Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

15.Abr.18

O défice é de Centeno e não se mexe

mparaujo
O Orçamento de Estado para este ano de 2018 previa um défice na ordem dos 1,1%. Mário Centeno, não querendo defraudar as expectativas geradas em torno das suas aptidões financeiras que o levaram até à liderança do Eurogrupo, convenceu PS e Governo (e pelos vistos também Rui Rio) a reverem, em baixa, o valor do défice orçamental de 2018. Na apresentação do Programa de Estabilidade e Crescimento 2018-2022, o ministro das Finanças fixava o valor do défice em 0,7% (...)
28.Fev.18

A (má) tendência para "apagar" a história

mparaujo
António Costa afirmou hoje que «os bons resultados económicos não são obra do acaso mas das políticas» implementadas. Quase que corria o "risco" de concordar com o Primeiro-ministro, o que face à conjuntura que se avizinha com a nova política de oposição do PSD até nem seria nada de extraordinário ou comprometedor. Mas o problema é que António Costa recorre a um mau hábito do PS: o tradicional recurso socialista ao desvalorizar dos factos e da história política, (...)
09.Ago.17

A factura há-de chegar para ser paga

mparaujo
publicado na edição e hoje, 9 de agosto, do Diário de Aveiro Debaixo dos Arcos A factura há-de chegar para ser paga Vem bem a propósito, nesta semana, a expressão que serve de resumo à entrevista de Daniel Oliveira ao jornal i. O ex-dirigente do Bloco de Esquerda afirmou que “no dia em que o Partido Socialista conseguir maioria absoluta, a geringonça acabou”. A afirmação tem acrescido impacto numa semana (há cinco dias) em que é conhecida a sondagem (...)
01.Ago.17

Uma season pouco silly

mparaujo
Ciclicamente o verão ou as férias políticas de verão são marcadas pela chamada silly season, período (a)normalmente preenchido com faitdivers que apenas servem para ocupar o tempo "morto" e "morno" das férias. Este ano é excepção à regra: a tragédia de Pedrogão Grande, Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pêra, à qual se junta o recente incêndio de Mação; o roubo de armamento de Tancos; a Caixa Geral de Depósitos; a crise na Venezuela; as viagens, as várias viagens; a (...)
16.Jul.17

Obviamente… demita-se o défice

mparaujo
publicado na edição de hoje, 16 de julho, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Obviamente… demita-se o défice O cumprimento, nos últimos anos, das metas do défice impostas pelas regras europeias; a perspectiva de Portugal poder cumprir, neste ano de 2017, mais um objectivo no controle das contas públicas; a anunciada saída do país do Procedimento por Défice Excessivo; são, obviamente, excelentes notícias apesar das dúvidas no que respeita às cativações, ao aumento da (...)
11.Jun.17

A realidade que nos trama

mparaujo
publicado na edição de hoje, 11 de junho, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos A realidade que nos trama Não vale a pena renegar o óbvio. Os dados são o que são e confirmam os factos. Portugal baixou significativamente o défice das contas públicas, para muitos inesperadamente, fixando o valor em 2,1%, tendo sido revisto em baixa pelo INE para os 2% (recordemos que esse valor em 2010 situava-se acima dos 11% e o Governo aponta para que o défice de 2017 ronde os 1,6%); o ano de (...)
24.Mai.17

A partidarite e a política

mparaujo
publicado na edição de hoje, 24 de maio, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos A partidarite e a política Esta semana teve um início verdadeiramente importante para Portugal e para a consolidação das suas contas públicas. A segunda-feira ficou marcada pela proposta de recomendação da Comissão Europeia para a retirada de Portugal do Procedimento por Défice Excessivo. Após dois incumprimentos das metas do défice acima dos 3% estabelecidas pelos sucessivos PEC’s (2001 com (...)
26.Mar.17

O lado ‘B’ orçamental

mparaujo
publicado na edição de hoje, 26 de março, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos O lado ‘B’ orçamental Independentemente das convicções da oposição e das dúvidas dos parceiros da coligação parlamentar que suporta o Governo, 2016 registou o histórico défice orçamental de 2,1% do PIB. Foi assim encerrada a contabilidade orçamental de 2016, sustentada no relatório do INE, e que regista o marco de ser, nos últimos 42 anos, o défice mais baixo alguma vez conseguido por (...)
03.Fev.15

Afinal, nem pela metade

mparaujo
Os resultados das recentes eleições gregas criaram uma onda de efeitos sistémicos, em função de interesses e convicções diversas. Para uns, tudo não passou de demagogia eleitoral, de falta de percepção da realidade económico-financeira do país, de um "conto infantil".Para outros, as posições assumidas pelo Syriza, em plena campanha eleitoral e que o novo governo grego promete não abandonar (pelos vistos está apenas a negociar e a ser mais moderado), concretamente as que se (...)
13.Nov.14

