Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

02.Ago.20

O perigo de se "assobiar para o lado"

o pior que a política pode ter são momentos de avestruz...

mparaujo
(créditos das fotos: Tiago Sousa Dias) É conhecido a expressão popular "fazer como a avestruz e enterrar a cabeça na areia" (fingindo não ver nada, alheando-se das adversidades... mesmo que tal afirmação não corresponda à realidade da sua natureza animal). Mas é esta a analogia e a alegoria populares. Na política, esta realidade é o pior dos seus mundos, criando um sentimento público de incoerência, de falta de responsabilidade e de ausência de identidade ou personalidade (...)
19.Jul.20

Reflexões da Semana...

conceito/ideia em destaque durante esta semana, no "Debaixo dos Arcos"

mparaujo
(de 19 a 25 de julho) Já dizia Francisco Sá Carneiro no Congresso do PPD em 1978. Os portugueses têm sempre correspondido em alturas de crise. As elites, as chamadas elites políticas, é que quase sempre os traíram, e nós estamos a ver mais uma vez que o Povo Português foi defraudado da sua boa-fé. tão actual...
28.Jun.20

O Estado a que isto chegou... 2 que fossem já seriam demasiados

Há diversas modalidades de Estado. O Estados Social, o Corporativo e o estado a que chegámos (Salgue

mparaujo
A propósito de uma pseudomanifestação, liderada pelo partido Chega que pretendeu afirmar que "Portugal não é Racista" e que teve lugar ontem (27 de junho), na Avenida da Liberdade e na Praça do Comércio, em Lisboa. Só me surge na memória um nome e uma imagem, mais que históricas, da nossa Liberdade: SALGUEIRO MAIA. (crédito da foto: Alfredo Cunha) Os números variam (nos registos e nas opiniões) entre uns 600 a 1.300 apoiantes na tal concentração de ontem. Há quem entenda (...)
20.Jun.20

Penálti Falhado...

o mesmo será dizer: bola ao lado com a baliza escancarada.

mparaujo
Relembro, antes de tudo: em março, todos nós batemos muitas palmas à janela e à varanda como reconhecimento pelo trabalho dos (todos) Profissionais da Saúde. Já na altura, mesmo com a vénia devida, lançava um... MAS! Continuando... Estava tudo a correr demasiado bem para não se desconfiar que, nos momentos mais importantes e cruciais, tínhamos que bater (...)
13.Mai.20

#poracasofoiideiaminha (02)

Presidencialismos e eleições presidenciais. Futurologia política.

mparaujo
Não sei se mais mas pelo menos ao mesmo nível que a polémica da injecção secreta de capital no Novo Banco por Mário Centeno (o agente 007 ministerial do governo), a agenda política mediática de hoje ficou marcada pela declaração de António Costa no apoio claro à recandidatura de Marcelo Rebelo de Sousa ao segundo mandato presidencial. O facto teve lugar na visita conjunta, hoje, à Autoeuropa, um dos grandes motores da economia nacional, mas que terá deixado Presidência da (...)
13.Mai.20

Da série... os inconseguimentos #05

Uma falha de comunicação ou Mário Centeno borrifou-se para António Costa?

mparaujo
De forma telegráfica... conta-se rápido: o Ministro das Finanças do XXI Governo Constitucional de Portugal, Mário Centeno, quer sair do Governo. Mais... Mário Centeno fez tudo para criar ou potenciar uma crise política governamental. Mas....... com o consentimento (e, porque não, apoio) do próprio Primeiro-ministro, António Costa, apesar de todos os disfarces e ilusionismos políticos. Por partes... Mário Centeno já tinha afirmado na Assembleia da República (há cerca de dois (...)
25.Abr.20

Não há liberdade... sem respeito pela memória/história

mparaujo
Já lá vão 46 anos desde a madrugada de 25 de abril de 1974... aproximamo-nos da meia década, o que, socialmente, leva a que a memória colectiva vá perdendo a sua referência histórica e social. Soube, pela história familiar, as marcas que a guerra colonial deixou. Soube, por vivência, que naquela quinta-feira do dia 25 de abril de 1974 não iria sair de casa para ir às aulas (até porque lá em casa já se sabia que "algo" iria acontecer entre 24 e 25 de abril). Sei, por muito (...)
19.Abr.20

Estava a tentar evitar... mas lá tenho que colocar o cravo ao peito.

Vem isto a propósito das cerimónias que assinalam o 46.º aniversário do "25 de Abril"

mparaujo
E diga-se de passagem... é a primeira vez que o faço (não sei se a última ou não, mas é a primeira). E diga-se ainda mais... principalmente para um fervoroso convicto do 25 de novembro (colocando-o no mesmo patamar que abril de 74, para que conste). Vem isto a propósito de petições e contra-petições "pró e contra" as cerimónias previstas e anunciadas para a Assembleia da República (AR) e que assinalam o 46.º aniversário do "25 de Abril". E vem igualmente a propósito de (...)
10.Fev.20

O dito pelo (não) dito... (8)

mparaujo
ou, de outra forma: "nem uma coisa, nem outra... antes pelo contrário". Desbloqueador de frases públicas. 1. As desculpas não se pedem... evitam-se. E no caso de figuras e funções públicas a expressão toma contornos ainda mais importantes. Lapsos, gafes, erros em situação de pressão, em directos, em contextos de perguntas e respostas ou informais, mesmo que criticáveis são compreensíveis. Mas em intervenções pensadas, reflectidas, programadas e contextualizadas (escritas ou (...)
09.Fev.20

Cinismo, demagogia e chauvinismo... vão (continuar) andar por aí.

