois não os explicam, nomeadamente a declaração de Marta Soares, perfeitamente intempestivas sobre os números do INE, subindo-os até aos 60 mil, só para sobrevalorizar algo que os portugueses reconhecem inquestionavelmente: o papel salvador do trabalho de qualquer bombeiro.
mparaujo a 24 de Agosto de 2017 às 21:47

Em total acordo.
A questão dos bombeiros é um nó muito Górdio. Voluntários? É um mito, que como todos os mitos não passa de fumarada.
Mas um bombeiro que combate incêndios não é um bombeiro com formação para desencarceramentos, socorro a vitimas, apoios sociais, etc...além da logística e dos madraços que roçam o cu pelos quartéis.
E todos recebem dinheiro. Pouco, muito, algum....
Um bombeiro ou um sapador tem de ser um profissional qualificado, bem pago e reconhecido como profissional.
Até lá, andamos a brincar com a vida das pessoas.
E as Câmaras não fazem o trabalho que a Lei os abriga, ter o mato limpo nas áreas circundantes das aldeias (ou obrigar a que os proprietários a tenham) prevenir...prevenir...prevenir.
carlos arinto a 23 de Agosto de 2017 às 08:17

ENFIM NAO DEVES PERCEBER MESMO NADA DE BOMBEIROS VOLUNTARIOS, EU SOU BOMBEIRA VOLUNTARIA E SEI BEM DO QUE FALO, NAO ANDO A ROÇAR O MEU CU NO QUARTEL E OUTRA OS VOLUNTARIOS EM NADA SAO INFERIOS AOS SAPADORES TA COMO INSINUAS!
Carina a 23 de Agosto de 2017 às 11:14

Carina A.
Escusa de escrever com maiúsculas, que não me assusta nem mete medo!
Onde é que foi insinuado que os voluntários são inferiores aos sapadores? O trabalho faz-se com profissionais e não com voluntários, seja nos incêndios, no tratamento a idosos, no apoio social ou nos acidentes (ocorrências, dizem eles e elas)
A trabalho corresponde pagamento. Foi isso que defendi.
Exige formação e competência. Dedicação e não part-time.
Ser voluntário é muito "giro" mas não resolve os nossos problemas: nossos da sociedade, de todos! O que fazem os voluntários durante todo o ano em que não há incêndios? Podiam ir roçar o mato! Não?
Por último, onde está a logistica? Alimentação, vestuário,camas,assistência funcional e mecãnica, apoios médicos e psicológico!!! que têm de fazer parte de um qualquer e todo o exercito, para que seja eficaz.
Dando a volta chegamos sempre ao mesmo ponto de partida: maus comandos, maus chefes, incompetência organizativa, tomada de poder pelos partidos políticos para fins de coação sobre a sociedade e exploração dos jovens.
Fique bem!
carlos arinto a 23 de Agosto de 2017 às 16:52

não é necessário o insulto para argumentar... por muita razão que tenha e que eu possa subscrever.
mparaujo a 24 de Agosto de 2017 às 21:52

Carlos Arinto
Hoje, a maior parte dos bombeiros, uma parte mesmo grande, tem formação, recebe formação e tem à sua disposição formação, inclusive de nível universitário/politécnico ou pós-graduações (que não exigem pré-licenciatura, como se sabe). Em Aveiro, o ISCIA é disso exemplo.
E os bombeiros recebem mesmo muito mal para arriscar tudo e mais alguma coisa (a própria vida) em favor do outro. Receberem um euro e pouco à hora num combate a um incêndio não me parece ser um valor que dignifique a função.
estamos perfeitamente de acordo quanto à responsabilidade do poder local. Falta fazer muito nessa área.
mparaujo a 24 de Agosto de 2017 às 21:51