As supresas da ministra das Finanças.

mparaujo
Sim... a época que se avizinha é propícia a surpresas. Mesmo para aqueles que não receberão subsídio de Natal (descontado em duodécimos ao longo do ano) ou para aqueles para quem o Natal, por convicção, nada diz ou por "situação" (desemprego, doença, etc.) irá "passar ao lado". A época, para além da festividade (religiosa ou pagã), (...)
21.Fev.14

E esta gente governa-nos...

mparaujo
Isto é a sério??? Esta capa do JN da edição de hoje (21.02.2014) só pode ser "brincadeira de Carnaval"... Como é possível que alguém com responsabilidades políticas acrescidas (líder da bancada parlamentar do PSD, Luís Montenegro) tenha uma afirmação destas: "A vida das pessoas não está melhor mas o país está muito melhor". Logo no arranque do 35º congresso (...)
29.Jan.14

Verdade seja dita...

mparaujo
Publicado na edição de hoje, 29 de janeiro, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Verdade seja dita... A bem da verdade... o défice orçamental de 2013 situou-se nos 4,6%  (7.152 M€) face aos 5,5% definidos no programa de ajustamento assinado com a Troika. Este é um facto. E tal como diz o povo: “contra factos não há argumentos”. Mas se calhar, há. O passado dia 23, dando origem aos mais frenéticos confrontos político-partidários, ficou marcado pela divulgação do (...)
24.Jan.14

Coisas com défice

mparaujo
A bem da verdade... O dia de ontem, e que deu origem aos mais veementes confrontos político-partidários, ficou marcado pela divulgação do resultado final da execução orçamental referente ao ano de 2013, fixando o défice das contas públicas em 4,6% (0,9% abaixo da meta orçamental imposta pela Troika e que era de 5,5%). Este é um facto ao qual não podemos ficar alheios. Queiramos, quer não… gostemos ou não, a verdade é que o Governo cumpriu e consegui atingir a meta (...)
02.Jun.13

Isto afinal anda tudo ligado

mparaujo
Publicado na edição de hoje, 2 de junho, do Diário de Aveiro. Entre a Proa e a Ré Isto afinal anda tudo ligado O pior que pode acontecer a um Governo, mais do que a antipatia gerada pelas políticas que implementa e a gestão governativa que efectua, é a perda de credibilidade e o desrespeito para com os cidadãos que governa, independentemente de o terem elegido ou não. Já tínhamos tido a infeliz experiência da rotulagem dos portugueses como piegas, de recomendar aos jovens e (...)
29.Mai.13

Nas pequenas coisas está a grande diferença

mparaujo
Publicado na edição de hoje, 29 de maio, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Nas pequenas coisas está a grande diferença Nesta segunda-feira Portugal recebeu a visita do presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem. Para além das audiências que teve com o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e com o Presidente da República, Cavaco Silva, o igualmente ministro das (...)
27.Mar.13

Três ‘balelas’ políticas

mparaujo
Publicado na edição de hoje, 27 de março, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Três ‘balelas’ políticas 1. Dois partidos políticos que compõem uma coligação não têm forçosamente de estar em plena comunhão de ideias. Mas o que não pode existir é uma diferenciação nos objectivos que provoquem rumos diferentes. Por outro lado, é óbvio que a partilha do poder pressupõe cumplicidade e co-responsabilidade nos actos, nas medidas e nas políticas. De outro modo é (...)
02.Set.12

O futuro é já hoje

mparaujo
Publicado na edição de hoje, 2 de setembro, do Diário de Aveiro. Entre a Proa e a Ré O futuro é já hoje O mês de setembro inicia-se centrado em inúmeras interrogações e inquietações. E não me estou a referir ao tradicional regresso às aulas, a maioria das vezes mais “traumático” para os pais do que para os filhos (as preocupações com o ensino, com os horários, com as refeições, com as (...)
26.Ago.12

Pimenta nos rabinhos dos outros é refresco...

mparaujo
  Não resisti à tentação do dito popular, que, para o caso em questão, havia uma lista interminável: "cisco no olho do outro"; "quem ri por último ri melhor"; "mais depressa se apanha um mentiroso do que um coxo"; etc.; etc. Quando foi "descoberto" e divulgado publicamente o buraco colossal do défice das contas da Madeira, nas "vizinhas" ilhas açorianas foi dia de festa (...)