6 comentários:
Cara Helena
Porque teria de evar a mal?!
É obviamente uma pergunta coerente, principalmente para quem não me conhece?!
Neste momento o meu voluntariado é muito reduzido e resume-se a acções semanais em Cacia.
Estou mais para o lado do associativismo (de forma gratuíta, claro) ligado à Federação Concelhia das Associações de Pais de Aveiro e a acçõe spontuais que muitas e muitas pessoas ainda vão fazendo.
Mas não entenda o texto como uma mera crítica aos outros.
Nem por sombras. É por me sentir, neste momento, muito pouco activo (comparando com o que já fui), que é igualmente uma auto-crítica (e forte). Aliás não tenho o hábito de acusar com telhados de vidro.
Mas já fiz muito, ligado ao activismo católico (goste-se ou não, é uma fonte de voluntariado e de solidariedade), ao associativismo estudantil, à Amnistia Internacional, fiz há muitos anos e durante cerca d 3 ou 4 acções junto da Cadeia em Aveiro (juntamente com outro colega meu - na altura estávamos ligados ao Grupo Raíz) como exemplo.
Mas o que pretendi igualmente transmitir foi que o voluntariado pode ultrapassar o institucional. Pode muito bem ser feito de forma perfeitamente indivudal e anónima.
E há tanto por e onde fazer.
Cumprimentos
migas (miguel araújo) a 19 de Novembro de 2006 às 13:17

Caro Arauto
É um facto.
Também é uma auto-crítica.
Aliás, nesta minha fase da vida, uma auto-crítica acentuada se eu fizer o mínimo esforço de memória para recordar tempos não muito longínquos de maior e melhor capacidade de resposta e de ajuda.
Mas de consciência crítica mas tranquila, pelo menos esforço-me!
Cumprimentos
migas (miguel araújo) a 19 de Novembro de 2006 às 13:07

Concordo plenamente com tudo o que disse. Excelente!
beatriz ferreira a 19 de Novembro de 2006 às 11:27

Já agora, se não for incomodo gostava que me enviasse o poster da doação de roupa e solidariedade para o meu mail para eu poder colocar nos foruns e blog a mesma messiva
Bigado
Helena Thadeu a 18 de Novembro de 2006 às 15:28

O Miguel faz voluntariado a onde? (não entenda a pergunta como provocação sff, mas apenas como curiosidade)
Helena Thadeu a 18 de Novembro de 2006 às 15:25

Olá Miguel,reli o seu artigo, hoje publicado no DA e confesso-lhe que senti quase o mesmo que o senhor, mas com vontade de ser mais radical,mas ao analizar o meu dia a dia acabo por ter que lhe dar razão.Os voluntários com a sua generosidade vão mascarando um pouco a acção desenvergonhada dos nossos governantes, pois estes é que não deviam permitir a exclusão e a miséria que se vai cruzando connosco todos os dias, mas nós com o coração mole que temos, também ajudamos um pouco este sistema porque não conseguimos ser indiferentes á miséria.
Confesso que o seu escrito é inquietante e eu pelo menos não consigo sacudir a água do meu capote com muita facilidade.No fundo a nossa formação impele-nos a dar, mas a razão analizada friamente retai-nos de o fazer.
Confundido mas com uma certeza, um artigo honesto e bem formulado.
Um abraço.
Arauto da Ria a 17 de Novembro de 2006 às 01:54