Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

02.Ago.20

O perigo de se "assobiar para o lado"

o pior que a política pode ter são momentos de avestruz...

mparaujo
(créditos das fotos: Tiago Sousa Dias) É conhecido a expressão popular "fazer como a avestruz e enterrar a cabeça na areia" (fingindo não ver nada, alheando-se das adversidades... mesmo que tal afirmação não corresponda à realidade da sua natureza animal). Mas é esta a analogia e a alegoria populares. Na política, esta realidade é o pior dos seus mundos, criando um sentimento público de incoerência, de falta de responsabilidade e de ausência de identidade ou personalidade (...)
19.Jul.20

Mais que um símbolo... uma referência que o Mundo perde

a luta, constante, pela Defesa dos Direitos Humanos ficou mais pobre

mparaujo
A responsabilidade cabe a cada um de nós: os Direitos Humanos são universais, são o valor colectivo mais precioso que a humanidade possui. Limitá-los, significa menosprezar e desvalorizar o "outro", desprezar o valor da dignidade humana. Indiferença e alheamento é o espelho da incapacidade de sairmos da nossa "bolha" de conforto social. As causas e o quotidiano social produzem, historicamente, símbolos. Pessoalmente, aos símbolos prefiro acrescentar as Referências... aqueles que (...)
28.Jun.20

O Estado a que isto chegou... 2 que fossem já seriam demasiados

Há diversas modalidades de Estado. O Estados Social, o Corporativo e o estado a que chegámos (Salgue

mparaujo
A propósito de uma pseudomanifestação, liderada pelo partido Chega que pretendeu afirmar que "Portugal não é Racista" e que teve lugar ontem (27 de junho), na Avenida da Liberdade e na Praça do Comércio, em Lisboa. Só me surge na memória um nome e uma imagem, mais que históricas, da nossa Liberdade: SALGUEIRO MAIA. (crédito da foto: Alfredo Cunha) Os números variam (nos registos e nas opiniões) entre uns 600 a 1.300 apoiantes na tal concentração de ontem. Há quem entenda (...)
14.Jun.20

Statues Matter... ou como "A História Nunca pode ser Travada".

Vemos, Ouvimos e Lemos... não podemos ignorar.

mparaujo
(créditos da foto: Nuno Fox, Expresso) Se há momentos em que Sophia de Mello Breyner Andresen ganha um dimensão ainda maior do que a (merecidamente) tem, esses momentos são os de agora, os dos últimos acontecimentos e dias. Ressoam na memória partes do poema "Vemos, Ouvimos e Lemos" (penso que de janeiro de 1969), bem como uma "velha frase batida", com pelo menos 36 anos: «a história nunca pode ser travada" (MCE - Movimento Católico de Estudantes). Vemos, ouvimos e lemos Não (...)
07.Jun.20

A propósito do racismo, entre outros

ser intolerante com a tolerância. Um texto contra o racismo e por um jornalismo com identidade.

mparaujo
Desde o final da semana passa e durante todos estes primeiros dias de junho, a morte do afro-americano George Floyd relegou para segundo plano a "cansável COVID-19". A agenda pública trouxe, infelizmente pelos piores motivos, a questão do racismo, alargado à xenofobia, à homofobia, à igualdade de género, aos migrantes e refugiados. Das várias leituras sobre a questão, há três contextos que me mereceram particular atenção: a existência (sempre houve) de racismo e xenofobia em (...)
16.Fev.20

As dúvidas sobre um país hipocritamente racista

mparaujo
Já há alguns anos que tenho como certeza pessoal que o futebol é uma realidade e um contexto no qual a vertente desportiva é apenas residual: é um meandro obscuro, tenebroso, impune, tormentoso, lamacento e pantanoso, acima da lei e da sociedade. Mas infelizmente, não é propriamente sobre um jogo, 11 contra 11, um penálti que não foi marcado, um golo que foi anulado. É sobre o reflexo de uma sociedade espelhada num lamentável e condenável episódio que ocorreu no jogo Vitória (...)
29.Jan.20

Em política as palavras contam... e muito.

mparaujo
A proposta da (ainda) deputada do Livre na Assembleia da República, Joacine Katar Moreira, que prevê a devolução às antigas colónias portuguesas de património cultural e histórico que faz parte do acervo museológico nacional é, no mínimo, discutível e polémica. Mas isso não justifica, nem legitima, que, ao abrigo da impunidade parlamentar ou da suposta liberdade de expressão, se use uma retórica clara e inequivocamente xenófoba e racista. A ironia, ou, no caso, o completo (...)
08.Ago.19

Mr. President Donald Trump... as palavras contam (e muito...)

