Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

23.Dez.18

O Natal não "nasce" para todos...

mparaujo
Portugal tem mar e costa. A Indonésia tem mar e costa. Portugal tem praias e turismo balnear. A Indonésia tem uma imensidão de praias e um turismo inquestionável e difícil de igualar. Mas onde está a diferença?! Infelizmente, é fácil perceber... O Natal acontece, ciclicamente, desde o século III (tal como é assinalado pelo cristianismo - cristãos católicos, ortodoxos e arménios). Mas não é para todos, nem sempre... O "Anel de Fogo do Pacífico" resolveu "marcar", (...)
24.Dez.17

Neste Natal NÃO ADOPTO ESTE SILÊNCIO

mparaujo
O Natal é, independentemente das crenças e credos, a Festa da Família, por excelência. Enquanto nos perdemos na azáfama de saco, embrulhos e laços... Enquanto nos perdemos na ansiedade da prenda tão esperada... Enquanto preparamos as rabanadas, os filhós e o bacalhau... Há quem tenha perdido a família pela estupidez da guerra... pelo infortúnio do destino... pela ganância... pela fome... pelo tráfico humano... pelos incêndios e pela reacção da natureza... Há quem tenha (...)
06.Dez.17

projectos com "estórias"... Artes de Maior Idade

mparaujo
O tempo (a vida) traz, independentemente da intensidade e das vivências, o saber, a experiência, a tradição e muitas e muitas "estórias". Uma comunidade que não sabe aproveitar e promover este "tempo" não é estruturada no presente, nem saberá alicerçar o seu futuro de forma consistente. Não tem, nem deve, viver agarrada ao passado... até porque "águas passadas já não movem moinhos". Mas não pode, nem deve, deixar de valorizar a experiência, a tradição e o saber presentes (...)
09.Nov.17

Uma vida não tem preço... muito menos a de uma criança.

mparaujo
A solidariedade e a defesa dos direitos fundamentais e da dignidade humana de qualquer cidadão, por razões acrescidas quando se trata de crianças, não deve conhecer fronteiras nem distâncias. No Gana, bem no coração dessa África esquecida e explorada, os pais vendem os seus filhos por menos de 30 euros a traficantes que os revendem aos pescadores do Lago Volta. Estas crianças são obrigadas a trabalhar 14 horas por dia, 7 dias por semana, a troco de um único prato de mandioca. (...)
27.Dez.16

Ruralidades... aqui há "gado".

mparaujo
Nestes dias "pós-Natal" não é o par de meias com igual padrão ao do natal de 2015 com que a tia-avó nos prendou mais uma vez... não são as boxers que temos que trocar porque o perímetro aumentou e de "L" passámos a "XL" sem avisar a família... nem é o terceiro livro da Cristina Ferreira ou do José Rodrigues dos Santos que recebemos e que envergonhadamente lá vamos trocar à Bertrand ou ao Continente. Nestes dias "pós-Natal" não é a dieta forçada a que nos vemos obrigado, (...)
24.Dez.16

Notas Dominicais... (2)

mparaujo
Antecipando o domingo para hoje, já que o Natal também se antecipa para esta noite de 24, importa dar nota que o melhor desta quadra natalícia é, por uma vez no ano, recordar a milésima audição das músicas de Natal da Mariah Carey e dos Wham. Mas melhor ainda é enésima audição do Coro de Santo Amaro de Oeiras. E portantooooo.... A TODOS UM BOM NATAAAALLLL...
21.Dez.16

Não sabe a Natal…

mparaujo
publicado na edição de hoje, 21 de dezembro, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Não sabe a Natal… O calendário não deixa dúvidas, seja para crentes ou para não crentes, seja na esfera religiosa ou na esfera pagã ou laica, seja junto a um presépio ou junto a uma árvore de Natal, seja a contemplar o Menino ou à espera que alguém desça pela chaminé, a verdade é que estamos no Natal. A questão é: mas que Natal? Por força da condição humana esta época é, por si (...)
23.Dez.15

Um Natal bem pobre

mparaujo
publicado na edição de hoje, 23 de dezembro, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Um Natal bem pobre Chegados a dezembro e ao período natalício, paralelamente à azáfama consumista do Natal, existe nesta época um significativo aumento de causas solidários e de apelos para o envolvimento dos cidadãos com as mesmas. Infelizmente, há, por (...)
15.Dez.14

Muito para além dos números

mparaujo
publicado na edição de ontem, 14 de dezembro, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Muito para além dos números Eis-nos entrados no mês de dezembro. Não é só o frio que impera, o Natal que se aproxima, o fim de mais um ano. É também o mês da proliferação (excessiva, diga-se) dos jantares de natal; os dos amigos e os das empresas. Há também os jantares promovidos por muitas associações e instituições que aproveitam estes eventos para associarem aos mesmos algumas (...)
26.Dez.13

Ainda é Natal…

mparaujo
Publicado na edição de hoje, 26 de dezembro, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Ainda é Natal… Tal como o ditado popular afirma que “até ao lavar dos cestos é vindima”, até aos Reis será Natal. Escrever o que quer que seja nesta altura do ano ou soa a demasiado “dejá vú”, a que se adicionam um conjunto de frases feitas e conceitos repetitivos, ou então será algo que sai completamente fora do contexto. No fundo, “preso por ter e por não ter”. Mas que seja. H (...)
23.Dez.12

Não é só o burro e a vaca...

mparaujo
Publicado na edição de hoje, 23 de dezembro, do Diário de Aveiro. Entre a Proa e a Ré Não é só o burro e a vaca… Decididamente, este Natal de 2012, para a maioria dos portugueses (uma larga maioria) não vai ser o mesmo. E não apenas por se questionar se o “burrinho” e a “vaquinha” fazem, ou não, parte do presépio. Como se as renas, os duendes e as chaminés deixassem de fazer parte do Pai Natal. Ciclicamente, todos os anos as referências a esta época tornam-se (...)
24.Dez.11

Boas Festas

mparaujo
Votos de um Feliz Natal a todos os que, teimosamente, ainda se dão ao "trabalho" de bater a esta  porta. A todos muito obrigado e que o Pai Natal seja generoso... Que o espírito natalício nos torne corajosos e criativos para superarmos, colectivamente (como uma família), as dificuldades que vão surgir (e serão muitas).
18.Dez.11

Um Natal mais frio...

mparaujo
Publicado na edição de hoje, 18 Dezembro, do Diário de Aveiro Entre a Proa e a Ré Um Natal mais frio. Independentemente de crenças ou religiosidades, nem que seja por uma questão de tradição (ou tradições), o Natal deveria ser um tempo de partilha, de solidariedade, de fraternidade… por mais que se queira evitar ou resistir (ou então nem por isso) o consumismo marca esta época do ano de forma acentuada, muitas vezes (...)
27.Nov.11

Aveiro Solidário... 2011

mparaujo
É certo que os tempos que correm não são animadores... de todo e antes pelo contrário. As medidas de austeridade, a crise financeira (e a de valores), o desemprego, as finanças familiares, os cortes nos subsídios e apoios sociais, vão trazer um Natal, um final de 2011 e um início de 2012 muito críticos para a maioria dos portugueses.Mas também é sabido (como (...)