Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

XI Bienal Internacional de Cerâmica Artística de Aveiro

O júri da XI Bienal Internacional de Cerâmica Artística de Aveiro - 2013, promovida pela Câmara Municipal, seleccionou, numa primeira triagem, 73 obras da autoria de diferentes artistas.

A XI Bienal Internacional de Cerâmica Artística de Aveiro recebeu 151 inscrições de 23 países diferentes, mais seis do que em 2011: África do Sul – 1; Alemanha – 3; Argentina - 2; Austrália – 1; Bélgica – 4; Brasil - 7; Bulgária – 2; Canadá – 2; China – 2; Eslovénia - 6; Espanha – 27; Estados Unidos da América – 5; Irlanda – 1; Israel – 1; Itália - 15; Japão - 2; Lituânia - 2; Noruega – 1; Polónia – 2; Portugal - 58; Reino Unido – 4; Sérvia – 1 e Ucrânia -2.

Das 244 obras apresentadas a concurso, o júri, nesta primeira fase, seleccionou 73 obras. A próxima reunião será no dia 28 de junho, já perante os trabalhos a concurso. Neste encontro, ficarão já definidas as obras que serão expostas no Museu de Aveiro, de 5 de outubro a 10 de novembro.

A Bienal Internacional de Cerâmica Artística de Aveiro, promovida pela Câmara Municipal de Aveiro, é um dos mais importantes concursos dedicados à cerâmica artística que se realiza em Portugal, sendo reconhecido internacionalmente como uma relevante mostra de novas técnicas e linguagens utilizadas na criação de cerâmica artística.

A XI Bienal Internacional de Cerâmica Artística, a exemplo de anos anteriores, pretende contribuir, de forma efectiva, para o desenvolvimento sociocultural e estimular a experimentação e a criatividade; procura ser um espaço aberto ao diálogo, à divulgação e ao confronto de tendências e de contacto com os conceitos actuais de cerâmica artística; tem ainda como objectivo essencial divulgar os caminhos mais significativos da cerâmica artística contemporânea que se faz pelos cinco continentes; mostrar a diversidade formal e a renovação estética que se vem processando, bem como as capacidades dos novos materiais e técnicas postas ao serviço da arte.

O júri desta edição de 2013 (a décima primeira) é constituído por Paula Matos (responsável pelo desenvolvimento dos Projectos Históricos e Especiais na Fábrica de Porcelana da Vista Alegre); Jorge Frade (professor Catedrático no Departamento de Engenharia de Materiais e Cerâmica da Universidade de Aveiro) e Francisco Laranjo (director da Faculdade de Belas Artes do Porto).