mparaujo
Os factos... Numa semana os Estados Unidos assistiram a três massacres, dois dos quais no último fim de semana (sábado e domingo) em apenas pouco mais de 12 horas: 29 de julho | Festival de gastronomia de Gilroy na Califórnia, a sul de San Francisco. 4 pessoas, incluindo um rapaz de 6 anos, foram mortas por um atirador de 19 anos.2 de agosto | Supermercado Walmart, em El Paso (Texas). 22 mortos e 26 feridos provocados por um jovem atirador de 21 anos, residente em Allen, perto de Dallas. (...)
26.Set.17

Nota breve sobre a Alemanha

mparaujo
Já há algum tempo muita gente percebeu que a diabolização da Alemanha, da Chanceler Angela Merkel e do Banco Central Europeu (que tanto nos tem ajudado na dívida) perdeu qualquer sentido. Daí que muitos dos europeus estavam esperançados e crentes na vitória do CDU/CSU de Merkel nas recentes legislativas alemãs e poucos seriam os que acreditariam que Martin Schulz, do SPD, conseguisse alcançar as "boas graças" aquando da sua eleição para Presidente do Parlamento Europeu. É um (...)
26.Jul.17

das Liberdades...

mparaujo
publicado na edição de hoje, 26 de julho, do Diário de Aveiro Debaixo dos Arcos das Liberdades A agenda dos últimos dias tem sido marcada pelo claro e notório confronto de ideias e opiniões, sejam elas de âmbito social ou político, tornadas conhecidas por força do papel e da missão da comunicação social. A par das discussões, mais ou menos públicas, mais ou menos mediáticas, surge sempre a argumentação da Liberdade. As afirmações pouco gentis de Gentil Martins O (...)
18.Jul.17

Que tiro no pé, PSD! Que tiro...

mparaujo
Um grande partido (como o PSD social-democrata já o foi) vê-se também e principalmente em situações de crise e na forma como consegue posicionar-se, marcar a diferença, ter sentido crítico e de Estado e, nomeadamente, na capacidade para cometer o mínimo de erros possíveis ou, até, também se possível, não cometer nenhum (o que é sempre preferível, como é óbvio). Numa fase em que PS e Governo, o seu apoio parlamentar, vivem momentos de alguma agitação e inquietação (...)
17.Jun.17

das indignações...

mparaujo
O Eurodeputado (MEP) socialista Manuel dos Santos referiu-se à deputada socialista na Assembleia da República, Luísa Salgueiro, como "a cigana", entre outros "mimos". Tudo a propósito da anunciada candidatura de Lisboa a sede da Agência Europeia do Medicamento e toda a polémica que tem envolvido esta opção do Governo de António Costa, acusado de centralista. Duas notas prévias que têm apenas relação com a opção governativa. Primeiro, a total amnésia parlamentar, muito por (...)
23.Nov.16

Efeito sistémico na Europa

mparaujo
publicado na edição de hoje, 23 de novembro, do Diário de Aveiro. Debaixo dos Arcos Efeito sistémico na Europa A Europa viverá ainda no final deste ano e particularmente em 2017 uma pressão eleitoral significativa, massiva, com resultados imprevisíveis mas que reservam, desde já, alguma inquietação e desassossego quanto ao futuro da União Europeia tal (...)
07.Mai.15

Não desvalorizem o ridículo...

mparaujo
Tendemos com demasiada facilidade a desvalorizar o ridículo e a menosprezar convicções extremistas. Mas a verdade é que, cada vez mais, vão surgindo e vingando na sociedade (e na política) posições extremistas e fundamentalistas, que, essencialmente, atentam à dignidade humana e ao inquestionável direito à diferença. Mais ainda, vão ganhando (...)
28.Jan.13

Está dito… infelizmente.

mparaujo
(créditos da foto: Nuno Fox - jornal Expresso) No sábado passado, dia 26, a CGTP aliou-se à FENPROF na manifestação que concentrou cerca de 30 mil professores em Lisboa. A CGTP contou com a presença do seu secretário-geral, Arménio Carlos. Quem já passou por manifestações e/ou pelo sindicalismo, mesmo o local, sabe que o fervor do momento, a necessidade de criar (...)
22.Mar.07

Individualismos...

mparaujo
Publicado na edição do Diário de Aveiro de 22.03.07 Post-its e Retratos Olhar os outros… Há situações que, para o nosso dia-a-dia, são apenas realidade em filmes ou em sociedades distantes e complexas, em grandes centros urbanos (como nos Estados Unidos ou até mesmo em Lisboa). Ou quando os meios de comunicação nos trazem imagens da vida. Aquela que é mesmo vivida e sentida nas mais pequenas coisas do dia-a-dia. Como andar de transporte público, pedir esmola no metro, ser (...)