Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Duas rabanadas...

Primeira rabanada.

Joe Berardo apesar da crítica ainda corre o risco de transformar o Governo num verdadeiro Robin dos Bosques português, quando afirmou que em Portugal "há uma perseguição aos ricos". Estamos mesmo a ver o Ministro Vítor Gaspar, de collants verdes e de arco e flecha em punho, a "assaltar" os ricos para dar aos pobres.

Nesta quadra natalícia e no encerramento de mais um ano só falta considerar Joe Berardo como a "Isabel Jonet da economia".

 

Segunda rabanada.

Em 2011 o Governo de Passos Coelho anunciava um conjunto de "moralidades" politicas e sociais com vista ao combate (já que para o Primeiro-ministro isto é uma "guerra") à falta de produtividade nacional.

Entre as tais "moralidades" incluíam-se o fim de quatro feriados, uma maior restrição às "pontes" e a não tolerância de ponto no dia de Carnaval.

Afinal, mesmo que o Primeiro-ministro afirme que 2012 foi o ano mais difícil desde 1974, pelos vistos, a nossa produtividade foi relançada, eventualmente muito à custa do esforço da reindustrialização levado a cabo pelo ministro Álvaro Pereira ou do regresso à agricultura pela "enxada" da ministra Assunção Cristas.

Por isso é que este ano o Governo decretou tolerância de ponto para os dias 23 e 31 de dezembro. Afinal já somos tão produtivos como os alemães.