Espaço de encontro, “tertúlia” espontânea, “diz-que-disse”, fofoquice pegada, críticas e louvores, ..., é uma zona nobre da cidade, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre "tudo e nada".

29
Dez 13

Com passagens pela Rádio (Rádio Clube Português, por exemplo) e actualmente pivot da RTP (após ter feito a sua estreia televisiva, na primeira equipa do arranque da SIC), independentemente da sua competência profissional frente às câmaras, a verdade é que é através da escrita (particularmente no Dinheiro Vivo) que o jornalista João Adelino Faria mais me surpreende.

E esta é mais uma (boa) surpresa.

Face a nomes como Mandela, Cristiano Ronaldo, o Papa Francisco, ou ainda Lou Reed, Mário Soares, entre muitos outros, haverá, garantidamente, nomes e "feitios" para todos os gostos. Mas o João Adelino Faria fez o interessante reconhecimento da verdadeira personalidade do ano de 2013 (de 2011, de 2012, e também de 2014 e durante mais alguns anos): o português. Pelos sacrifícios, pela solidariedade, pelo sofrimento, pelo esforço, pelo trabalho (aqueles que ainda o têm ou o conseguiram), pelas lutas, pela emigração, ...

É evidente que isto nos parece, a nós cidadãos portugueses, do mais óbvio e do mais elementar... pois é. Mas foi o João Adelino Faria que se lembrou e o disse (escreveu).

Excelente: "A figura do ano: o português" (in Dinheiro Vivo).

publicado por mparaujo às 02:02

01
Nov 13

A ler o artigo de hoje, 1 de novembro, da Fernanda Câncio no Diário de Notícias ("Carrilho trágico")...
Deixando, e muitíssimo bem, a fofoquice, os aspectos da vida privada e da devassa da vida alheia, a banalidade e a miséria de "espírito" que assola protagonista, jornalista e leitores, fica o registo de mais um excelente artigo sob a perspectiva jornalística e profissional. Algo que Ferreira Fernandes també tinha aflorado (noutra perspectiva) em "Perguntas abertas a Manuel Maria Carrilho".

Excelente recado às redacções e editores, e excelente case study para cursos/cadeiras de Jornalismo. Por exemplo: "ética e deontologia / direito da comunicação" - "teorias da comunicação" ou "comunicação e sociedade"... etc.


Tudo o resto não interessa e cheira mal...

publicado por mparaujo às 16:14

17
Out 13

Esta carta de desabafo que a Rita Marrafa de Carvalho escreveu à sua filhota Mariana, está qualquer coisa de extraordinário. Diria mais... está algo do "outro mundo". Quer no espelhar da (triste) realidade do país, quer no "educar" da sua filha.

De "arrepiar a espinha"... (transcreve-se pelo facto de nem todos terem acesso ao facebook).

Mariana,
gostava tanto de ter boas notícias para ti e para o mano.
Gostava de vos dizer que o pai e a mãe, eles próprios, conseguiram uma boa poupança para vos garantir os estudos superiores e as viagens que queriam e precisem de fazer. Mas não é verdade.
Temos um seguro de saúde e não vos falta nada. Já isso basta e é muito mais do que algumas crianças da vossa idade têm, infelizmente.
Mas não sei o que vos diga. Quando eu e o vosso pai decidimos ser "mãe e pai", suspirámos pela saúde dos nossos filhos. E fomos contemplados com uma bênção acrescida: a vossa generosidade, sorriso e ternura.
E aspirámos a um futuro brilhante. Numa escola boa. Com horizontes amplos, num país onde as oportunidades surgiram pela meritocracia. Porque eu e o vosso pai éramos fruto dessa geração. A do esforço e do estudo. A do empenho e da premiação. Enganámo-nos. E não sei como vos dizer o que aí vem...
Porque olhando em volta, vejo os filhos de amigos mais velhos, a iniciarem processos de emigração. Vejo famílias separadas e lágrimas.
E vejo o esforço acrescido, todos os meses, para vos manter numa escola boa que se compadece com os horários difíceis de sermos jornalistas. Vale a pena mas sai-nos do pêlo.
Queria muito levar-te à Eurodisney, como pediste, Mariana. Mas este ano, e não sei quando, não será possível. Mas temo-nos uns aos outros. Tens os teus avós e amigos. Tens quem te quer bem. Acima de tudo, tens a avó Isabel e o Avô Custódio que não te deixarão que te falte nada. Nem ao mano. Que pagaram os arranjos do carro da mãe e todo o teu material e livros escolares.
E tens-me a mim e ao teu pai. Nem que a mãe se morda. Nem que a mãe se esfole. Terás sempre os meus braços e os meus beijos. E os olhos postos num horizonte onde poderás vir a ser feliz. Aqui ou na China. Ou na Austrália. Ou no Brasil. Onde for... Vai para onde cumpram os contratos laborais e onde te apreciem pela boa profissional que virás a ser (tenho a certeza). Não é uma crónica de uma emigração anunciada. É uma declaração de amor de quem te amará a 8 mil quilómetros de distância.
A mãe.

