Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

08.Jan.20

Haver ou não haver guerra... eis a questão.

mparaujo
Ou como paira no ar uma ilusória sensação de paz. Não alinho no coro (que acho desafinado) daqueles que acham que caiu o pano sobre um eventual conflito Irão(Iraque)/Estados Unidos da América. Assim como também não alinho naqueles que acham que podemos voltar todos à normalidade, que não há mais "nada para ver" depois dos acontecimentos que ditaram a morte do general iraniano Qasem Soleimani. Tudo porque a reacção norte-americana à resposta iraniana à morte de Soleimani foi (...)
04.Jan.20

Nem todos os meios justificam os fins... ou quase nunca o justificam.

mparaujo
Começa da pior maneira o ano de 2020. Muito mal, mesmo. E se muitos (infelizmente, a maioria) acham que os recentes acontecimentos no Médio Oriente, nomeadamente em Bagdad (Iraque) e, mais concretamente, a morte do general iraniano Qasem Soleimani (o segundo da hierarquia do regime do Irão), são aí mesmo, num longínquo médio oriente (onde a maioria só em 'sonhos' se imagina de férias no Qatar ou Dubai) é urgente alertar para a importância da tomada de consciência com a (...)
08.Ago.19

Mr. President Donald Trump... as palavras contam (e muito...)

mparaujo
Os factos... Numa semana os Estados Unidos assistiram a três massacres, dois dos quais no último fim de semana (sábado e domingo) em apenas pouco mais de 12 horas: 29 de julho | Festival de gastronomia de Gilroy na Califórnia, a sul de San Francisco. 4 pessoas, incluindo um rapaz de 6 anos, foram mortas por um atirador de 19 anos.2 de agosto | Supermercado Walmart, em El Paso (Texas). 22 mortos e 26 feridos provocados por um jovem atirador de 21 anos, residente em Allen, perto de Dallas. (...)
11.Set.18

É possível esquecer? A história nunca pode ser travada.

mparaujo
Foi há 17 anos... 11 de setembro de 2001. Passados tantos anos porque é que o "11/9" ainda está bem presente na memória colectiva, não só dos americanos, como do resto do mundo? Duas razões essenciais. Primeiro... o número de vítimas (acima das 3 mil), a tragédia em si mesma, o impacto mediático dos atentados (Torres Gémeas, Pentágono e o Voo 93) e o significado político dos mesmos (atentado em pleno "solo" americano, bem dentro do coração político, económico e militar (...)
06.Dez.17

Anda um louco à solta pelo mundo

mparaujo
Não há outra adjectivação ou outra forma de descrever a realidade. Não há nenhuma norma internacional que legitime Donald Trump ou os Estados Unidos da América (apesar da sua condição de super-potência geoestratégica, política e económica) como guardiões ou donos do Mundo. Para mais quando é reconhecida uma incapacidade política e governativa atroz em Donald Trump, ao ponto de nem a própria "casa" conseguir gerir. Mais ainda... se um determinado país, estado ou nação, (...)
14.Jun.17

O amigo Trump

mparaujo
Em abril deste ano Donald Trump afirmava publicamente ao "lobby" americano das armas e aos defensores do uso e porte de armas nos Estados Unidos que "tinham um verdadeiro amigo e defensor na Casa Branca". Foi com estas palavras que o Presidente dos Estados Unidos, o primeiro presidente em exercício a voltar a fazê-lo após a presença de Reagan (em 1983), se apresentou na convenção anual National Rifle Association. Donald Trump é um claro e público defensor do direito ao porte de (...)
09.Nov.16

Em estado de choque...

mparaujo
No dia em que surgia a boa notícia para o país com a recusa da União Europeia em abrir qualquer processo de suspensão de fundos comunitários a Portugal eis que a maioria dos portugueses desviava as suas atenções e adormecia focada no aparecimento do suspeito dos crimes em Aguiar da Beira, fugido às autoridades há cerca de um mês, e a sua entrega voluntária à Polícia Judiciária através dos seus advogados e sob as câmaras da RTP. Sendo certo que o processo de escolha do (...)
11.Fev.15

