Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

09.Jan.19

Não pagamos! Não pagamos!

mparaujo
As lutas estudantis de 1992 e 1994 foram marcadas pela contestação nacional, não só contra as propinas (concretamente contra o seu aumento) mas contra o próprio sistema de ensino, nomeadamente no acesso às universidades (onde se incluía, por exemplo, a Prova geral de Acesso - PGA). Foram as manifestações de rua, as barricadas nas escolas, a tentativa de acesso à escadaria da Assembleia de República e, até, o baixar de calças perante a reunião com a ministra da Educação à (...)
15.Nov.17

das Fakenews (notícias falsas ou manipuladas)

mparaujo
Este é um termo a que já nos habituámos no dia-a-dia informativo, político e social e não me espanta nada que seja uma das palavras para a Porto Editora colocar em lista para "palavra do ano", mesmo que "afectos presidenciais" seja uma inquestionável candidata à vitória. E Portugal não escapou a este fenómeno das fakenews. Ontem, a imprensa noticiava o internamento do Ministro da Educação por tempo indeterminado face ao diagnóstico (significativo, diga-se) de síndrome (...)
09.Nov.17

Uma vida não tem preço... muito menos a de uma criança.

mparaujo
A solidariedade e a defesa dos direitos fundamentais e da dignidade humana de qualquer cidadão, por razões acrescidas quando se trata de crianças, não deve conhecer fronteiras nem distâncias. No Gana, bem no coração dessa África esquecida e explorada, os pais vendem os seus filhos por menos de 30 euros a traficantes que os revendem aos pescadores do Lago Volta. Estas crianças são obrigadas a trabalhar 14 horas por dia, 7 dias por semana, a troco de um único prato de mandioca. (...)
15.Mar.17

Mercantilização do ensino

mparaujo
publicado na edição de hoje, 15 de março, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Mercantilização do ensino A educação era uma bandeira e uma paixão nas anteriores governações socialistas, como por exemplo, no governo de António Guterres. Na actual governação a educação foi “cavalo de batalha” frente ao ensino privado, mais por força ideológica e imposição do Bloco de Esquerda do que propriamente por vontade programática do PS. Actualmente, o descontentamento face (...)
30.Set.16

Bolsas (de)mérito

mparaujo
publicado na edição de hoje, 30 de setembro, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Bolsas (de)mérito Não pretendo tecer qualquer consideração sobre o conflito entre a defesa da Escola Pública e a defesa da Escola Privada com subsidiação estatal. Entendo que era, e é, uma questão relevante mas desvirtuada pelo extremismo das (...)
14.Set.16

A meia verdade e a demagogia política

mparaujo
publicado na edição de hoje, 14 de setembro, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos A meia verdade e a demagogia política A propósito da publicação das listas com as candidaturas ao ensino superior e o aproximar de mais um ano lectivo o Primeiro-ministro afirmou que «o aumento de colocações no ensino superior registado este ano representa a morte do (...)
22.Mai.16

Tapar o sol com a ideologia

mparaujo
publicado na edição de hoje, 22 de maio, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Tapar o sol com a ideologia Afigurava-se como inevitável a abordagem à temática dos contractos de associação entre o Estado/Ministério da Educação e os Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo. O que me intriga mais neste processo e me (...)
11.Mar.15

Chumbar ou não chumbar… eis a questão.

mparaujo
publicado na edição de hoje, 11 de março, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Chumbar ou não chumbar… eis a questão. Há, em primeiro lugar, a necessidade de simplificar a questão da meritocracia escolar. Esta não tem a ver com o facto de existirem ou não “retenções escolares” por força dos ‘chumbos’, criando-se aqui a barreira entre os que têm mérito e excelentes notas e os preguiçosos. A meritocracia escolar, a valorização do empenho e do saber, o (...)
05.Out.14

Caderno de Notas - Apontamentos III

mparaujo
Publicado na edição de hoje, 5 de outubro, do Diário de Aveiro Caderno de Notas Apontamentos III A semana em resumo (29 de setembro a 4 de outubro) 1. O poder de Costa Após a inquestionável e esmagadora vitória de António Costa nas primárias de domingo passado, o candidato socialista a primeiro-ministro e, eventualmente, a secretário-geral do partido, não perdeu tempo a movimentar as suas peças no xadrez político do PS. Com a anunciada candidatura de Álvaro Beleza (...)
19.Set.14