publicado por mparaujo às 14:42

15
Mai 12

Depois da campanha bombástica do 1º de Maio, das reacções e comentários, como por exemplo em "Pingo Doce... pela metade", depois do anuncio dos descontos de 50% para os funcionários da empresa, eis que chega mais uma campanha (embora ache esta "fraquinha" e mais do usual).

E com mais este anúncio que reforça o posicionamento no mercado desta cadeia de distribuição, é altura para ler, com toda a atenção, este excelente artigo da Inês Pedrosa...

Algo que muitos gostaríamos de ter sabido dizer (embora tenha andado lá perto...) apenas em 2400 caracteres.

 O horror do povo a comprar

publicado por mparaujo às 21:59

20
Nov 11
Posso não concordar num ou outro aspecto, ou melhor, podem faltar outro tipo de argumentos igualmente válidos neste excelente texto de Paulo Baldaia, director da TSF - "Porca miséria", na edição de hoje do Diário de Notícias.
De facto, assim vai a nossa justiça... é o caso Duarte Lima, Face Oculta, Isaltino Morais, o desaparecimento de muitos "Ruis Pedros", a Casa Pia, o BPN, Fátima Felgueiras, etc., etc. ...

(excertos)


Penso que ninguém tem dúvidas de que é a Democracia que é posta em causa quando não há justiça. Perder soberania para os funcionários de 7.ª linha da troika é coisa pouca comparada com esta prepotência de uns quantos senhores da justiça em relação a todos os portugueses.  
publicado por mparaujo às 16:10

15
Out 11
Antecipando o meu artigo de opinião para a edição de amanhã do Diário de Aveiro, oportunidade para ler com interesse e atenção, com uma reflexão muito clara sobre "murro" no estômago que os portugueses levaram na passada quinta-feira, ao jantar.

A "Actualidade em três tempos" do director do Diário de Notícias, João Marcelino.

e

"Rasgar o contrato de confiança", do jornalista Nuno Saraiva, também do Diário de Notícias.
publicado por mparaujo às 23:15

25
Set 11
A propósito do post anterior, com referência muito ligeira ao debate parlamentar sobre o enriquecimento ilícito, nada melhor que uma leitura atenta a este interessante artigo de opinião do Director do Diário de Notícias, João Marcelino, na edição de 24.09.2011.

O enriquecimento ilícito
publicado por mparaujo às 01:39

20
Set 11
Sobre o caso da dívida oculta da Madeira e o eventual fim político de Alberto João Jardim, um interessante editorial/artigo de opinião de João Marcelino no Diário de Notícias de 17 de Setembro último.

publicado por mparaujo às 23:26

23
Ago 11
Esta não é uma questão de somenos importância.
Nem tão pouco uma questão que interesse exclusivamente aos profissionais da Comunicação, e concretamente aos da RTP / RDP / LUSA.
Este não é um problema circunscrito à esfera jornalística.
Em causa... a privatização/concessão da RTP e a e concepção teórico-prática do paradigma "Serviço Público".
Ao ponto do Governo ter criado uma comissão/grupo de trabalho que elabore um relatório sobre a temática.
Duas das minhas referências têm visões diferentes, mas que podem ajudar a clarificar opiniões e conceitos.

José Manuel Fernandes escreveu no Blasfémias algumas notas sobre o Serviço Público.




Paulo Querido contestou no "seu" Certamente, com o título (abreviado aqui) "pelotão de execução da RTP".




A ler atentamente!

