Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

13.Mar.16

Sem saudades...

mparaujo
publicado na edição de hoje, 13 de março, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Sem saudades Este era, por muitos, um momento há ansiosamente esperado. Tal como nas suas funções de Primeiro-ministro, estes dez anos de exercício do mais alto cargo político nacional não deixa saudades e advinha-se que apenas a história o registará e um (...)
01.Jan.16

Nem na despedida...

mparaujo
O Presidente da República, Cavaco Silva, fez hoje o seu último discurso oficial de Ano Novo, a pouco menos de um mês do processo eleitoral que conduzirá à sua substituição. Na maioria das suas declarações ao país, ao longo dos seus dois mandatos, os chavões, a demagogia, as frases feitas e o abstracto, a ficção política, a (...)
18.Dez.15

No mealheiro não se pode tocar

mparaujo
Muitos de nós estarão recordados dos mealheiros de infância (muito antes destes Ágata Ruiz de la Prada), de mil e um feitios, para mil e um objectivos de poupança. A maior parte deles com chave ou sem abertura (apenas a ranhura para a introdução dos escudos - notas ou moedas) mas que, por força da tentação, facilmente se descobriam (...)
25.Nov.15

Surrealismo presidencial

mparaujo
publicado na edição de hoje, 25 de novembro, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Surrealismo presidencial Haveria ainda lugar a alguma dúvida e alguma expectativa quanto à forma como Cavaco Silva lidaria com esta fase do processo de indigitação de eventual novo governo, depois da Assembleia da República ter chumbado o XX Governo (...)
23.Nov.15

O surrealismo presidencial

mparaujo
Haveria ainda lugar a alguma dúvida e alguma expectativa quanto à forma como Cavaco Silva lidaria com esta fase do processo de indigitação de eventual novo governo. O que não seria expectável para a maioria dos portugueses é que, em pleno final de mandato, o país descobrisse capacidades inovadoras e imaginativas tão (...)
22.Nov.15

O ‘reviralho’ político

mparaujo
Publicado na edição de hoje, 22 de novembro, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos O ‘reviralho’ político A expressão “reviralho político” foi usada por Pedro Passos Coelho há pouco mais de uma semana para espelhar a crítica à apresentação de um governo de maioria de esquerda. Indo mais longe, a expressão é feliz porque, de (...)
25.Out.15

A machadada presidencial

mparaujo
publicado na edição de hoje, 25 de outubro, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos A machadada presidencial A legitimidade da indigitação de Passos Coelho como Primeiro-ministro é um acto da maior elevação constitucional e democrática. A legitimidade da indigitação de António Costa para Primeiro-ministro não é (...)
23.Out.15

A democracia de Cavaco Silva à moda de Rio Maior

mparaujo
Já o afirmei por diversas vezes que a legitimidade da indigitação de Passos Coelho como Primeiro-ministro seria um acto da maior elevação constitucional e democrática. Já o afirmei por diversas vezes que a legitimidade da indigitação de António Costa para Primeiro-ministro não era uma questão de inconstitucionalidade mas sim de (...)
14.Jun.15

Quatro recados à Nação

mparaujo
publicado na edição de hoje, 14 de junho, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Quatro recados à Nação Cavaco Silva proferiu, como Presidente da República, o seu último discurso oficial do Dia de Portugal, Camões e das Comunidades Portuguesas, na passada quarta-feira, em Lamego. Por norma, sempre que o Presidente da República em (...)
20.Mar.15

Cavaco Silva e a sucessão

mparaujo
Há poucos dias Cavaco Silva pronunciava-se quanto ao perfil do próximo Presidente da República, na sua opinião. Houve quem bradasse aos céus porque Cavaco Silva estava a fazer lembrar a "herança ao trono" nos tempos da monarquia, que estava a reduzir e a menorizar o papel e a função do Presidente da República; etc., etc. É já (...)
27.Nov.14

Somos ou não somos bem vistos?

