Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

12.Mai.20

Vale a pena pensar nisto #06

Sobre a criança Valentina... e outras "Valentinas"

mparaujo
O relatório da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) dava conta que, em 2019, 1.467 crianças foram vítimas de crime (mais 532 do que em 2018, numa média de 4 por dia ou 28 por semana) sendo que em 27,3% dos casos a autoria do crime foi atribuída ao pai ou à mãe. Se um crime, agravado pela existência de vítima mortal, é, por si só, uma realidade condenável, este acto toma contornos abomináveis quando está em causa uma criança, dada a sua fragilidade, (...)
30.Set.16

Bolsas (de)mérito

mparaujo
publicado na edição de hoje, 30 de setembro, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Bolsas (de)mérito Não pretendo tecer qualquer consideração sobre o conflito entre a defesa da Escola Pública e a defesa da Escola Privada com subsidiação estatal. Entendo que era, e é, uma questão relevante mas desvirtuada pelo extremismo das (...)
11.Mar.15

Chumbar ou não chumbar… eis a questão.

mparaujo
publicado na edição de hoje, 11 de março, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Chumbar ou não chumbar… eis a questão. Há, em primeiro lugar, a necessidade de simplificar a questão da meritocracia escolar. Esta não tem a ver com o facto de existirem ou não “retenções escolares” por força dos ‘chumbos’, criando-se aqui a barreira entre os que têm mérito e excelentes notas e os preguiçosos. A meritocracia escolar, a valorização do empenho e do saber, o (...)
28.Set.14

Um Governo desculpável

mparaujo
publicado na edição de hoje, 28 de setembro, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Um Governo desculpável Recentemente assistimos a algo insólito neste Governo. Após um conjunto de situações/medidas polémicas, após uma sucessão de críticas e contestações, (e só) após a confrontação com os factos e as realidades, quer o ministro da Educação, quer a ministra da Justiça, vieram a público proferir um pedido de desculpas pelos erros cometidos. Não propriamente o (...)
12.Abr.14

Isto é a sério? (#2)

mparaujo
O Governo anunciou, imagine-se... em Macau, pela voz do ministro Nuno Crato, o encerramento de cerca de 240 estabelecimentos escolares do 1º ciclo, a maioria na zona de Leiria, Viseu e Chaves. As escolas a encerrar registam um número de frequência de alunos inferior a 21 (é este o valor estabelecido em 2010, entre 2005 e 2009 o valor mínimo era de 10 alunos). Deve ser por isto que Durão Barroso afirmou o seu "saudosismo" pelo ensino no Estado Novo. Naquela altura abriam escolas, não (...)
15.Jan.14

Quanto menos o povo aprender…

mparaujo
Publicado na edição de hoje, 15 de janeiro, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Quanto menos o povo aprender… Este fim-de-semana último, Oliveira do Bairro recebeu, como bem sabe as gentes e as terras desta região de Aveiro e da sua zona bairradina, o Congresso do CDS-PP. Como relevância política não assistimos a nada de extraordinário ou com algum pormenor de (...)
08.Jan.14

O país do entretém…

mparaujo
Nós somos, de facto, um país sui generis. E por mais que nos colem os latinos ou nos colem pelas áfricas e américas por onde navegámos e estivemos durante séculos, a verdade é que os portugueses são ÚNICOS. Para o bem e para o mal. E quer na tristeza, quer no sofrimento, quer nos sacrifícios, não há nada que nos tire o humor. Ainda dizem que o Brasil é que é a (...)
12.Set.13

Back to School

mparaujo
O ensino é uma das áreas da responsabilidade social do Estado mais problemáticas na gestão governativa. Compete, normalmente (infelizmente) sai como “vencedora”, com a saúde, a acção social e a justiça. Basta recordar o que no final do ano lectivo transacto ocorreu com as greves aos exames e às avaliações. Basta recordar o que tem sido dito e escrito sobre a (...)
08.Nov.11

O mundo ao contrário...

mparaujo
Quem de nós, enquanto estudante do ciclo ou do liceu (sim, à moda antiga: ciclo e liceu) não copiou ou não teve a tentação?! E os recursos, mesmo sem as novas tecnologias de hoje, eram do mais diversificados e imaginativos possíveis. Obviamente que o recurso à técnica dos "auxiliares de memória" são sempre reprováveis, pelo simples facto de adulterarem a realidade ou, também, de criarem injustiça na equidade da avaliação. A "ancestral" prática é, por outro lado, (...)