As minhas duas dúvidas são:
1. Valerá a pena, fará sentido, garantir o actual modelo de serviço Público com a detenção pelo Estado de um (grupo) órgão de comunicação social?
2. Não havendo detenção directa que tipo de Serviço Público será garantido, já que o mesmo é importante num Estado de Direito e, por isso, previsto na Constituição?
Ainda por esclarecer...
publicado por mparaujo às 23:08

17
Jun 11
A ler os outros...
Descobri, num recente espaço informativo digital (inaugurado hoje e já devidamente linkado na coluna "Os de lá...") denominado Dinheiro Vivo, este excelente artigo sobre o perfil do próximo Ministro das Finanças: "O próximo ministro das Finanças", de Ricardo Reis.

Concordando com o que está referido, aproveito a oportunidade para expressar uma opinião que há algum tempo perfilho e afirmo, e totalmente a propósito face à constituição do próximo elenco governativo.

Teixeira dos Santos devia ser ministro das finanças.

[Error: Irreparable invalid markup ('<img [...] i$>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

<div dir="ltr" style="text-align: left;" trbidi="on"><div style="text-align: justify;"><span style="font-family: &quot;Helvetica Neue&quot;,Arial,Helvetica,sans-serif;">A ler os outros...</span></div><div style="text-align: justify;"><span style="font-family: &quot;Helvetica Neue&quot;,Arial,Helvetica,sans-serif;">Descobri, num recente espaço informativo digital (inaugurado hoje e já devidamente linkado na coluna "Os de lá...") denominado </span><a href="http://www.dinheirovivo.pt/index.html" rel="noopener"><span style="font-family: &quot;Helvetica Neue&quot;,Arial,Helvetica,sans-serif;">Dinheiro Vivo</span></a><span style="font-family: &quot;Helvetica Neue&quot;,Arial,Helvetica,sans-serif;">, este excelente artigo sobre o perfil do próximo Ministro das Finanças: "</span><a href="http://www.dinheirovivo.pt/Economia/Artigo/cieco003214.html?page=1" rel="noopener"><span style="font-family: &quot;Helvetica Neue&quot;,Arial,Helvetica,sans-serif;">O próximo ministro das Finanças</span></a><span style="font-family: &quot;Helvetica Neue&quot;,Arial,Helvetica,sans-serif;">", de Ricardo Reis.</span></div><div style="text-align: justify;"><br /></div><div style="text-align: justify;"><span style="font-family: &quot;Helvetica Neue&quot;,Arial,Helvetica,sans-serif;">Concordando com o que está referido, aproveito a oportunidade para expressar uma opinião que há algum tempo perfilho e afirmo, e totalmente a propósito face à constituição do próximo elenco governativo.</span></div><div style="text-align: justify;"><br /></div><div style="text-align: justify;"><span style="font-family: &quot;Helvetica Neue&quot;,Arial,Helvetica,sans-serif;"><b>Teixeira dos Santos devia ser ministro das finanças</b>.</span></div><div style="text-align: justify;"><br /></div><div class="separator" style="clear: both; text-align: center;"><a href="https://1.bp.blogspot.com/-icvlsLsgEJE/Tftr0wYVlyI/AAAAAAAACgo/UnZZoQU_BJY/s1600/teixeira+dos+santos.jpg" imageanchor="1" style="clear: left; cssfloat: left; float: left; margin-bottom: 1em; margin-right: 1em;" rel="noopener"><img border="0" height="132" i$="true" src="https://1.bp.blogspot.com/-icvlsLsgEJE/Tftr0wYVlyI/AAAAAAAACgo/UnZZoQU_BJY/s200/teixeira+dos+santos.jpg" width="200" /></a></div><div style="text-align: justify;"><span style="font-family: &quot;Helvetica Neue&quot;,Arial,Helvetica,sans-serif;">Não digo isto com qualquer leviandade ou privado de sentido de responsabilidade ou fundamentação.</span></div><div style="text-align: justify;"><span style="font-family: &quot;Helvetica Neue&quot;,Arial,Helvetica,sans-serif;">Independentemente de ter exercido o cargo durante o período de (des)governação socialista, por uma questão de coerência, de respeito, de verdade e rigor políticos, é um facto que Teixeira dos Santos tem todas os requisitos necessários para exercer, novamente, o cargo:</span></div><div style="text-align: justify;"><br /></div><div style="text-align: justify;"><span style="font-family: &quot;Helvetica Neue&quot;,Arial,Helvetica,sans-serif;">- conhece a realidade como ninguém e tem já a experiência do funcionamento do estado e das suas relações (recorde-se que soube afirmar, sem qualquer tipo de demagogia, que Portugal não iria ter dinheiro em Junho);</span></div><div style="text-align: justify;"><span style="font-family: &quot;Helvetica Neue&quot;,Arial,Helvetica,sans-serif;">- sempre falou verdade e pautou pela transparência, mesmo contra a vontade e opinião de José Sócrates (é público) ao ponto de lhe trazer o sabor amargo político da indiferença e da desconsideração socialista (tal como a Luis Amado, embora em menor grau);</span></div><div style="text-align: justify;"><span style="font-family: &quot;Helvetica Neue&quot;,Arial,Helvetica,sans-serif;">- tem capacidade técnica;</span></div><div style="text-align: justify;"><span style="font-family: &quot;Helvetica Neue&quot;,Arial,Helvetica,sans-serif;">- foi um negociador eficaz com as entidades internacionais e com a UE.</span></div><div style="text-align: justify;"><span style="font-family: &quot;Helvetica Neue&quot;,Arial,Helvetica,sans-serif;">Por fim... também ele é independente (fazendo fé que essa começa a ser uma característica a ter em conta na elaboração do elenco governativo).</span></div><div style="text-align: justify;"><br /></div><div style="text-align: justify;"><span style="font-family: &quot;Helvetica Neue&quot;,Arial,Helvetica,sans-serif;">Isto sim... seria uma enorme prova de interesse nacional, de supra-partidarice, e uma volumosa maturidade política.</span></div><div style="text-align: justify;"><br /></div><div style="text-align: justify;"><span style="font-family: &quot;Helvetica Neue&quot;,Arial,Helvetica,sans-serif;">Mas infelizmente, perde-se tempo com questões, DITAS mais Nobre(s)!</span></div></div>
publicado por mparaujo às 07:56