MPAraujo,
Concerteza. A mania do "voluntarismo" é uma doença que tem de ser combatida. E os voluntários que recebem remuneração por uma entidade e são voluntários (noutra) nos bombeiros a € 1 e tal á hora...possuem formação? Para levar mangueira ás costas não é preciso formação, argumentar-se-á.
(Um fogo como os deste verão - que continua descontrolado em Oleiros na ocasião em que escrevo - combatido por um bombeiro com uma mangueira...é ridículo e absurdo como todos os técnicos e especialistas reconhecem...)
Depois temos bombeiros feridos - alguns com gravidade - e mortos. Um desastre. Uma calamidade. Levar bombeiros do urbano para o rural é amadorismo e irresponsabilidade (autotanque da amadora capotou na serra para os lados da Sertã....ouço nas noticias)
Um bombeiro e a sua (meritória) actividade não é um sem-abrigo. Quem dirige não podem ser os caciques locais e os partidos politicos.
Enquanto não enfrentarmos os problemas de frente continuaremos nos "ai jasus" e no "nossa senhora nos acuda"
carlos arinto a 25 de Agosto de 2017 às 08:42

Caro Carlos Arinto.
O voluntariado, o "voluntarismo", nada tem de errado, muito pelo contrário mas isso seria outro "rosário".
O facto de existir um conjunto de incidentes, de acidentes e, infelizmente, vítimas, nada tem a ver com falta de formação. Se esta não existisse o número de ocorrências seria exponencial.
Basta aceder ao INE ou à PRODATA para constatar o número de situações anómalas, acidentes, incidentes e vítimas, em actividades profissionais e com especialistas.
mparaujo a 25 de Agosto de 2017 às 21:36

pois , entao, avancemos para as perguntas.

Quanto ao marta soares, por mais surreal, é o sindicalista dos bombeiros. Isto é, ele ou outro naquele lugar, o objetivo é o mesmo. Tal qual os sindicalistas da PSP, para quem os policias sao os bons, e aos quais falta tudo, concretamente dinheiro.

Nao pode esperar-se, sejam 28 pu 60 mil os bombeiros, um bombeiro junto de casa casinha e barraco rural.

quanto á 2 pergunta, todos querem dinheiro, mas só existe uma unica soluçao que pior que o soneto, é surreal : acabar com o verao.
s o s a 22 de Agosto de 2017 às 23:24

1º Os 28000 Bombeiros, são VOLUNTARIOS.
2º não podem ir todos para o mesmo sitio, existe um coordenamento feito por uma entidade central. os quarteis não podem ficar desprotegidos. A logística é feita conforme a necessidade, enquanto uns descansam outros apagam os fogos.
Seia irreal estarem 28mil pessoas a apagar um fogo e depois qd fosse para descansar o fogo estaria 8 horas a "comer mato.

Independentemente das desgraças (infelizmente aconteceram) devemos muito a esses homens e mulheres, que por meia dúzia de trocos e MUITO AMOR à Camisola fazem das tripas coração para ajudar quem não conhecem e para nos proteger a todos!

cp a 22 de Agosto de 2017 às 18:54

CP
A minha observação em relação ao número não é, nem de longe, nem de perto, qualquer crítica, acusação ou ofensa a Um qualquer bombeiro que seja. Logo eu que venho de uma família bombeira. Não tem nada a ver com o papel, empenho, dedicação e o trabalho inquestionável e excelso.
mparaujo a 24 de Agosto de 2017 às 21:55

A essas duas perguntas há a acrescentar uma outra.
Porque é que passados 2 meses da tragédia, há ainda tão poucochinho feito em prol das populações atingidas'
Vigia Coelhos a 22 de Agosto de 2017 às 12:33

Eu ouvi na semana 6 a 12 13000
Tony a 22 de Agosto de 2017 às 17:47

Tony... assim sendo, bem acima, de facto, do número que eu retive e ouvi. Indiscutivelmente.
mparaujo a 24 de Agosto de 2017 às 21:57

Resposta: A culpa é do Passos Coelho e do anterior governo. Basta perguntar à Cons(tansinha), virgem e pura, e ao maluquinho do João Galamba E se ainda a alguém restar dúvidas, confirmem-no junto do cínico Carlos César ou do madraço monhé PM.
Anónimo a 22 de Agosto de 2017 às 18:47

Muito poucochinho mesmo... e demorado. Muito demorado.
mparaujo a 24 de Agosto de 2017 às 21:56