Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

10.Jan.20

Sobre OE2020... curto e grosso

mparaujo
O Orçamento de Estado para o ano de 2020 entrou na sua fase de apresentação e discussão parlamentar com vista à sua (para já, garantida) aprovação na generalidade (globalidade). BE, PCP, Os Verdes, Livre, PAN, a chamada "liga das esquerdas", anunciaram o seu sentido de voto: Abstenção. António Costa e Mário Centeno, desde a primeira hora das abordagens ao OE2020,  apelidaram este Orçamento de continuidade (em função da anterior legislatura) e de esquerda. Face às criticas (...)
15.Dez.19

Não vale a pena negar... falta ética e coerência na política.

mparaujo
É mais que inquestionável que a ausência de ética na política e nos políticos tem sido determinante para a deterioração do seu nobre exercício e para o aumento do fosso da relação/ligação entre eleitor e eleito (basta olharmos para os diversos "casos de justiça" ou para a recente e urgente necessidade sentida pelo "poder político" em mitigar e combater a corrupção, por exemplo, por via jurídica). Seria extenso e fastidioso elencar os inúmeros exemplos que retratam esta (...)
08.Dez.19

Há populismo à esquerda? Definitivamente...

mparaujo
Populismo: substantivo masculino. 1. [Artes] (...) 2. [Política] Doutrina ou prática política que procura obter o apoio popular através de medidas que, aparentemente, são favoráveis às massas. Se substituirmos "medidas" por "discursos" obtemos o perfeito retrato do populismo e falaciosa demagogia do Bloco de Esquerda e do PCP em relação ao Orçamento de Estado 2020 (OE2020). E, desta forma, vira-se o feitiço contra o feiticeiro no que respeita à coerência entre o discurso, a (...)
10.Out.19

O rescaldo, após todos os rescaldos, das legislativas 2019

mparaujo
Muito resumidamente… breves notas sobre os resultados eleitorais do passado domingo e que, factualmente, irão permitir a António Costa e ao Partidos Socialista formar o 22.º Governo Constitucional da Terceira República Portuguesa. O PS ganhou as eleições, falhando, apesar disso, o objectivo mais que camuflado na campanha mas, óbvia e claramente, mais que desejado, sonhado e esperado: uma maioria absoluta.Ao contrário do que António Costa tem vindo a apregoar, os portugueses (...)
01.Mai.19

1.º de Maio 2019 - Para reflexão

mparaujo
(fonte da foto: arquivo RTP) Há 5 dias celebraram-se os 45 anos do 25 de Abril de 74. Hoje, de novo a referência a mais 45 anos... desta vez a relembrar a primeira celebração do 1.º de Maio ( de maio de 74). A CGTP-In junta milhares de trabalhadores em desfile em Lisboa, com a presença de Catarina Martins (BE) e Jerónimo Sousa (PCP). Já a UGT ruma ao norte, até Braga, e conta com a presença de Ana Catarina Mendes, secretária-geral adjunta do PS. Em ano eleitoral (legislativas (...)
06.Fev.19

Uma greve é propriedade de quem?

mparaujo
A governação de António Costa tem enfrentado uma realidade mais dura que a governação de Passos Coelho, no tempo da Troika, com uma clara insatisfação social patente no volume de pré-avisos e de greves concretizadas (apesar de menos greves gerais, o Governo do PS enfrentou um acréscimo considerável de greves sectoriais). Contexto que contrasta com a bandeira do Governo de que o país estaria, agora, bem melhor. Mas a verdade é que há mais vida para além do défice. E o país (...)
20.Jan.19

Da incompreensão...

mparaujo
Segunda a TVI: «A Câmara Municipal de Loures, liderada por Bernardino Soares, do PCP, contratou, por ajuste directo, o genro de Jerónimo de Sousa por valores acima do vencimento do próprio presidente do município". Segundo contas e segundo os documentos, foram, alegadamente, pagos 11.000 euros para mudar oito lâmpadas e dois casquilhos. Nada mas malicioso, infame, ignóbil, falso... a bem da verdade (nomeadamente, da "verdade jornalística") não são «11.000 euros por mudar oito (...)
04.Mar.18

Os ciúmes da política e os velhos do restelo perante o futuro

mparaujo
Não é "todos os dias" que na história da política portuguesa um líder de um partido é motivo de tanto "amor e ódio", de tanto "ciúme político". Mas a verdade é que Rui Rio, desde o anúncio da sua candidatura à liderança do PSD e consequente vitória para a presidência do partido, tem sido, em todo o universo político nacional, motivo das mais diversificadas manifestações (públicas e privadas/secretas) de ansiedade, apreensão, preocupação e receio político-partidário. No (...)
05.Nov.17

