Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

30.Mai.20

Seja qual for a dimensão pandémica da realidade... há pessoas a morrer.

Mereciam melhor comunicação. Porque a comunicação importa em tempos de pandemia.

mparaujo
Num contexto tão particularmente excepcional como o que vivemos desde fevereiro (pelo menos) o maior ou menor sucesso das medidas de excepção que importa implementar para a mitigação deste (ou de outro) surto pandémico como a COVID-19 depende, em grande parte, da forma como o colectivo, a sociedade, encara a realidade e assume a gravidade dos factos e do contexto. Questões sem resposta, interrogações com respostas dúbias ou generalidades, indefinições ou, ainda mais grave, (...)
04.Mar.20

Coronavírus nacional: a contagem

mparaujo
(créditos: Anthony Wallace/AFP, in CBN) A Directora-Geral da Saúde, Graça Freitas, numa das excessivas e dispensáveis conferências de imprensa sobre o COVID-19, afirmou que seria expectável que Portugal pudesse, no limite, ter cerca de 1 milhão de infectados (em vários graus de intensidade)... o que representa 10% da população nacional. Valor apontado face ao que foi a previsão da epidemia da gripe em 2009 (fixada em 7% na avaliação final). Perfeitamente lógico e enquadrado. Voltemo (...)
01.Mar.20

Diagnóstico: virose alarmista e informativa

mparaujo
(créditos: LUSA, in Sapo lifestyle) Uma epidemia ou uma pandemia, tendo níveis de impacto diferenciados, não deixam de ser preocupantes e merecem particular atenção. O que é diferente de alarmismo e histerismo social. O COVID-19 (uma das formas e estirpe do Coronavirus... que existe há alguns anos e que, por exemplo, se manifesta, sazonalmente, em Portugal através das gripes, pneumonias e viroses de inverno) já infectou cerca de 80.000 pessoas e vitimou perto de 3.000 (...)
10.Jun.19

O dito pelo (não) dito... (6)

mparaujo
ou, de outra forma: "nem uma coisa, nem outra... antes pelo contrário". Desbloqueador de frases públicas. Numa primeira reacção à notícia divulgada pelo jornal Público que dava conta que Vítor Constâncio terá dado luz verde para que Joe Berardo pudesse levantar 350 milhões da Caixa Geral de Depósitos, o ex-Governador do Banco de Portugal afirmou, no twitter: "não tenho memória disso". Acrescentando ainda: "(...)nem de nada do género que tenha acontecido há 15 anos". Percebo (...)
08.Abr.19

O dito pelo (não) dito... (5)

mparaujo
ou, de outra forma: "nem uma coisa, nem outra... antes pelo contrário". Desbloqueador de frases públicas (as frases de 3 semanas ou alguns dias mais...). Assunção Cristas: «O CDS está mais uma vez um passo à frente com aprovação dos cabeças de lista às legislativas». (fonte: DN 07-04-2019) O CDS está é claramente fora do contexto (a pouco mais de 1 mês das eleições europeias) e fora do tempo (as legislativas são em outubro e ainda há pelo meio as regionais na Madeira).An (...)
05.Mar.19

O dito pelo (não) dito... (4)

mparaujo
ou, de outra forma: "nem uma coisa, nem outra... antes pelo contrário". Desbloqueador de frases públicas (as frases da semana e alguns dias mais...). Nota prévia... O Bloco de Esquerda comemorou, no dia 1 de março, 20 anos de existência. PSR, ex MDP/CDE (Política XXI) e UDP, juntando quatro mentores (Francisco Louçã, Miguel Portas, Fernando Rosas e Luís Fazenda, formaram o novo partido "à esquerdas das esquerdas" que agregou vontades e conceitos. Diga-se com três (...)
20.Mai.18

E se Bruno de Carvalho tiver (alguma) razão.

mparaujo
Não... não é ironia, piada ou brincadeira. Infelizmente... é verdade. Independentemente de outras análises que não me interessam rigorosamente, na longa (ou extensíssima) entrevista de ontem de Bruno de Carvalho, entre vários "disparos", o presidente do Sporting Clube de Portugal apontou baterias à Comunicação Social. Infelizmente tinha razão... não propriamente pelos motivos apontados, mas teve razão. Obviamente que não cabe toda a responsabilidade pela actual situação (...)
17.Mai.18

Oportunidade de reflexão

mparaujo
Isto continua a não ser um texto sobre futebol mas sim sobre "bola". O caso das agressões em Alcochete continua a marcar a agenda informativa, mediática e a encher as redes sociais. Por mais que nos queiramos abstrair, por mais não consiga perceber como é que ainda há quem ache isto "não normal" e esteja chocado (salvaguardando o ataque em si, como é óbvio) e por mais que queira pensar em coisas sérias, isto não está fácil. Vê-se na televisão... fecha-se a televisão ouve-se (...)
15.Mai.18

Isto não é normal...

