Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

24.Ago.20

Caiu a máscara... em "off" ou em "on"

«A Política sem risco é uma chatice e sem ética uma vergonha» - Francisco Sá Carneiro

mparaujo
"Preâmbulo"... Uma declaração off the record pressupõe uma aceitação de não divulgação de informação. Algo que não será tão linear e tão absoluto. Primeiro porque, para quem tem décadas de experiência política, declarações off the record são, muitas vezes, usadas para pressionar e condicionar. Segundo porque, mesmo parecendo contraditório (e não é), face ao teor das declarações e à sua importância ou relevância política podem (e devem) ser tornadas públicas. (...)
16.Jul.15

#PorAcasoFoiIdeiaMinha - Eu é que sou o Presidente da Junta

mparaujo
Foi mais que discutida, aplaudida, ironizada, a afirmação do Primeiro-ministro, Passos Coelho, que chamava a si alguns créditos negociais no dificil e polémico acordo entre o Eurogrupo e a Grécia. Apesar de todos os conceitos e preconceitos, a verdade é que não terá sido um "mito urbano" a tal afirmação de Passos Coelho quando referiu que "a solução que acabou por desbloquear o último problema que estava em aberto partiu de uma ideia que eu próprio sugeri". Conforme escreveu (e bem) Ricardo Costa, no Expresso, afinal #PorAcasoFoiIdeiaMinha (...)
25.Set.14

curiosidades jornalísticas

mparaujo
Independentemente das regras básicas do jornalismo (espelhar o conteúdo da notícia), um título deve ter igualmente um significativo impacto por forma a prender e despertar a atenção do leitor. Ora o Expresso diário de ontem é extremamente elucidativo e explícito. Numa notícia que nos relata a aprovação, com um consenso alargado, de projectos-lei que criminalizam (alteram a moldura do código penal) a perseguição (mesmo o cyber stalking) e o assédio, o título dá igual nota (...)
09.Jul.14

A Política e a Natalidade

mparaujo
Publicado na edição de hoje, 9 de julho, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos A Política e a Natalidade O Henrique Monteiro publicou, esta segunda-feira, uma crónica no Expresso intitulada “Os bebés não nascem por decisão política”. Não tenho, por hábito, comentar textos alheios, quando muito tê-los como referência. Mas o texto do ex-director daquele semanário, nomeadamente o título, não me deixou indiferente. Isto a propósito da reflexão aqui feita, na passada semana, sobre a polémica em torno da denúncia de empresas que obrigam as mulheres contratadas a declararem, por escrito, o seu compromisso de não engravidarem nos primeiros cinco anos de vínculo laboral (...)
20.Nov.13

Helena Garrido assume Jornal de Negócios

mparaujo
Sempre tive uma grande admiração profissional (já que pessoalmente só nos cruzámos em janeiro de 2010 - no twittleitão) pelo Pedro Santos Guerreiro. Não apenas no Negócios, como em outras actividades profissionais suas. Afirmei-o há dias que o Expresso teria feito uma das melhores opções de gestão e jornalísticas que me recorde ao contratar o Pedro Santos Guerreiro como director (...)
28.Dez.12

Burlices... um complemento.

mparaujo
O “caso” Artur Batista da Silva, o dito “burlão” da ONU, marca a agenda deste final de ano, principalmente pelo impacto que teve na comunicação social e na opinião pública (com alguma estupefacção à mistura, até pelo recurso ficcionado à ONU). No excelente artigo de Fernanda Câncio na edição de hoje (28.12.2012) do Diário de Notícias, sob o título “Artur e os outros burlões (...)