Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

01.Set.12

A (minha) Mira-técnica

mparaujo
Antes de mais, para que conste como declaração de interesse, tenho amigos, conhecidos e referências na RTP, na SIC ou na TVI, nomeadamente no que respeita a jornalistas (mas não só). Não importa sequer discutir qualidade e profissionalismo, porque, como em todas as profissões e empresas, há bons, menos bons e maus profissionais (seja qual for a área). Sobre isso, não (...)
29.Ago.12

Há quem goste de falar... por falar.

mparaujo
A Juventude Popular (para fazer jus ao nome) aproveita o mediatismo do caso RTP para vir a terreiro dar nas vistas com considerável populismo. Diga-se, aliás, de forma algo contraproducente, dada a reacção contrária do Partido (dos mais crescidos). Para os Jotas centristas, a Administração da RTP deveria apresentar a sua demissão (pasme-se) por ter criticado publicamente “o maior accionista” da empresa, o Estado (...)
26.Ago.12

PS "marca" pontos quando Seguro não abre a boca...

mparaujo
Enquanto António José Seguro foi-se reservando e mantendo em silêncio, apesar das férias, o PS subiu, mesmo que ligeiramente, nas sondagens (é certo que a par do CDS). Quando José Seguro decide pisar a ribalta, está tudo estragado (com as anteriores sondagens que mostravam uma subida à esquerda - PCP e BE - e o PS a manter o mesmo sentido de voto das eleições de 2011). E a realidade regressa agora com o caso RTP. O líder socialista, António José Seguro afirmou publicamente (...)
26.Ago.12

RTP, uma matemática que não entendo!

mparaujo
Antes de entrar propriamente numa análise/opinião sobre o processo anunciado (embora ainda não confirmado ou desmentido) de concessão da RTP e encerramento da RTP2: a vertente comunicacional e a vertente política. No entanto, há um aspecto, aparentemente, simples mas que me provoca uma angustiante dúvida e dificuldade de percepção. O director-geral da RTP, Luís Marinho (...)