mparaujo
Caiu o pano do Congresso Social-democrata. Rui Rio fechou o 38.º Congreso do PSD, em Viana do Castelo, com uma intervenção a lembrar a abertura da reunião magna social-democrata, na sexta-feira: com chave de ouro. Se em termos ideológicos, programáticos, políticos e oratórios o presidente do PSD foi bastante claro, credível, assertivo e estratégico, tal não significa um redundante "ouro sobre azul". Rui Rio perdeu o Conselho de Jurisdição para uma das vozes internas mais (...)
08.Fev.20

38.º Congresso do PSD: devia ter acabado na sua abertura

mparaujo
Dito de outra forma... eis a razão de eu e 53,2% dos militantes sociais-democratas termos votado em Rui Rio, nas directas de janeiro último. E este poder ser um dos melhores presidentes que o partido já teve (haja a oportunidade e tempo de o provar). E a razão é bem simples e muito clara... com Rui Rio, desde 2018 (e não apenas agora, em Viana do Castelo) o Partido tem vindo a reencontrar o seu posicionamento ideológico ao centro (perdido, pelo menos, nos seus últimos anos: (...)
07.Fev.20

A memória (história) na política é tramada. Obviamente... demita-se!

mparaujo
Focando apenas três casos como meros exemplos. Em junho de 1993, o então Ministro do Ambiente, Carlos Borrego, do Governo de Cavaco Silva, visitava a cidade de Braga. Nesse mesmo ano, entre abril e junho, a região de Évora vivia uma trágica realidade com a morte de 25 doentes que realizavam tratamento de hemodiálise, devido à contaminação por alumínio da água que abastecia o Hospital de Évora. Escuso-me, por uma questão de respeito, a relatar, textualmente, o "humor" usado (...)
31.Jan.20

Orgulhosamente sós... See you later!

mparaujo
O Brexit passou à história... segue-se o "day after". O Reino Unido deixa hoje, definitivamente, a União Europeia às 23h00 portuguesas e inglesas (fuso GMT) e às 24h00 da União Europeia. O Brexit pode, finalmente, abrir o champanhe, sem, no entanto, recordar que "a procissão ainda vai no adro" e que há muito ainda por discutir até ao final de 2020 (pelo menos). Para já, há duas questões incontornáveis? Quem perde mais com a saída do Reino de Sua Majestade da UE? O que (...)
29.Jan.20

Em política as palavras contam... e muito.

mparaujo
A proposta da (ainda) deputada do Livre na Assembleia da República, Joacine Katar Moreira, que prevê a devolução às antigas colónias portuguesas de património cultural e histórico que faz parte do acervo museológico nacional é, no mínimo, discutível e polémica. Mas isso não justifica, nem legitima, que, ao abrigo da impunidade parlamentar ou da suposta liberdade de expressão, se use uma retórica clara e inequivocamente xenófoba e racista. A ironia, ou, no caso, o completo (...)
12.Jan.20

O que é demais cheira mal... e já chateia.

mparaujo
Uma das principais virtudes de um verdadeiro líder é a sua elevação e grandeza nas vitórias e, igualmente, nas derrotas. Algo que o discurso de Luís Montenegro não teve na noite eleitoral de ontem. O que revela muito da sua ética política. Aliás, o que não se estranha desde o congresso de fevereiro de 2018. E, acredito, infelizmente, não irá parar por aqui. Independentemente das regras em vigor (que obrigam a uma, "escusada", segunda volta... que em nada irá beneficiar o (...)
10.Jan.20

Sobre OE2020... curto e grosso

mparaujo
O Orçamento de Estado para o ano de 2020 entrou na sua fase de apresentação e discussão parlamentar com vista à sua (para já, garantida) aprovação na generalidade (globalidade). BE, PCP, Os Verdes, Livre, PAN, a chamada "liga das esquerdas", anunciaram o seu sentido de voto: Abstenção. António Costa e Mário Centeno, desde a primeira hora das abordagens ao OE2020,  apelidaram este Orçamento de continuidade (em função da anterior legislatura) e de esquerda. Face às criticas (...)
04.Jan.20

O Dia das Mentiras (1 de abril) calhou a 4 de janeiro de 2020

mparaujo
(créditos da foto: Estela Silva / LUSA) Por tradição (mesmo que sem nexo aparente) o dia 1 de abril, considerado o 'dia das mentiras', é a altura do ano onde cabe o engodo com base numa inocente partida, mentira ou piada. O Bloco de Esquerda conseguiu quase tudo isso antecipando o dia 1 de abril para hoje (4 de janeiro). A piada, à qual podemos juntar a demagogia populista (há quase tudo de tão populista no discurso político e nas opções política do BE como no perigoso (...)
15.Dez.19

Não vale a pena negar... falta ética e coerência na política.

mparaujo
É mais que inquestionável que a ausência de ética na política e nos políticos tem sido determinante para a deterioração do seu nobre exercício e para o aumento do fosso da relação/ligação entre eleitor e eleito (basta olharmos para os diversos "casos de justiça" ou para a recente e urgente necessidade sentida pelo "poder político" em mitigar e combater a corrupção, por exemplo, por via jurídica). Seria extenso e fastidioso elencar os inúmeros exemplos que retratam esta (...)
08.Dez.19

Há populismo à esquerda? Definitivamente...

mparaujo
Populismo: substantivo masculino. 1. [Artes] (...) 2. [Política] Doutrina ou prática política que procura obter o apoio popular através de medidas que, aparentemente, são favoráveis às massas. Se substituirmos "medidas" por "discursos" obtemos o perfeito retrato do populismo e falaciosa demagogia do Bloco de Esquerda e do PCP em relação ao Orçamento de Estado 2020 (OE2020). E, desta forma, vira-se o feitiço contra o feiticeiro no que respeita à coerência entre o discurso, a (...)