12
Jun 11
Muitas vezes afirmei que esta crise não é apenas, nem tão só, uma crise económico-financeira.
Esta é e será uma crise social e de valores. E Portugal e a sociedade não me parecem nada preparados para o que virá, já num futuro imediato.

Um texto simples mas a perspectivar o futuro: Notícias violentas em tempo de Santo António - do blogue "Comunicação Integrada", de Luís Paulo Rodrigues.
publicado por mparaujo às 22:40

19
Abr 11
Podemos ser contra. Podemos marcar sempre a nossa posição e as nossas convicções.
Temos o dever de defender os nossos eleitores... temos o dever de manter a confiança em quem vota em nós.
Um facto: o FMI está cá. Ponto!
Outro facto: com ou sem a participação de todos, vai haver "contracto" de resgate.
O que é preferível. Ser apenas do contra porque se é, por convicção, do contra? Ou fazer ver os nossos pontos de vista e dar o nosso contributo para minimizar o problema?

Passividade e abstenção são condenáveis em democracia e em política. E são erros que se pagam caro.

publicado por mparaujo às 22:25

05
Dez 10
Entre o estilo e a oportunidade do Orçamento de Estado para 2011, a posição açoriana e o mundial de futebol de 2018 entregue à Rússia (felizmente para nós).

publicado por mparaujo às 17:51

26
Nov 10
Uma visão futurista que pode correr o ricos de se tornar pura realidade...
Com perigos ou virtudes?! Só o tempo o confirmará...

Crónica de José Manuel Fernandes, hoje, no Público. Ler aqui!
publicado por mparaujo às 22:36

25
Out 10

O perfil sociológico do Jornalista português.

O caso e o estudo... Aqui!
publicado por mparaujo às 22:57

20
Out 10
Independentemente do Orçamento ser viabilizado ou não, de ser negociado ou não...

A não perder uma leitura atenta por este excelente artigo de Pedro Santos Guerreiro, Director do Jornal de Negócios.

"A multiplicação das taxas"...  Mexe? Tributa. Respira? Taxa. Atrasa? Multa. Foge? Caça. Contesta? Penhora.
publicado por mparaujo às 22:56

16
Set 10
Descobertas na rede.
Acabadinho de ser encontrado, é com muito gosto que "Per Capita" do jornalista Paulo Ferreira (editor de Economia da RTP) faz parte da coluna das referências da rede.
A reputação da PT é o seu mais recente post.
publicado por mparaujo às 22:34

29
Mar 10
Não podia deixar de fazer referência a este excelente texto do António Marujo.
A maior crise da Igreja Católica dos últimos 100 anos.

