Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

03.Mai.15

A justiça de pelourinho

mparaujo
publicado na edição de hoje, dia 3 de maio, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos A justiça de pelourinho Longe, bem longe felizmente, vão os tempos das condenações nas fogueiras ou das chicotadas nos pelourinhos. Absurdamente, em pleno século XXI, há quem, teimosamente, pretenda andar para trás e trazer de novo para a ribalta a (...)
10.Set.14

A Lei Megan à portuguesa

mparaujo
publicado na edição de hoje, 10 de setembro, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos A Lei Megan à portuguesa A Lei de Megan é a designação para as leis nos Estados Unidos que tornam públicas listas que contêm registos (vários) de cidadãos condenados por crimes sexuais. É pública a minha posição relativa a crimes que limitem ou violem dois dos principais direitos fundamentais: o maior de todos, a vida; e os que atentam contra a dignidade humana, qualquer que seja a sua (...)
26.Mar.13

A justiça de secretaria

mparaujo
  O processo "Casa Pia" está, definitivamente, adjectivado e referenciado como um marco na Justiça Portuguesa: pela sua complexidade, pela instituição envolvida (tutelada pelo Estado), pelos arguidos (os condenados ou não) envolvidos, pelo mediatismo jornalístico (com os vários erros que se cometeram). Nunca me expressei publicamente quanto à culpabilidade dos arguidos (...)
04.Set.11

Um ano após...

mparaujo
Passou um ano após o julgamento do processo "Casa Pia" com a condenação (apesar do recurso para a Relação) dos arguidos: Carlos Silvino (Bibi - funcionário da Casa Pia: condenado a 18 anos), Carlos Cruz (apresentador de televisão: condenado a sete anos), Ferreira Diniz (médico: condenado a (...)
01.Abr.10

Renovar! Ressuscitar!

mparaujo
Publicado na edição de hoje, 1 de Abril, do Diário de Aveiro. Cheira a Maresia! Renovar! Ressuscitar! Não é fácil abordar, de forma racional, um tema como o da pedofilia. Primeiro como pai, depois como ser humano e por fim por não conseguir entender as razões de tal acto e os verdadeiros e reais impactos nas vítimas. Como católico acrescem as dificuldades e tornam-se, verdadeiramente, incompreensíveis todos estes escândalos que, por mais que seja tentado clarificar, abalam a (...)
01.Dez.08

Um olhar...

mparaujo
Publicado na edição de quinta-feira, 27.11.08, do Diário de Aveiro. Sais Minerais Um olhar... (...)Qualquer crime que envolva crianças, seja qual for a sua dimensão ou tipologia, reveste-se de uma emotividade adicionada e de análises críticas mais acentuadas. Normalmente, vem-nos à imaginação a monstruosidade dos factos e a tentativa de percepção dos nossos actos na eventualidade dos crimes ocorrerem com aqueles que nos são próximos. E o nosso consciente não consegue (...)
01.Nov.07

Conjugação Verbal - Prometer.

mparaujo
Eu Prometo - Tu Prometes - Ele Promete - Nós Prometemos - Vós Prometeis - Eles Prometem. E raramente alguém cumpre! A Dra. Maria José Morgado voltou a prometer, na verdadeira acepção gramatical da língua. Depois de ter prometido um combate forte à corrupção e ao crime económico, só recordo o processo "Vale e Azevedo". Depois de ter prometido não descansar enquanto o processo "Apito Dourado" não tivesse um fim, quem teve um fim nesse processo foi a agora Coordenadora do DIAP. (...)
10.Out.07

Pela justiça e pelas crianças II - "Remake"

mparaujo
No seguimento do post anterior, é, independentemente de polémico e incoerente, um acto de coragem o que a ex-provedora da Casa Pia vem revelar, ou pelo meno já revelou nesta primeira parte da entrevista ao "Sol".Por outro lado, um grupo de funcionários da Casa Pia vem, no entanto, insurgir-se com as declarações de Catalina Pestana por as entenderem como (...)