Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

02.Jul.20

Quando o mar bate nas rochas... quem se lixa é o mexilhão

um ditado popular que podia ter a assinatura de Fernando Medina.

mparaujo
(créditos da foto: Tiago Petinga / LUSA) A expressão bem antiga e tão usual nas nossas comunidades costeiras ganha, nos dias de hoje, uma dimensão bem real. A responsabilidade é do presidente da Câmara Municipal de Lisboa, capital do "reino". E diga-se, responsabilidade política acrescida e muito pouco inocente. É que tal como os actos, também as palavras têm peso e consequências. Em 24 horas, mais coisa, menos coisa, da crítica e acusação inequívocas à gestão, por parte (...)
28.Jun.20

O Estado a que isto chegou... 2 que fossem já seriam demasiados

Há diversas modalidades de Estado. O Estados Social, o Corporativo e o estado a que chegámos (Salgue

mparaujo
A propósito de uma pseudomanifestação, liderada pelo partido Chega que pretendeu afirmar que "Portugal não é Racista" e que teve lugar ontem (27 de junho), na Avenida da Liberdade e na Praça do Comércio, em Lisboa. Só me surge na memória um nome e uma imagem, mais que históricas, da nossa Liberdade: SALGUEIRO MAIA. (crédito da foto: Alfredo Cunha) Os números variam (nos registos e nas opiniões) entre uns 600 a 1.300 apoiantes na tal concentração de ontem. Há quem entenda (...)
28.Jun.20

Reflexões da Semana...

conceito/ideia em destaque durante esta semana, no 'Debaixo dos Arcos'.

mparaujo
(de 28JUN2020 a 04JUL2020) Ninguém nasce a saber Odiar outra pessoa pela cor da sua pele, pela sua origem ou pela sua religião. As pessoas aprendem a Odiar... e se podem aprender a odiar, também podem ser ensinadas a amar e respeitar. Nelson Mandela (créditos da foto: Jürgen Schadeberg - visita de Nelson Mandela à cela onde esteve preso durante 27 anos)  
25.Jun.20

Da série... não nos tomem por parvos #07

a falta de moralidade política para exigências e regras demasiado avulsas.

mparaujo
(crédito da foto: LUSA, in RTP) Há um ditado popular, bem ao jeito da excelsa sabedoria do povo e do senso comum, que ilustra a realidade e a pressão quotidiana dos dias de hoje: "ou há moralidade... ou comem todos". Por outro lado, importa, igualmente, referir que cada acto, todo e qualquer acto , que se tenha tem consequências, sejam elas de que natureza forem. Os comportamentos irresponsáveis - conscientes, inadvertidos ou irreflectidos - que contrariam as normas e orientações (...)
21.Jun.20

Vale a pena pensar nisto #07

Refugees lives matter... Dia Mundial do Refugiado. pessoas iguais a nós

mparaujo
(fonte da imagem: ACNUR/ONU) Há uma péssima "tradição" na sociedade portuguesa de argumentar contextos e realidades longínquas (violência, racismo e xenofobia, pobreza, migração, guerra, fome, direitos humanos) com dois infelizes e dispensáveis argumentos: "isso é lá longe, no país (terra) deles" ou, ainda, "preocupem-se é com as pessoas de cá". Mas mesmo em situações "à nossa porta", temos reacções semelhantes: fechamos os olhos à pobreza (lá damos um quilo de arroz (...)
20.Jun.20

Penálti Falhado...

o mesmo será dizer: bola ao lado com a baliza escancarada.

mparaujo
Relembro, antes de tudo: em março, todos nós batemos muitas palmas à janela e à varanda como reconhecimento pelo trabalho dos (todos) Profissionais da Saúde. Já na altura, mesmo com a vénia devida, lançava um... MAS! Continuando... Estava tudo a correr demasiado bem para não se desconfiar que, nos momentos mais importantes e cruciais, tínhamos que bater (...)
17.Jun.20

caso Maddie: 13 anos depois

uma mão cheia de nada e um novo "déjá vu"

mparaujo
(imagem Netflix) Algarve, 3 de maio de 2007. Há 13 anos desaparecia de um apartamento na Praia da Luz, perto de Lagos, uma criança inglesa com 4 anos: Madeleine McCann (Maddie). Após a constituição dos pais, Kate e Gerry McCann, como arguidos no início do processo e da investigação, várias foram as hipóteses, teorias e teses, e longa a lista de suspeitos. Assim como não deixa de ser curioso o envolvimento tão premente do governo inglês e o dinheiro envolvido em todos os (...)
15.Jun.20

Todas as vidas contam...

nomeadamente, as 'vidas' vítimas de violência.

mparaujo
Um dos méritos do movimento "Black Lives Matter", para além de (principalmente) dar voz à realidade do racismo, foi trazer à consciência social várias problemáticas que reflectem a necessidade do combate a todas as circunstâncias que coloquem em causa a dignidade humana. Daí que, sem qualquer pretensão de menorizar o movimento inicialmente norte-americano, da expressão "black lives matter" (e contam mesmo (...)
14.Jun.20

Statues Matter... ou como "A História Nunca pode ser Travada".

