8 comentários:
Meu ilustre Comandante
É meu caro, a política tem destas surpresas, não é?
Até nós já por cá tivémos dessas supresas.
Agora quanto à questão do lider provisório, ive algmas dúvidas.
mas que agora é um lider contestado, fraccionado e com os dias contados, já não tenho dúvidas.
A alegoria ao D. Sebastião tá bem apanhada.
Um abraço
migas (miguel araújo) a 23 de Janeiro de 2007 às 21:52

caro Terra & Sal
Muitas interrogações colocadas.
De facto bonança é coisa que não vai emergindo lá para os meus lados.
Estamos mais na fase da tempestade... mas quem sabe o que virá depois?
E quem sabe se não será uma estratégia de bastidores?
Por outro lado, meu caro. O CDS sempre foi um partido com história e com muitas estórias. Felizmente, sempre souberam dar a volta por cima.
Agora... clandestinidade para um homem de esquerda é coisa que não estava à espera de ver sugerido. Mas pronto. Reconheço. Pelo andar da carruagem.
Por outro lado, pela experiência, parece-me mais histórica a nossa ligação ao PS do que ao PSD.
Um abraço
migas (miguel araújo) a 23 de Janeiro de 2007 às 21:43

Migas;Olá!!

Sabe, esta questão do CDS, já vem do Congresso.A eleição de Ribeiro e Castro,como se recordará, até foi surpreendente, ninguém a esperava.
E, ficou aquela sensação de estarmos perante um líder partidário proivisório.

Portas, precisava de uma pequena travessia do deserto que tivesse uma função sanitária, que o purificasse dos governos santanentos.

Aí está. Vem do deserto, de Alcácer-Quibir, numa ocasião do ano bastante nevoeirenta.

Do amigo,

Maréchal Ney
Maréchal Ney a 23 de Janeiro de 2007 às 18:44

Ó Meu Caro Amigo:

Imagine que o País estava carenciado de ideias, e precisava de uma participação séria do CDS, como seria?
Já viu?
É que não entendo...
Como é possível ter ambições a nível da governação do país, se nem entre eles conseguem dirimir os problemas?
Você não acha, (afinal andam sempre de braço dado) que o CDS devia ser integrado no PSD, ou passar à clandestinidade?
Sim, à clandestinidade!
Afinal é um partido cheio de história...
Lembra-se daquela do deputado Morgado quando foi o caso da discussão do aborto, isto em 1982, que “exigia”:
“Cada cavadela, uma minhoca?”
Como vê há páginas gloriosas que ficaram para a posteridade...

Um abraço Migas
Terra & Sal a 23 de Janeiro de 2007 às 02:19

caro Abel
Por este andar, para mal dos meus pecados, ainda os vou ver chegar ao parlamento naquelas bicletas de dois lugares
Um abraço
migas (miguel araújo) a 22 de Janeiro de 2007 às 21:28

Cristina
Não tenhas dúvidas de que algo provocou a bocarra do Nuno de Melo e que a sua demissão irá provocar a derrocada.
Bastidores, minha miga... bastidores.
bjs
migas (miguel araújo) a 22 de Janeiro de 2007 às 21:25

Oh Miguel, isso do CDS é aquela coisa do Táxi?
Abraço.
AC a 22 de Janeiro de 2007 às 20:06

seria para isso que se deixou estalar a bronca?? ;)

bjinhos
Cristina a 22 de Janeiro de 2007 às 17:50