mparaujo
Este texto não é sobre futebol... é sobre "bola". No que se tornou o meio futebolístico, dentro e fora das quatro linhas, nos últimos anos, mais propriamente no decorrer da presente época que se aproxima do seu final, perspectivava, mais dia, menos dia, mais acontecimento, menos acontecimento, a ocorrência de situações como a que se vive no dia de hoje. Por mais que muitos (infelizmente, muitos mesmo) bradem aos céus que isto não é normal (qualquer tipo de violência não é (...)
24.Nov.17

De repente há algo que nos inquieta

mparaujo
Dois anos de idade separavam-nos... Cinco anos separam o dia em que o programa "Janela Indiscreta" da Antena 1, com a assinatura e mestria do Pedro Rolo Duarte, destacavam este blogue e um artigo publicado no Diário de Aveiro. Entre a surpresa e a modéstia do orgulho e da honra ficava, relevantemente, a consideração e o rspeito pelo profissional e pelo seu trabalho, algo que foi depois (...)
21.Ago.17

No tenim por

mparaujo
publicado excepcionalmente na edição de hoje, 21 Agosto, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos No tenim por (*) Os últimos e recentes momentos são de luto, de dor e de tragédia: incêndios, devastação, mortes, ataques terroristas. Foi no Pinhal Interior, no interior centro e sul do país, na Madeira, em Barcelona e em Cambrils (acrescentando-se ainda, com contornos por clarificar à hora da escrita deste texto, o atentado em Turku, na Finlândia). No caso das Ramblas e Cambrils, (...)
30.Dez.16

Não há mau jornalismo... ou há jornalismo ou não há jornalismo.

mparaujo
Entendo que, pessoalmente, não faz sentido tecer qualquer tipo de considerações sobre Mário Soares (Presidente Mário Soares ou ex-Presidente Mário Soares, como quiserem) sob pena de tornar a ser repetitivo quando, de facto, se constatar o natural desfecho de qualquer vida humana, independentemente das circunstâncias. Vou, por isso mesmo, abster-me de me posicionar em relação a Mário Soares, por enquanto e apesar de não me ser indiferente o seu estado de saúde. Além disso, não (...)
26.Out.16

Uma questão de rigor na informação

mparaujo
À comunicação social exige-se verdade e rigor, mais até que isenção (que serão outras núpcias). Aliás, é a própria comunicação social que autodetermina essa mesma necessidade (nos dispositivos legislativos, na ética, na deontologia). Muito recentemente foi noticiada, a propósito de habilitações académicas, a demissão de um dos adjuntos do (...)
12.Jul.16

30 anos "no ar"... parabéns Terra Nova

mparaujo
Há mais de trinta anos havia as rádios piratas (rádios locais) onde tanta gente, como eu, se iniciou nas lides da rádio, da locução, da técnica, do jornalismos, dos programas de autor (quase todos, aliás). A 12 de julho de 1986 nascia mais uma, sem "baptismo", mas que seria a génese da Rádio Terra Nova. Depois, há 28 anos, fez-se "luz" na (...)
03.Mai.16

Dia Mundial da Liberdade de Imprensa

mparaujo
O dia 3 de maio assinala o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa. O direito a informar e a ser informado de forma livre, sem pressões ou constrangimentos. Qualquer democracia e Estado de Direito precisam, na sua estrutura, de uma comunicação social independente, livre, atenta, rigorosa e que fale, acima de tudo, verdade. Importa, (...)
18.Mar.16

Dia cinzento... e não é da chuva

mparaujo
Há quem diga que é fruto de novos tempos e de novas exigências. Eu acredito mais que será tempo de repensar e reformular, o que não implica que se mantenham as mesmas plataformas. Mas também penso que é tempo de reflectir sobre tutelas, modelos de gestão, realidades laborais, profissionalismo e ética deontológica. Mas independentemente de qualquer ou toda a reflexão, é tempo de preocupação. Preocupação pelo pluralismo, pela diversidade, pela informação. Preocupação pelo (...)
24.Fev.16

Porque todos fazem falta... também o Diário Económico

mparaujo
Não é fácil fazer vingar no panorama informativo uma marca com características de especificidade, ainda mais se a particularidade for a economia. Mesmo que a economia se confronte, no dia-a-dia, com a política para a primazia no "espaço público" e na gestão das sociedades, a verdade é que a tecnicidade e uma área pouco acessível à maioria (...)
18.Fev.16

Que a VOZ não se cale

mparaujo
Por uma questão de solidariedade... Pelos dois anos e meio que fiz parte do projecto... Por uma questão de justiça pelo inquestionável valor informativo que presta à região... Pelos inúmeros amigos e camaradas... Que a "VOZ" da Rádio Terra Nova não se cale... Não pode ser um temporal, uma antena caída, um mero azar (alguns dirão "do caraças", curiosamente na altura da comemoração do Dia da Rádio) que fará tombar um projecto de décadas, um projecto que se mantém fiel ao (...)
17.Fev.16

Que a memória não apague, nem esqueça.

mparaujo
Ninguém é insubstituível... embora a máxima, em relação à vida, seja, no mínimo, questionável. Mas no que respeita à sociedade (ao trabalho, à escola, ao círculo de amigos ou de acção) isso será verdade. Uns surgem, outros deixam espaços vazios, mas com mais ou menos esforço há sempre forma de substituir mesmo correndo-se o risco de não (...)