Espaço de encontro, “tertúlia” espontânea, “diz-que-disse”, fofoquice pegada, críticas e louvores, ..., é uma zona nobre da cidade, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre "tudo e nada".

29
Mai 13

O desacordo e a aversão, as incoerências e indefinições, as imprecisões e a não aplicabilidade geral, dificuldades de ensino e aprendizagem, duplicação de grafias que dificultam a correcta interpretação semântica, a submissão a razões e objectivos externos, mas, e acima de tudo, a perda de uma identidade e cultura identitárias de um país e de uma nação, vão mantendo acesa a discussão e, igualmente, a contestação à imposição do novo Acordo Ortográfico.

Felizmente, são muitos os que ainda vão “lutando” pela causa, não por qualquer princípio de xenófobo (em relação aos países de língua oficial portuguesa) ou qualquer tipo de saudosismo, mas pela forma como o processo foi conduzido. Faltou debate público, faltou consenso na academia, faltaram estudos sustentáveis e faltou, principalmente, a verificação de um facto óbvio e lógico: a natural evolução e alteração da língua. E não uma imposição legislativa e interesse comercial.

São várias as acções e as movimentações que se vão perfilando, mesmo que menos mediáticas ou mais “silenciosas”. Por exemplo, a carta dirigida ao Ministro da Educação e Ciência em 6 de janeiro de 2013 ou a petição enviada à Assembleia da República a 26 de abril de 2013.

Mas para além da resistência e dos resistentes são demasiado interessantes estas duas recentes posições tomadas por dois juízes para as ocultarmos ou desvalorizarmos (e que, apesar de a outro nível contrastam, demasiadamente, com esta lamentável atitude do ministro das finanças, Vítor Gaspar):

- Rui Teixeira juiz do Tribunal de Torres Vedras, figura bem conhecida da fase de instrução do processo 'Casa Pia', proíbe acordo ortográfico.

- já em março, o juiz Rui Estrela Oliveira do Tribunal de Viana do Castelo tinha emitido uma ordem de serviço onde proibia a utilização da grafia do novo Acordo Ortográfico em todos os processos e tramitações do segundo Juízo Civil daquele tribunal.

De faCto…

publicado por mparaujo às 21:24

pesquisar neste blog
 
posts recentes

O desacordo do Acordo...

arquivos
2019:

 J F M A M J J A S O N D


2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

28 seguidores

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


Siga-me
links