Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

02.Nov.17

Expliquem-me como se tivesse 5 anos...

mparaujo
até pode ser com um desenho para facilitar e eu perceber melhor. Em 2016 a Comissão Europeia instituiu o dia 2 de novembro como o Dia Europeu pela Igualdade Salarial. Portugal transferiu a data que se celebrava em março para este dia, adoptando assim a decisão da União Europeia. É pena que António Costa, a despropósito e sem aparente razão política, tenha substituído Catarina Marcelino, então Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade de Género (diga-se com um (...)
08.Mar.17

Um dos piores dias do ano...

mparaujo
8 de março... Dia Internacional da Mulher. A luta teve início ainda no século XIX, por volta de 1909 ou 1910. Prolongou-se por anos e anos a fio, sem ver, em pleno século XXI, em 2017, o seu fim. Só em 1977 a ONU reconheceu o Dia Internacional da Mulher (fixando a data neste dia 8 de março) sem que, hoje, o dia seja celebrado em todo o mundo (longe disso... 67 países dos 193). Volvidos 107 anos, chegados a 2017, este é um dia de vergonha para as sociedades e as comunidades (recordando o que já aqui referi há seis dias (...)
02.Mar.17

A questão de altura, força e QI.

mparaujo
Ou melhor dizendo... como a estupidez humana nos revela seres abomináveis e deploráveis. E não é, infelizmente, de tempos a tempos... é regular e frequentemente. A notícia é, em primeira instância, revelada pelo El País (a fonte recolhida é através do Diário de Notícias). Um eurodeputado polaco, Janusz Korwin-Mikke, em pleno Parlamento (...)
13.Mar.16

Hoje há história para além da "partidocracite"

mparaujo
A propósito do Congresso do CDS que elegeu ou confirmou Assunção Cristas na liderança centrista após a saída de Paulo Portas. Sem qualquer pretensão analítica, do ponto de vista político, este congresso do CDS que marca uma difícil e imprevisível era "pós-Portas" fez-me recuar até ao "day after" das eleições presidenciais de janeiro passado e às infelizes (no mínimo) referências de Jerónimo Sousa à candidatura de Marisa Matias pelo Bloco de Esquerda. E fez-me recordar (...)
25.Nov.15

Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres

mparaujo
Apesar do ano de 2015 (que ainda não terminou) registar um decréscimo no número de mortes (menos 14 que em 2014) que resultaram de violência contra as mulheres (não só a doméstica, entenda-se), 27 mulheres assassinadas são sempre números que envergonham em pleno século XXI ( 2,5 mortes/mês). Bastava uma para a indignação... simplesmente. A par destes números avançados pelo Observatório de Mulheres Assassinadas (OMA) acresce ainda 33 vítimas de tentativa de homicídio. Para (...)
03.Ago.14

Virado do avesso

mparaujo
publicado na edição de hoje, 3 Agosto, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Virado do avesso A agenda mediática tem um duplo impacto. O primeiro tem a faculdade de focar a opinião pública num assunto/tema relevante no momento. O segundo tem o revés de desviar a atenção sobre outras realidades. Recordando o ditado: foca a árvore e esquece a floresta. O recente caso do BES tem essa vertente mediática. Sendo certo que o assunto é de relevante importância nacional, pelos (...)
25.Nov.13

25 de Novembro é dia de... (II)

mparaujo
ainda pelas liberdades... Hoje (também) é Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres. Como a maior parte das datas/efemérides não deixa de ter um valor simbólico. A questão prende-se com a dimensão desse simbolismo. É uma clara chamada de atenção pelo forma como são "atropelados" os mais elemenatres direitos humanos, ao caso contra as Mulheres. Entretan (...)
08.Out.11

Nobel da Paz tri-partido e no feminino

mparaujo
Depois do polémico e questionável (criticado por muitos sectores) Nobel da Paz de 2009 atribuído a Barack Obama (após a sua eleição como presidente dos estado Unidos da América), o Instituto Nobel norueguês decidiu retomar as justas causas da luta e da promoção da Paz, dos direitos e da dignidade humana, como valores fundamentais que sustentam a atribuição do galardão do Nobel da Paz (algo que já tinha acontecido no ano anterior com o mérito atribuído a Liu Xiaobo, da China). P (...)