Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

19.Jul.20

Sentimento defraudado

entre confinamentos e desconfinamentos... um enorme risco para que tudo acabe mal.

mparaujo
A frase da "reflexão (desta) semana" recorda Sá Carneiro, no ano de 1978, e termina com a expressão forte: "(...) nós estamos a ver mais uma vez que o Povo Português foi defraudado da sua boa-fé". E fomos... Havia, apesar de alguns erros, alguma perspectiva de que Portugal sairia por cima no combate e na mitigação da COVID-19. Mas do expectável "milagre português" e de algumas referências como "exemplo internacional", rapidamente se passou a um sentimento de decepção e (...)
16.Jul.20

Quando a política é irónica

ou, se quisermos... da colossal incoerência política.

mparaujo
Face ao importante número de Associações Juvenis que existem no país é mais que natural e lógico o surgimento de uma Federação Nacional das Associações Juvenis (FNAJ), que congregue vontades, dinâmicas diversas e devolva dimensão ao associativismo. Reduzindo a escala, justificável por processos de organização e estrutura da FNAJ, afigura-se igualmente lógica a criação de Federações Distritais de Associações Juvenis. Assim, tendo sido alargado o processo de (...)
20.Jun.20

Penálti Falhado...

o mesmo será dizer: bola ao lado com a baliza escancarada.

mparaujo
Relembro, antes de tudo: em março, todos nós batemos muitas palmas à janela e à varanda como reconhecimento pelo trabalho dos (todos) Profissionais da Saúde. Já na altura, mesmo com a vénia devida, lançava um... MAS! Continuando... Estava tudo a correr demasiado bem para não se desconfiar que, nos momentos mais importantes e cruciais, tínhamos que bater (...)
31.Mai.20

Às portas da crise... o governo "autodesconfinou"

Afinal, em tempos de guerra, mudam-se generais (e com muitas estrelas)

mparaujo
É, hoje, mais que claro que o Governo, mais precisamente António Costa, tem um problema político interno, que não será de fácil (di)gestão: chama-se Mário Centeno. Abrandada (pelo aparentemente) a principal vertente da pandemia - a saúde - entrando já, com sinais evidentes, na preocupante vertente das respostas sociais, afiguram-se, para bem breve, os sintomas e os impactos na economia (nacional e global). É neste contexto que, no mínimo, surge como curiosa e surpreendente a (...)
13.Mai.20

Da série... os inconseguimentos #05

Uma falha de comunicação ou Mário Centeno borrifou-se para António Costa?

mparaujo
De forma telegráfica... conta-se rápido: o Ministro das Finanças do XXI Governo Constitucional de Portugal, Mário Centeno, quer sair do Governo. Mais... Mário Centeno fez tudo para criar ou potenciar uma crise política governamental. Mas....... com o consentimento (e, porque não, apoio) do próprio Primeiro-ministro, António Costa, apesar de todos os disfarces e ilusionismos políticos. Por partes... Mário Centeno já tinha afirmado na Assembleia da República (há cerca de dois (...)
08.Mar.20

Os "generais" e a batalha política governativa

mparaujo
Mudar ou não mudar "generais" na batalha política. Para o Governo e António Costa, depende se, politicamente, dá jeito ou não. O Presidente da República, agora em casa de pantufas e termómetro na mão, enalteceu, ontem, a forma “madura, tranquila e serena” (sic) como os portugueses estão a reagir ao COVID-19. Embora a observação presidencial seja marcadamente cívica (e, face ao que é o notório alarmismo social, algo questionável) se os portugueses têm sido maduros e (...)
04.Mar.20

Coronavírus nacional: a contagem

mparaujo
(créditos: Anthony Wallace/AFP, in CBN) A Directora-Geral da Saúde, Graça Freitas, numa das excessivas e dispensáveis conferências de imprensa sobre o COVID-19, afirmou que seria expectável que Portugal pudesse, no limite, ter cerca de 1 milhão de infectados (em vários graus de intensidade)... o que representa 10% da população nacional. Valor apontado face ao que foi a previsão da epidemia da gripe em 2009 (fixada em 7% na avaliação final). Perfeitamente lógico e enquadrado. Voltemo (...)
01.Mar.20

