Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

02.Abr.15

e quando pensamos que já nada nos surpreende...

mparaujo
Goste-se ou não, o assunto dá teses e teses, o jornalismo (seja qual for a sua área) é fértil em polémicas exógenas, em situações umas caricatas outras infelizes, seja por questões de profissionalismo ou ética, seja pelo simples erro/gafe a que qualquer profissão está sujeita. Mas há uma outra nota relevante: o jornalismo não deixa de surpreender. Como é que isto é possível? Como é que falha a revisão/edição? (entrevista do semanário Sol à ministra das Finanças, (...)
05.Mar.15

Bodas de Prata do Público

mparaujo
Parabéns ao jornal Público pelo seu 25º aniversário. Amado por muitos, indiferente a alguns e motivo de alguns ódios, a verdade é que, num curto espaço de 25 anos, face ao que é o panorama da idade média da imprensa nacional, o Público soube posicionar-se no jornalismo de referência, apesar de algumas polémicas fortes (relembro o caso de Miguel Relvas e a jornalista Maria José Oliveira, muito mal gerido internamente e condenável) ou os despedimentos de um considerável (...)
24.Set.13

24 de setembro... dia da imprensa.

mparaujo
Hoje é, claramente, o dia de comprar jornais. Sim... jornais, no plural. Hoje celebra-se o Dia Internacional da Imprensa. É certo que o exagero de “dias mundiais”, “dias internacionais”, “dias de tudo e mais alguma coisa” tem o condão de desvalorizar o essencial, de esvaziar o relevante e colocar, no mesmo patamar de importância, o fundamental e o supérfluo. Por (...)
01.Set.12

A (minha) Mira-técnica

mparaujo
Antes de mais, para que conste como declaração de interesse, tenho amigos, conhecidos e referências na RTP, na SIC ou na TVI, nomeadamente no que respeita a jornalistas (mas não só). Não importa sequer discutir qualidade e profissionalismo, porque, como em todas as profissões e empresas, há bons, menos bons e maus profissionais (seja qual for a área). Sobre isso, não (...)