Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

16.Fev.20

As dúvidas sobre um país hipocritamente racista

mparaujo
Já há alguns anos que tenho como certeza pessoal que o futebol é uma realidade e um contexto no qual a vertente desportiva é apenas residual: é um meandro obscuro, tenebroso, impune, tormentoso, lamacento e pantanoso, acima da lei e da sociedade. Mas infelizmente, não é propriamente sobre um jogo, 11 contra 11, um penálti que não foi marcado, um golo que foi anulado. É sobre o reflexo de uma sociedade espelhada num lamentável e condenável episódio que ocorreu no jogo Vitória (...)
15.Fev.20

#NamorarNãoÉSerDon@

mparaujo
O Governo lançou, há poucos dias, a nova campanha "#NamorarNãoÉSerDon@" que tem como objectivo "educar e capacitar jovens para melhor identificarem e rejeitarem comportamentos de violência em relações de namoro, incluindo violência física, sexual, psicológica, e nas redes sociais", segundo Rosa Monteiro, Secretária de Estado da Cidadania e da Igualdade de Género, sob tutela da Ministra da (...)
02.Set.18

Repitam comigo: são Direitos e Direitos Humanos, estúpido!

mparaujo
Somos relativamente permissivos e influenciáveis pelo mediatismo e pelo colectivismo no que toca à tragédia, à desgraça e à morte. Forma muitos os que assumiram a corrente do "Je Suis Charlie" quando em janeiro de 2015 se deu a barbárie do atentado ao jornal satírico francês Charlie Hebdo. Mesmo que até à data grande parte nunca tivesse ouvido falar do jornal, nem das suas posições editoriais significativamente polémicas (nomeadamente no que respeita às religiões e (...)
10.Dez.17

Câmara Municipal de Ílhavo em defesa dos Direitos Humanos

mparaujo
Para recordar... Artigo 1º Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. A Câmara Municipal de Ílhavo agendou para a próxima quarta-feira, 13 de dezembro, um importante momento de promoção e defesa dos direitos fundamentais: o direito à igualdade. O Pelouro da Juventude da autarquia, através do Fórum Municipal da Juventude, vai promover mais uma importante acção "Falar+", (...)
29.Nov.17

Escravatura em pleno século XXI

mparaujo
(crédito da foto: Getty) Basta percorrer a página portuguesa da Aministia Internacional (deveria ser um hábito para todos) para percebermos que o Mundo tem permanentes conflitos que condicionam, atropelam e ofendem os mais básico, elementares e fundamentais Direitos Humanos. Conflitos que, infelizmente, passam longe dos holofotes do mediatismo, passam longe da "nossa porta", mas que merecem especial e cuidada atenção e acção: o desrespeito pela dignidade da vida humana (Farid (...)
05.Nov.17

Não há “meias” desigualdades

mparaujo
publicado na edição de hoje, 5 de novembro, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Não há “meias” desigualdades Ou há, de facto, desigualdade, diferença, discrepância no tratamento e nas oportunidades, descriminação… ou não há. Em 2016 a Comissão Europeia instituiu o dia 2 de novembro como o Dia Europeu pela Igualdade Salarial. Portugal transferiu a data que se celebrava em março para este dia, adoptando assim a decisão da União Europeia. É pena que António Costa, (...)
03.Out.17

A decepção eleitoral: a machadada na democracia.

mparaujo
Uma das conquistas que o 25 de Abril de 74 deu ao país e que o 25 de Novembro de 75 (nomeadamente este) legitimou democraticamente foi o direito de participação activa dos cidadãos na "esfera pública", nomeadamente através do voto e da sua representatividade democrática. Através dele os cidadãos sentem-se no legítimo direito constitucional de eleger e ser eleito, de expressar a sua livre opção política perante os destinos e o futuro do país e das diversas comunidades. Mas (...)