Diagnóstico: virose alarmista e informativa

mparaujo
(créditos: LUSA, in Sapo lifestyle) Uma epidemia ou uma pandemia, tendo níveis de impacto diferenciados, não deixam de ser preocupantes e merecem particular atenção. O que é diferente de alarmismo e histerismo social. O COVID-19 (uma das formas e estirpe do Coronavirus... que existe há alguns anos e que, por exemplo, se manifesta, sazonalmente, em Portugal através das gripes, pneumonias e viroses de inverno) já infectou cerca de 80.000 pessoas e vitimou perto de 3.000 (...)
15.Fev.20

#NamorarNãoÉSerDon@

mparaujo
O Governo lançou, há poucos dias, a nova campanha "#NamorarNãoÉSerDon@" que tem como objectivo "educar e capacitar jovens para melhor identificarem e rejeitarem comportamentos de violência em relações de namoro, incluindo violência física, sexual, psicológica, e nas redes sociais", segundo Rosa Monteiro, Secretária de Estado da Cidadania e da Igualdade de Género, sob tutela da Ministra da (...)
07.Fev.20

A memória (história) na política é tramada. Obviamente... demita-se!

mparaujo
Focando apenas três casos como meros exemplos. Em junho de 1993, o então Ministro do Ambiente, Carlos Borrego, do Governo de Cavaco Silva, visitava a cidade de Braga. Nesse mesmo ano, entre abril e junho, a região de Évora vivia uma trágica realidade com a morte de 25 doentes que realizavam tratamento de hemodiálise, devido à contaminação por alumínio da água que abastecia o Hospital de Évora. Escuso-me, por uma questão de respeito, a relatar, textualmente, o "humor" usado (...)
19.Jan.20

Obviamente.... Demita-se!

mparaujo
(*) Por norma, as forças de segurança criam um sentimento de "amor-ódio" na sociedade pela hibridez dos contextos com que as pessoas se relacionam ou convivem com essas forças. Mas há um pressuposto inquestionável: as forças de segurança são peça fundamental no equilíbrio social de um Estado de Direito. Independentemente, tal como em inúmeras profissões, de serem cometidos erros, seja pelas estruturas, seja pelos profissionais. Isso faz parte da vida. Neste âmbito, cabe a (...)
10.Out.19

O rescaldo, após todos os rescaldos, das legislativas 2019

mparaujo
Muito resumidamente… breves notas sobre os resultados eleitorais do passado domingo e que, factualmente, irão permitir a António Costa e ao Partidos Socialista formar o 22.º Governo Constitucional da Terceira República Portuguesa. O PS ganhou as eleições, falhando, apesar disso, o objectivo mais que camuflado na campanha mas, óbvia e claramente, mais que desejado, sonhado e esperado: uma maioria absoluta.Ao contrário do que António Costa tem vindo a apregoar, os portugueses (...)
15.Set.19

Evocar nomes em vão, não! Pela nossa rica saúdinha...

mparaujo
Reza o segundo dos 10 Mandamentos que não se deve invocar o nome de Deus em vão. A propósito de se assinalar, hoje, o 40.º aniversário da criação do Serviço Nacional de Saúde (SNS), António Costa evocou a memória de Mário Soares e de António Arnaut para os qualificar de "pai e mãe" do SNS. Importa, primeiro, dar nota que, aquando da criação do SNS (1979), António Arnaut era Ministro de Estado dos Assuntos Sociais, no II Governo Constitucional liderado por Mário Soares em (...)
17.Ago.19

Enquanto dura a greve... ou parte dela.