A ler os outros... as desculpas "não-desculpa"

mparaujo
Há um velho ditado que diz: "as desculpas não se pedem... evitam-se". O ditado cai por terra quando os erros assumem uma realidade factual, quando acontecem. O ditado cai por terra quando, em contexto político, as desculpas servem para desviar responsabilidades, para o não assumir essas mesmas responsabilidades. Tudo isto a propósito das polémicas e das devidas desculpas, acrescidas das consequentes promessas políticas, que envolveram o Ministério da Justiça (novo mapa (...)
17.Set.14

Caderno de Notas - apontamentos I

mparaujo
publicado na edição de hoje, 17 de setembro, do Diário de Aveiro. Caderno de Notas Apontamentos I 1. O defraudar político de Marinho e Pinto Neste espaço foram já várias as notas que deixei relacionadas quer com o rescaldo das eleições europeias de maio passado, quer com as posições de abandono e de defraudar assumidas pelo cabeça de lista eleito eurodeputado (e demissionário) pelo MPT. Mas Marinho e Pinto é uma pessoa claramente insatisfeita. Poder ou querer capitalizar (...)
15.Jan.14

Quanto menos o povo aprender…

mparaujo
Publicado na edição de hoje, 15 de janeiro, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Quanto menos o povo aprender… Este fim-de-semana último, Oliveira do Bairro recebeu, como bem sabe as gentes e as terras desta região de Aveiro e da sua zona bairradina, o Congresso do CDS-PP. Como relevância política não assistimos a nada de extraordinário ou com algum pormenor de (...)
12.Set.13

Back to School

mparaujo
O ensino é uma das áreas da responsabilidade social do Estado mais problemáticas na gestão governativa. Compete, normalmente (infelizmente) sai como “vencedora”, com a saúde, a acção social e a justiça. Basta recordar o que no final do ano lectivo transacto ocorreu com as greves aos exames e às avaliações. Basta recordar o que tem sido dito e escrito sobre a (...)
25.Dez.12

Isto é crime!

mparaujo
Já tinha acontecido algo semelhante, embora em “menor” escala, em Outubro passado, na escola EB1 nº 2 de Quarteira – Loulé. Na altura uma criança tinha ficado um dia sem refeição escolar (almoço) e as reacções de protesto e críticas, dirigidas à directora da escola, não se deixaram de ouvir. Mas desta vez, idêntica situação toma contornos muito mais graves e (...)
17.Jun.12

Congelamentos superiores (reedição)

mparaujo
Publicado na edição de hoje, 17 de junho, do Diário de Aveiro. Entre a Proa e a Ré Congelamentos superiores O Governo/Ministério da Educação publicou na passada terça-feira, 12 de junho, na página oficial da Direcção-geral do Ensino Superior - DGES, uma norma que determina o congelamento do número de vagas nos cursos superiores (universidades e politécnicos) para o ano lectivo de 2012/2013. Esse (...)
18.Abr.12

Um país em “festa”…

mparaujo
Publicado na edição de hoje, 18.04.2012, do Diário de Aveiro. Debaixo dos ArcosUm país em “festa”… Já conhecíamos a, já esquecida, expressão do “porreiro, pá”!A semana passada ficou marcada, nas correspondentes sessões da comissão parlamentar de educação, por um novo paradigma sobre a gestão de dinheiros públicos e por uma nova expressão: “uma festa”.Foi esta a expressão resumida da (...)
08.Nov.11

O mundo ao contrário...

mparaujo
Quem de nós, enquanto estudante do ciclo ou do liceu (sim, à moda antiga: ciclo e liceu) não copiou ou não teve a tentação?! E os recursos, mesmo sem as novas tecnologias de hoje, eram do mais diversificados e imaginativos possíveis. Obviamente que o recurso à técnica dos "auxiliares de memória" são sempre reprováveis, pelo simples facto de adulterarem a realidade ou, também, de criarem injustiça na equidade da avaliação. A "ancestral" prática é, por outro lado, (...)