Espaço de encontro, “tertúlia” espontânea, “diz-que-disse”, fofoquice pegada, críticas e louvores, ..., é uma zona nobre da cidade, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre "tudo e nada".

01
Fev 16

Boko Haram criancas armadas.jpgInfelizmente... não há só a Síria e a conflitualidade com o Estado Islâmico no Médio Oriente ou os refugiados que atravessam o Mediterrâneo, os que lá morrem e os que esbarram com as portas, fronteiras, muros e arames farpados da Europa.

Há toda uma África votada ao inferno - "Boko Haram queima crianças vivas em atentado" - sem merecer os devidos olhares internacionais.

Até quando?

 

publicado por mparaujo às 21:41

18
Nov 15

Neste momentos (e noutros) de reacção às tragédias há sempre a tendência para se questionar as opções de solidariedade de cada um, normalmente colocando em causa as convicções, as opções por uma determinada causa em detrimento de outra(s).

Não faço juízos de valor e muito menos considerações sobre quem opta pelo quê ou por que causa (muito menos me indigna quem cobre a foto de perfil - eu fi-lo - com a bandeira ou condenaria quem não o fez).

Compreendo perfeitamente que os atentados em Paris, pela sua barbárie, pela proximidade cultural, social e política, pelo sentido europeu, pela larga comunidade portuguesa aí residente, ou, simplesmente, porque sim, tenham um impacto junto dos portugueses mais forte do que outras realidades. Embora, importa lembrar o sentimento solidário de outras realidades como Timor, Haiti, as intempéries na região da Oceânia/Ásia ou a catástrofe nuclear no Japão, a título de exemplos.

Mas, do ponto de vista pessoal, conforme já demonstrado publicamente, importa não deixar esquecer o recente duplo atentado em Beirute (Líbano), nas vésperas dos acontecimentos na capital francesa, que provocou a morte de 40 cidadãos e cerca de 200 feridos.

E mais uma vez o regresso à Nigéria e mais uma chacina perpetrada pelo Boko Haram, matando 32 pessoas e ferindo cerca de 80. E aproveitar para relembrar as 17 mil vítimas nos últimos seis anos, sem esquecer, obviamente, o milhão de crianças raptadas e desaparecidas.

Sim... também pela Nigéria vale a pena "mudar".

Franca e Nigeria - EU.jpg

publicado por mparaujo às 16:28

08
Mai 14

Começa a ganhar proporções de globalização a campanha nas redes sociais para tentar salvar as alunas recentemente raptadas na Nigéria.

Tal como este exemplo...

Não faz sentido ficar indiferente.

publicado por mparaujo às 17:05

pesquisar neste blog
 
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

27 seguidores

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
12

20

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Visitas aos Arcos
Siga-me
links