Vemos, Ouvimos e Lemos... não podemos ignorar.

mparaujo
(créditos da foto: Nuno Fox, Expresso) Se há momentos em que Sophia de Mello Breyner Andresen ganha um dimensão ainda maior do que a (merecidamente) tem, esses momentos são os de agora, os dos últimos acontecimentos e dias. Ressoam na memória partes do poema "Vemos, Ouvimos e Lemos" (penso que de janeiro de 1969), bem como uma "velha frase batida", com pelo menos 36 anos: «a história nunca pode ser travada" (MCE - Movimento Católico de Estudantes). Vemos, ouvimos e lemos Não (...)
07.Jun.20

A propósito do racismo, entre outros

ser intolerante com a tolerância. Um texto contra o racismo e por um jornalismo com identidade.

mparaujo
Desde o final da semana passa e durante todos estes primeiros dias de junho, a morte do afro-americano George Floyd relegou para segundo plano a "cansável COVID-19". A agenda pública trouxe, infelizmente pelos piores motivos, a questão do racismo, alargado à xenofobia, à homofobia, à igualdade de género, aos migrantes e refugiados. Das várias leituras sobre a questão, há três contextos que me mereceram particular atenção: a existência (sempre houve) de racismo e xenofobia em (...)
06.Jun.20

Ou se desconfina ou não se desconfina

das incoerências pandémicas. Ou há moralidade...

mparaujo
O mesmo equivaleria a dizermos: "ou há moralidade ou comem todos". O que não faz sentido é a subjectividade do princípio ou a sua aplicabilidade conforme soprar o vento. A regra, definida pelo Governo e pela DGS, nesta terceira fase do desconfinamento determina a proibição da realização de actividades e iniciativas com uma concentração de pessoas superior a 20 (por exemplo, no exterior). Na conferência de imprensa de hoje, com todos os condicionalismo da ausência de valores (...)
31.Mai.20

Às portas da crise... o governo "autodesconfinou"

Afinal, em tempos de guerra, mudam-se generais (e com muitas estrelas)

mparaujo
É, hoje, mais que claro que o Governo, mais precisamente António Costa, tem um problema político interno, que não será de fácil (di)gestão: chama-se Mário Centeno. Abrandada (pelo aparentemente) a principal vertente da pandemia - a saúde - entrando já, com sinais evidentes, na preocupante vertente das respostas sociais, afiguram-se, para bem breve, os sintomas e os impactos na economia (nacional e global). É neste contexto que, no mínimo, surge como curiosa e surpreendente a (...)
30.Mai.20

Seja qual for a dimensão pandémica da realidade... há pessoas a morrer.

Mereciam melhor comunicação. Porque a comunicação importa em tempos de pandemia.

mparaujo
Num contexto tão particularmente excepcional como o que vivemos desde fevereiro (pelo menos) o maior ou menor sucesso das medidas de excepção que importa implementar para a mitigação deste (ou de outro) surto pandémico como a COVID-19 depende, em grande parte, da forma como o colectivo, a sociedade, encara a realidade e assume a gravidade dos factos e do contexto. Questões sem resposta, interrogações com respostas dúbias ou generalidades, indefinições ou, ainda mais grave, (...)
29.Mai.20

Da série... os inconseguimentos #06

ainda tenho esperança...

mparaujo
(créditos da foto: Jonathan Ernst/Reuters) O Presidente norte-americano, Donald Trump (himself) afirmou numa conferência de imprensa organizada, hoje, na Casa Branca que os Estados Unidos da América vão sair da Organização Mundial da Saúde (OMS). "Porque falharam em fazer as reformas necessárias e requeridas, vamos hoje terminar a nossa relação com a Organização Mundial da Saúde e direccionar esses fundos a outras entidades de saúde globais" (fonte: BBC, via SAPO) Cresce, (...)
23.Mai.20

Entre o heroísmo e o sentido de Estado, em tempos de pandemia

O exemplo de Ovar, a ética política e as esquecidas Autarquias.

mparaujo
(fotos originais de Rui Oliveira / Observador) Ovar voltou a ser, nesta sexta-feira, o palco nacional do combate à COVID-19, espelhado nas visitas do Presidente da República, do Primeiro-ministro e do líder do PSD a terra vareira. Das visitas, resultam, no essencial, dois elogios públicos. Marcelo Rebelo de Sousa destacou o sentido de Estado e a ética política de Rui Rio em todo este período de pandemia. Mantendo a sua coerência política, sempre afirmou que o PSD teria de (...)
13.Mai.20

#poracasofoiideiaminha (02)

Presidencialismos e eleições presidenciais. Futurologia política.

mparaujo
Não sei se mais mas pelo menos ao mesmo nível que a polémica da injecção secreta de capital no Novo Banco por Mário Centeno (o agente 007 ministerial do governo), a agenda política mediática de hoje ficou marcada pela declaração de António Costa no apoio claro à recandidatura de Marcelo Rebelo de Sousa ao segundo mandato presidencial. O facto teve lugar na visita conjunta, hoje, à Autoeuropa, um dos grandes motores da economia nacional, mas que terá deixado Presidência da (...)
13.Mai.20

Da série... os inconseguimentos #05

Uma falha de comunicação ou Mário Centeno borrifou-se para António Costa?

mparaujo
De forma telegráfica... conta-se rápido: o Ministro das Finanças do XXI Governo Constitucional de Portugal, Mário Centeno, quer sair do Governo. Mais... Mário Centeno fez tudo para criar ou potenciar uma crise política governamental. Mas....... com o consentimento (e, porque não, apoio) do próprio Primeiro-ministro, António Costa, apesar de todos os disfarces e ilusionismos políticos. Por partes... Mário Centeno já tinha afirmado na Assembleia da República (há cerca de dois (...)
12.Mai.20

Vale a pena pensar nisto #06

Sobre a criança Valentina... e outras "Valentinas"

mparaujo
O relatório da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) dava conta que, em 2019, 1.467 crianças foram vítimas de crime (mais 532 do que em 2018, numa média de 4 por dia ou 28 por semana) sendo que em 27,3% dos casos a autoria do crime foi atribuída ao pai ou à mãe. Se um crime, agravado pela existência de vítima mortal, é, por si só, uma realidade condenável, este acto toma contornos abomináveis quando está em causa uma criança, dada a sua fragilidade, (...)