À beira de um ataque de nervos

mparaujo
publicado na edição de hoje, 11 fevereiro, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos À beira de um ataque de nervos A Europa, mais concretamente a União Europeia e a Zona Euro, estão a ferro e fogo, à beira de um autêntico ataque de nervos. Em causa a pressão da Grécia em relação à sua dívida e ao programa de ajustamento a que tem estado sujeita. Mas não só… a par, e não menos importante, a Europa vê-se a braços a com o prolongar da crise na Ucrânia e com a posição (...)
21.Dez.14

Dura lex, sed lex

mparaujo
Publicado na edição de hoje, 21 de dezembro, do Diário de Aveiro Caderno de Notas Dura lex, sed lex A agenda tem sido marcada essencialmente pela presença diária, constante, nos títulos informativos dos chamados “casos da Justiça”: BES e (ainda) os submarinos. Há uma primeira nota de enorme relevância no contexto internacional que importa destacar: o anunciado “desembargo” a Cuba, o início das relações diplomáticas e institucionais entre Havana e Washington, a (...)
17.Ago.14

E assim (também) vai o mundo...

mparaujo
publicado na edição de hoje, 17 de agosto, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos E assim (também) vai o mundo Nos dias de hoje não é possível a um país viver isoladamente. A expressão “orgulhosamente sós”, até há algumas décadas tão badalada em Portugal, hoje não tem qualquer cabimento, nem viabilidade. As várias organizações e instituições internacionais (para além da óbvia ONU) proporcionam e provem um conjunto de relações internacionais nos mais diversos (...)
12.Ago.14

O trunfo humanitário de Putin

mparaujo
O trunfo é “espadas”. Putin volta a marcar pontos no conflito da Ucrânia. Depois das sanções decretadas pela União Europeia e pelos Estados Unidos, o Kremlin responde com o embargo às importações de produtos e bens alimentares e agrícolas do ocidente. Resta saber para que lado penderá a balança das sanções. Mas Putin joga ainda uma cartada importante no jogo geopolítico e geoestratégico do conflito ucraniano: a ajuda humanitária. E a cartada é importante porque, seja (...)
20.Jul.14

Há 45 anos...

mparaujo
20 de julho de 1969 (há 45 anos). “Um pequeno passo para o homem, um passo de gigante para a Humanidade”.  (a preto e branco, como se viu em casa dos meus pais) Os heróis Neil Armstrong, Edwin 'Buzz' Aldrin e Michael Collins
12.Mar.14

A Leste... nada de novo. (resumo)

mparaujo
publicado na edição de hoje, 12 março, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos A Leste... nada de novo. Na análise ao conflito na Ucrânia, com extensão actual à Crimeia, há quem queira retomar a história com as invasões da (na altura) Checoslováquia (a célebre, Primavera de Praga) ou do Afeganistão; e há quem relembre, mais recentemente, a invasão do Iraque pelos (...)
07.Mar.14

A Leste… nada de novo (4)

mparaujo
No conflito e crise da Ucrânia há uma hipocrisia e um jogo do “faz-de-conta” (ou um bluff diplomático) perfeitamente evidente e no qual muito poucos acreditarão: as ameaças de sanções da União Europeia e dos Estados Unidos à Rússia. Aliás, a questão é tão mal disfarçada que as ameaças não passam disso mesmo… puras ameaças políticas, sem quaisquer consequências. Dando de “barato” a Ucrânia ou parte dela (se a isso obrigados), a Rússia defende na Crimea (e no (...)
05.Mar.14

A Leste… nada de novo (3)

mparaujo
Na guerra diplomática da condenação da violação do direito internacional, Estados Unidos e União Europeia são céleres a condenar a Rússia pela “invasão” da Crimeia. Diz o ditado que “quem tem telhados de vidro não deve atirar pedras ao telhado do vizinho”. E são muitos os telhados de vidro, esquecendo-se a “natural” (mesmo que não justificável) posição geopolítica e geoestratégica da Rússia naquela zona, o passado histórico-político da URSS e os motivos (...)
05.Mar.14

A Leste… nada de novo (2)

mparaujo
A situação que se vive na Ucrânia, com extensão actual à Crimeia, ultrapassa as fronteiras da região. Há quem retome a história com as invasões da (na altura) Checoslováquia (a célebre, Primavera de Praga) ou do Afeganistão. Há quem relembre, mais recentemente, a invasão do Iraque pelos Estados Unidos. A Rússia tem interesses geopolíticos, geoestratégicos e económicos na região, muito para além da questão das bases militares. Os Estados Unidos, sob a capa das armas de (...)