Só por cegueira ideológica

mparaujo
As ideologias são a forma política (e pode-se acrescentar... cultural) de, diferenciadamente, termos distintas concepções e olhares sobre o mundo e a construção da sociedade. Mas independentemente da diferenciação e da multiplicidade ideológicas há aspectos que são universais e estão muito para além dos pensamentos políticos: os direitos humanos universais. A dignidade e os direitos e garantias fundamentais não têm, nem podem ter, cor político-partidária ou qualquer (...)
08.Out.17

O impacto nacional das autárquicas

mparaujo
publicado na edição de hoje, 8 de outubro, no Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos O impacto nacional das autárquicas Por mais particularidades que queiramos encontrar nas eleições autárquicas há, forçosamente, uma leitura nacional (ou várias consoante os contextos). Não é só de hoje, da conjuntura actual, basta recordar, por exemplo, a demissão do então Primeiro-ministro António Guterres depois do desaire socialista nas eleições autárquicas de 2001. E por mais (...)
02.Out.17

Nota prévia pós-eleitoral

mparaujo
O assunto das eleições autárquicas 2017, panorama nacional, será tema a abordar no Debaixo dos Arcos na edição do próximo domingo do Diário de Aveiro (para quarta-feira a análise será outra). Mas há um aspecto relevante nas imensas afirmações proferidas por quem de direito e que merecem esta nota prévia. Há dois factos que são (...)
16.Set.17

Um presente envenenado...

mparaujo
Factos: a notícia que dá conta que a agência Standard & Poor's reviu o rating atribuído a Portugal atribuindo-lhe uma nova notação (BBB-) acima do chamado "lixo" é, objectivamente, uma excelente notícia para o país. Ponto. Podíamos ter ficado por aqui mas a verdade é que a política portuguesa, aliada ao particular momento eleitoral, teima em desvirtuar este importante marco para o crescimento do país e para o alívio da pressão externa sobre a nossa dívida. Após pouco (...)
03.Fev.17

Os preconceitos ideológicos e as incoerências políticas

mparaujo
Não foi preciso mais que uma ou duas semana de Trump na Sala Oval da Casa Branca, cerca de duas semanas à frente da administração norte-americana, para surgirem as mais veementes críticas ao seu desempenho ao leme dos destinos dos Estados Unidos da América e dos impactos na política e economia internacional. Uns porque sempre acharam Trump um claro erro de casting da democracia, outros porque, tendo ficado na dúvida ou querendo dar o benefício da dúvida, chegaram agora à (...)
05.Dez.16

A tradição já não é o que era...

mparaujo
(crédito da foto: Ana Baião, in Expresso online) Terminou ontem o XX Congresso do Partido Comunista Português, um dos, se não mesmo o mais atípico da história congressista dos comunistas. Não que a sua estruturação, a sua organização, tenham trazido algo de novo ou de diferente. A diferença residiu no conteúdo e não na forma. (...)
27.Nov.16

Nem torceu, nem quebrou

mparaujo
publicado na edição de hoje, 27 de novembro, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Nem torceu, nem quebrou Importa referenciar dois factos da realidade política para enquadrar a reflexão que se adopta. Primeiro, regista-se, nesta altura, o primeiro ano de governação do Partido Socialista, com o apoio parlamentar acordado (...)
26.Out.16

A encenação orçamental

mparaujo
publicado na edição de hoje, 26 de outubro, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos A encenação orçamental Comecemos pelas mais recentes notícias sobre o Orçamento do Estado para 2017 que se encontra para aprovação na Assembleia da República. As afirmações constam do relatório de análise ao OE2017 por parte da Unidade Técnica de (...)
25.Set.16

Os "nim's" da política... ou mais uma incoerência

mparaujo
Tem sido penosa toda a discussão em torno do hipotético imposto sobre património, desde o anúncio feito pela deputada Mariana Mortágua, passando pela inconsistência e incoerência da medida anunciada, pelos avanços e recursos, pelas críticas e pelo mau estar que gerou no PS e no Governo. Mas não se fica por aqui as incoerências do BE e do PCP/PEV (...)
15.Jun.16

Nem só as vacas voam

mparaujo
publicado na edição de hoje, 15 de junho, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Nem só as vacas voam Confesso que não me trouxe estranheza nenhuma a alegoria usada pelo Primeiro-ministro na apresentação da reforma do Programa Simplex quando usou a imagem da “vaca voadora”. É do senso comum o recurso a essa analogia, como a do “já (...)
14.Jun.16

da falta de memória política...

mparaujo
ou, se preferirmos, o que "hoje é verdade, amanhã será mentira". Em qualquer dos casos um questionável falta de memória, ou uma apurada memória selectiva, e uma considerável incoerência política. Passos Coelho, ainda nos primeiros meses do seu mandato legislativo (dezembro de 2011), aconselhou os portugueses desempregados com habilitações, (...)