(fonte: edição do Público do dia 27 de Março de 2010 - sábado)
Lido e relido...
publicado por mparaujo às 22:54

14
Jan 10
e a concordar inteiramente!
(via facebook - hoje, às 20:00 - João Pedro Dias)

"Quando o Senhor Ministro das Obras Públicas se vê na necessidade de justificar o TGV Lisboa-Madrid recorrendo, entre outros argumentos, às potencialidades das praias da zona de Lisboa para atrair os amantes do surf (sim, do surf! eu ouvi!), acho que estamos conversados sobre o bom fundamento, a necessidade e a viabilidade financeira da dita obra...."

(comentário meu)
Nem mais... um investimento para 3 meses de férias...
Espero que haja lugar no TGV para transportar as pranchas!
publicado por mparaujo às 20:26

10
Jan 10
"Os de Lá..." tem novo "inclino" de peso na blogosesfera nacional.
A ler...
Albergue Espanhol
publicado por mparaujo às 16:54

27
Dez 09
In "Clube dos Jornalistas"

Ao fim de dois anos a falar para os leitores, o provedor despede-se dirigindo a última crónica à redacção. Sem deixar de mencionar (concorde-se ou não) o caso polémico e controverso das escutas noticiadas naquele órgão de comunicação (embora uma visão que não partilhe na totalidade).

Carta aos jornalistas do PÚBLICO.
publicado por mparaujo às 16:01

29
Nov 09
Sempre nutri um particular "deslumbramento" pelo Dr. António Barreto.
Facto que vem de há muitos anos, apesar das diferenciação político-ideológica.
Mas que em nada "belisca" o reconhecimento pela sua invulgar cultura e sabedoria.
Esta entrevista só confirma este meu sentimento.
(fonte: jornal "i")
publicado por mparaujo às 17:45

25
Out 09
É indiscutível a incapacidade de alguns em aceitarem a opinião e opção de muitos (maioria).
A intolerância é uma realidade cada vez mais preocupante, ao mesmo tempo que crescente.

Bom texto em A Casa dos Comuns, de João Pedro Dias.
publicado por mparaujo às 15:29

10
Out 09
Declaração de princípios: respeito a América, reconheço o seu valor e a sua importância no contexto internacional, a sua potência (ou mesmo super-potência). Nunca gostei de Bush e acho que a América e o Mundo só ganhou com a eleição de Barack Obama.
Mas não sou, fanaticamente, pró-americano... acho que a América ainda precisa de "crescer" muito mais: falta-lhe democracia, humildade, reconhecimento do valor dos outros e que o Mundo não gira apenas à sua volta. Falta-lhe aceitar a pluralidade (apesar da diversidade): que país se afirma democrático e livre e não consegue aceitar e perceber que o "seu" presidente (representante máximo dessa democracia e liberdade) possa falar aos alunos do país que governa e dirige?! Se há local de fanatismos, extremismos, ignorância e visões medíocres... esse local é nos Estados Unidos da América.
À parte destes pequenos (grandes) pormenores, é evidente que, numa hipotética "invasão" (excluindo a espanhola) de Portugal, nada melhor para me defender do que ter um soldado americano à minha porta. Ponto!
Estava, por isso, preparado para expressar a minha surpresa e admiração pela atribuição do Nobel da Paz a Barack Obama... simplesmente porque não consigo encontrar (por mais que procure) justificação para tal... só pelas intenções?! É que falta muito por fazer. E de intenções está o inferno cheio. Afeganistão, Iraque, Palestina, a impunidade dos militares americanos, a forma de "estar" na ONU, na NATO, etc. E uma ano apenas de presidência americana é muito pouco para se tirar ilações. Será que a postura e as intenções de Barack serão possíveis de colocar em prática?! Para quem, internamente, tem dificuldade de impor políticas que marcaram a sua eleição (como o serviço de saúde), como poderá conseguir fazer face às pressões internas e externas em matéria de segurança e paz?! A ver vamos...
Por isso reitero, completa e totalmente, a "antecipação" de João Pedro Dias, na Caso dos Comuns: "Prémio Nobel da Paz para Barack Obama - ou como se desqualifica um prémio"
publicado por mparaujo às 22:07

pesquisar neste blog
 
arquivos
2019:

 J F M A M J J A S O N D


2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

28 seguidores

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


Siga-me
links