mparaujo
Uma falácia, uma contradição (entre tantas) e a matemática da economia. 1. O ministro Pedro Nuno Santos (o que não conseguiu por as perninhas a tremer aos financeiros europeus e falhou a mediação da greve em abril/maio último) mantém um discurso demagógico e claramente parcial neste processo (até criticado pelos seus parceiros/amigos à esquerda). Para além da pressão sobre o Sindicato dos Motoristas de Transportes de Matérias Perigosas (o único ainda em greve) ao afirmar (...)
15.Ago.19

"Nem um passo atrás!"... mas também nenhum à frente.

mparaujo
Podia ser uma Greve? Podia... mas não era a mesma coisa! Têm sido realidades sociais ou trágicas (por exemplo, os fatídicos incêndios de 2017) que têm marcado a chamada silly season dos últimos anos, o período político (e da política) das férias de verão. Esquece-se a greve dos Registos e Notariado, a greve dos estivadores em Sines (esta com um enorme peso na débil economia nacional), o caos na Saúde em pleno verão ou a incerteza do impacto (na Europa e em Portugal) da (...)
23.Jun.19

Pela nossa (santa) saúde...

mparaujo
Se há algo que este Governo (e por consequência, a "geringonça") nunca teve foi uma "boa saúde". Aliás, desde como (e quando) chegou ao poder que saúde foi algo que nunca abonou a governação de António Costa. Nem a governação, nem a relação com BE e PCP. Desde a falta de investimento, a estruturação do sector, a forma como um governo/partido que apregoa a paternidade e a titularidade do SNS mas que o tratou pior do que nos tempos mais difíceis da(s) crise(s), passando pela (...)
12.Mai.19

Sra. Ministra... a ingenuidade, na saúde, paga-se bem caro.

mparaujo
Nalguns casos.... demasiadamente caro. Numa entrevista à revista Notícias Magazine, a Ministra da Saúde, Marta Temido, afirma que «foi ingénua e garante que para a próxima vai “desconfiar” da outra parte (BE», a propósito da proposta/documento da Lei de Bases da Saúde. Mas a "ingenuidade" da ministra e do Governo, na área da saúde (e não só), não se resume ao conflito com o parceiro legislativo Bloco de Esquerda. Mais do que preocupada com a guerrilha política e a (...)
01.Mai.19

1.º de Maio 2019 - Para reflexão

mparaujo
(fonte da foto: arquivo RTP) Há 5 dias celebraram-se os 45 anos do 25 de Abril de 74. Hoje, de novo a referência a mais 45 anos... desta vez a relembrar a primeira celebração do 1.º de Maio ( de maio de 74). A CGTP-In junta milhares de trabalhadores em desfile em Lisboa, com a presença de Catarina Martins (BE) e Jerónimo Sousa (PCP). Já a UGT ruma ao norte, até Braga, e conta com a presença de Ana Catarina Mendes, secretária-geral adjunta do PS. Em ano eleitoral (legislativas (...)
19.Abr.19

Tocam os sinos nos interior do PS após a greve. O país já não vai em ilusões.

mparaujo
A premissa é mais que válida, responsável e politicamente ética. Rui Rio tem toda a razão quando afirmou, sobre os constrangimentos causados pela greve dos motoristas de matérias de perigosas: (o Governo) «Não pode fazer mais, não vou atacar o Governo naquilo que o Governo não tem responsabilidades, senão não estaria a ser sério». Se, de facto, existe (e deve existir sempre) uma barreira de legitimidade de intervenção do Estado na vida privada, também não deixa de ser (...)
06.Abr.19

À porta das europeias... fala-se de tudo menos da Europa

mparaujo
Estamos a pouco mais de um mês da data em que se realizam as eleições europeias: 26 de maio. Isto num momento em que a Europa atravessa uma grave crise de identidade e se questiona o seu futuro: o crescimento do populismo, o surgimento dos extremismos (em ambos os opostos), o aumento do eurocepticismo e, no topo da agenda mediática, o caso do Brexit. E mais... a Europa começa aqui, dentro das nossas portas, e não é uma realidade tão afastada do nosso quotidiano. Bem pelo contrário. Ne (...)