mparaujo
O Presidente da República, em visita oficial aos Emirados Árabes Unidos, entre questões directamente relacionadas com o objectivo da viagem, acedeu a comentar o caso da detenção de José Sócrates. Ou melhor... já que Cavaco Silva sempre nos habituou a nada dizer: a comentar o impacto que a detenção do ex Primeiro-ministro possa ter para (...)
17.Set.14

Caderno de Notas - apontamentos I

mparaujo
publicado na edição de hoje, 17 de setembro, do Diário de Aveiro. Caderno de Notas Apontamentos I 1. O defraudar político de Marinho e Pinto Neste espaço foram já várias as notas que deixei relacionadas quer com o rescaldo das eleições europeias de maio passado, quer com as posições de abandono e de defraudar assumidas pelo cabeça de lista eleito eurodeputado (e demissionário) pelo MPT. Mas Marinho e Pinto é uma pessoa claramente insatisfeita. Poder ou querer capitalizar (...)
14.Set.14

"Olhar a Semana"... o resumo

mparaujo
Três notas para este resumo semanal (semana 37)… 1. O defraudar político de Marinho e Pinto O Francisco Castelo Branco, na sua escala das “Figuras da Semana XVI” coloca o ex-bastonário da Ordem dos Advogados, Marinho e Pinto, a meio da “tabela”. Do meu ponto de vista, o Francisco é um mãos largas. Pessoalmente acho que Marinho e Pinto deveria ficar ainda bem (...)
06.Abr.14

O país das incongruências

mparaujo
Publicado na edição de hoje, 6 de abril, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos O país das incongruências Há um princípio para mim fundamental na firmação da democracia e na sustentação do exercício da cidadania no espaço público: o da liberdade de opinião e expressão. Acresce, por força da formação, o da liberdade de informação. No entanto, apesar da defesa intransigente deste princípio fundamental, tem-se assistido na sociedade portuguesa, e aqui cabem vários (...)
29.Jan.14

Referendo nas ‘mãos’ do Constitucional

mparaujo
Mais uma vez… O Tribunal Constitucional (TC) terá sobre si a responsabilidade de se pronunciar (e, eventualmente, decidir) sobre mais uma “embrulhada” política. E depois, vêm os políticos queixarem-se do Tribunal Constitucional. O TC não tem, na sua missão e objectivos, a função de fazer “fretes” ao Governo, à Assembleia da República ou ao Presidente da República. Ao TC cabe a responsabilidade de ser o guardião dos direitos, liberdade e garantias e da Constituição (...)
22.Jan.14

Há uns e há outros…

mparaujo
Há, obviamente, questões do foro jurídico e do direito penal implícitas nesta questão. Não vou sequer comentar a decisão óbvia do Ministério Público, sustentada no código penal e no facto do direito considerar crime público as ofensas ao Presidente da República (e não só). Esse é um pormenor jurídico e da justiça. No entanto, nesta vertente da justiça é que reside o busílis da questão. Não me interessa as pessoas (nomes, questões pessoais, ...). Não me dizem, (...)
08.Jan.14

As incoerências de Belém

mparaujo
publicado na edição de hoje, 8 de janeiro, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos As incoerências de Belém O que mudou entre 2013 e 2014 para que Cavaco Silva promulgasse o Orçamento de Estado sem que o tenha enviado para fiscalização do Tribunal Constitucional? Nada. A não ser a incoerências políticas a que Cavaco Silva sempre nos habituou, desde que se sentou na cadeira do Palácio de Belém. Ainda em novembro último foi extremamente zeloso no envio para o Tribunal (...)
03.Jan.14

Ano Novo. Vida… difícil

mparaujo
Publicado na edição de hoje, 3 de janeiro de 2014, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Ano Novo. Vida… difícil Ao chegar o final de cada ano surge a inevitável tentação da comunicação social em fazer os tradicionais balanços, as análises e resumos. Mas com a entrada no novo ano/ciclo importa deixar o passado e olhar o futuro. Mas que futuro? Sem entrar em dramatismos ou em contextualizações catastróficas, a verdade e o realismo dão-nos conta de um ano de 2014 muito (...)