Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

14.Jun.20

Statues Matter... ou como "A História Nunca pode ser Travada".

Vemos, Ouvimos e Lemos... não podemos ignorar.

mparaujo
(créditos da foto: Nuno Fox, Expresso) Se há momentos em que Sophia de Mello Breyner Andresen ganha um dimensão ainda maior do que a (merecidamente) tem, esses momentos são os de agora, os dos últimos acontecimentos e dias. Ressoam na memória partes do poema "Vemos, Ouvimos e Lemos" (penso que de janeiro de 1969), bem como uma "velha frase batida", com pelo menos 36 anos: «a história nunca pode ser travada" (MCE - Movimento Católico de Estudantes). Vemos, ouvimos e lemos Não (...)
21.Ago.17

No tenim por

mparaujo
publicado excepcionalmente na edição de hoje, 21 Agosto, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos No tenim por (*) Os últimos e recentes momentos são de luto, de dor e de tragédia: incêndios, devastação, mortes, ataques terroristas. Foi no Pinhal Interior, no interior centro e sul do país, na Madeira, em Barcelona e em Cambrils (acrescentando-se ainda, com contornos por clarificar à hora da escrita deste texto, o atentado em Turku, na Finlândia). No caso das Ramblas e Cambrils, (...)
05.Fev.17

Notas Dominicais... (3)

mparaujo
A discussão apresenta-se interessante e pertinente. Quem ganhará mais e quem perderá mais com a administração de Donald Trump? Quais os seus impactos? O proteccionismos económico de Trump poderá virar o feitiço contra o feiticeiro e criar significativos embaraços à economia norte-americana e à actual estruturação económico-financeira mundial. Por outro lado, afigura-se evidente que, em termos políticos e sociais (internos e externos), as suspeitas e as perspectivas de um (...)
28.Mar.16

Entre hipocrisia e indiferença...

mparaujo
Faz todo o sentido "chorar" por Bruxelas, como fez sentido "chorar" por Paris, por Madrid, por Londres ou pelos Estados Unidos a 11 de Setembro de 2001. O que me parece não fazer qualquer sentido é a hipocrisia dos fundamentos quando bradamos aos sete ventos pelos direitos humanos, contra o terrorismo, pela inclusão, pelo direito à (...)