Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

08.Jan.20

Haver ou não haver guerra... eis a questão.

mparaujo
Ou como paira no ar uma ilusória sensação de paz. Não alinho no coro (que acho desafinado) daqueles que acham que caiu o pano sobre um eventual conflito Irão(Iraque)/Estados Unidos da América. Assim como também não alinho naqueles que acham que podemos voltar todos à normalidade, que não há mais "nada para ver" depois dos acontecimentos que ditaram a morte do general iraniano Qasem Soleimani. Tudo porque a reacção norte-americana à resposta iraniana à morte de Soleimani foi (...)
04.Jan.20

Nem todos os meios justificam os fins... ou quase nunca o justificam.

mparaujo
Começa da pior maneira o ano de 2020. Muito mal, mesmo. E se muitos (infelizmente, a maioria) acham que os recentes acontecimentos no Médio Oriente, nomeadamente em Bagdad (Iraque) e, mais concretamente, a morte do general iraniano Qasem Soleimani (o segundo da hierarquia do regime do Irão), são aí mesmo, num longínquo médio oriente (onde a maioria só em 'sonhos' se imagina de férias no Qatar ou Dubai) é urgente alertar para a importância da tomada de consciência com a (...)
11.Set.18

É possível esquecer? A história nunca pode ser travada.

mparaujo
Foi há 17 anos... 11 de setembro de 2001. Passados tantos anos porque é que o "11/9" ainda está bem presente na memória colectiva, não só dos americanos, como do resto do mundo? Duas razões essenciais. Primeiro... o número de vítimas (acima das 3 mil), a tragédia em si mesma, o impacto mediático dos atentados (Torres Gémeas, Pentágono e o Voo 93) e o significado político dos mesmos (atentado em pleno "solo" americano, bem dentro do coração político, económico e militar (...)
26.Nov.17

Quando a "europa" é lá longe...

mparaujo
Há três dias não se ouviu um clamor nos movimentos sociais (fosse na realidade do dia-a-dia ou na realidade das redes sociais virtuais) "Je Suis...". Há três dias não se viu uma imagem, um logótipo, um símbolo "Pray for Egipt". Há três dias, porque a realidade trágica da morte inocente das vítimas do terrorismo não teve lugar na Europa, o mundo seguiu a sua vida "cantando e rindo". Mas não podemos ficar indiferentes... "Vemos, ouvimos e lemos... não podemos ignorar". Para os (...)
21.Ago.17

No tenim por

mparaujo
publicado excepcionalmente na edição de hoje, 21 Agosto, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos No tenim por (*) Os últimos e recentes momentos são de luto, de dor e de tragédia: incêndios, devastação, mortes, ataques terroristas. Foi no Pinhal Interior, no interior centro e sul do país, na Madeira, em Barcelona e em Cambrils (acrescentando-se ainda, com contornos por clarificar à hora da escrita deste texto, o atentado em Turku, na Finlândia). No caso das Ramblas e Cambrils, (...)
14.Abr.17

Anda um perigo mundial à solta na Sala Oval

mparaujo
Que legitimidade tem um país, seja ele qual for, ao abrigo das relações e do direito internacional para atacar, por livre e unilateral iniciativa, um outro país? Nenhuma... sejam os Estados Unidos, a Rússia, a China, ou outro país qualquer. Mesmo com a cobertura da NATO, da ONU ou de acordos pontuais e parcelares, serão mais as interrogações e dúvidas do que as respostas concretas e as certezas sobre os resultados práticos das ofensivas. Basta recordar o que o Mundo vive hoje (...)
18.Jul.16

Nem tudo o que parece é...

mparaujo
Trágico. Bárbaro. Criminoso. Inqualificável. Sem perdão. Estas são algumas das palavras que sempre acompanharam a minha reflexão sobre os acontecimentos de Nice, na passada semana, na quinta-feira, 14 de julho (comemorações nacionais francesas da Tomada da Bastilha) à noite. Volvidos estes dias o balanço é (...)
24.Nov.15

A ler os outros... Bernardo Pires de Lima

mparaujo
Após os recentes trágicos atentados em Paris, o mundo entrou numa espiral de acções de segurança, prevenção e combate ao terrorismo. Não querendo, de modo algum colocar em causa estas e toda a actividade das forças de segurança no combate ao terrorismo, a verdade é que todas as recentes notícias (nomeadamente as que (...)
17.Nov.15

A ler os outros... quatro imagens da mesma realidade

mparaujo
Enquanto preparava o texto para a edição de amanhã, 18 de novembro, do Diário de Aveiro: «Não vale a pena esconder… “cheira a medo”», saíam algumas linhas, como estas... (...) Por maior que seja o regresso à normalidade na capital francesa os próximos tempos serão de um desassossego latente, seja em França e na Europa, seja, por (...)
15.Nov.15

A propósito dos Refugiados

mparaujo
publicado na edição de hoje, 15 de novembro, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos A propósito dos Refugiados Na sexta-feira, a França, o mundo, Portugal, deitaram-se de luto, chocados, aterrorizados. Sete atentados em Paris, cerca de 150 mortos, mais de 200 feridos e um objectivo claramente alcançado: sob a capa de (...)