Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

02.Ago.20

O perigo de se "assobiar para o lado"

o pior que a política pode ter são momentos de avestruz...

mparaujo
(créditos das fotos: Tiago Sousa Dias) É conhecido a expressão popular "fazer como a avestruz e enterrar a cabeça na areia" (fingindo não ver nada, alheando-se das adversidades... mesmo que tal afirmação não corresponda à realidade da sua natureza animal). Mas é esta a analogia e a alegoria populares. Na política, esta realidade é o pior dos seus mundos, criando um sentimento público de incoerência, de falta de responsabilidade e de ausência de identidade ou personalidade (...)
21.Jun.20

Vale a pena pensar nisto #07

Refugees lives matter... Dia Mundial do Refugiado. pessoas iguais a nós

mparaujo
(fonte da imagem: ACNUR/ONU) Há uma péssima "tradição" na sociedade portuguesa de argumentar contextos e realidades longínquas (violência, racismo e xenofobia, pobreza, migração, guerra, fome, direitos humanos) com dois infelizes e dispensáveis argumentos: "isso é lá longe, no país (terra) deles" ou, ainda, "preocupem-se é com as pessoas de cá". Mas mesmo em situações "à nossa porta", temos reacções semelhantes: fechamos os olhos à pobreza (lá damos um quilo de arroz (...)
15.Jun.20

Todas as vidas contam...

nomeadamente, as 'vidas' vítimas de violência.

mparaujo
Um dos méritos do movimento "Black Lives Matter", para além de (principalmente) dar voz à realidade do racismo, foi trazer à consciência social várias problemáticas que reflectem a necessidade do combate a todas as circunstâncias que coloquem em causa a dignidade humana. Daí que, sem qualquer pretensão de menorizar o movimento inicialmente norte-americano, da expressão "black lives matter" (e contam mesmo (...)
04.Abr.20

Quando a idade é mais que um "posto"... é uma lição de vida.

mparaujo
Habituei-me, desde muito cedo (até por razões familiares), a olhar para Ramalho Eanes de várias perspectivas: - o (quase marechal... patente recusada pelo próprio) General, então Tenente-coronel, como um dos rostos da conquista da democracia no 25 de novembro de 1975, após um primeiro impulso e percursor trabalho do denominado "Grupo dos Nove" (Melo Antunes, Vasco Lourenço, Pedro de Pezarat Correia, Manuel Franco Charais, Canto e Castro, Costa Neves, Rodrigo Sousa e Castro, Vítor (...)
18.Mar.20

Não é verdade, Sr. Presidente. Não é verdade...

mparaujo
Já não é a primeira vez, antes pelo contrário, que o Presidente da República refere, publicamente, que os portugueses têm demonstrado um enorme sentido cívico e de cidadania, nestes difíceis e complexos tempos virais. Sr. Presidente da República... Não, não têm. Infelizmente. Se assim fosse, retribuo com uma questão simples: Então para quê o Estado de Emergência a partir das 00h00 de hoje? Se há contexto que espelha, claramente, a falta de respeito colectivo e a ausência (...)
15.Mar.20

Também eu Aplaudo (e venero e respeito). MAS...

mparaujo
Vamos por partes que o caso tem contornos distintos, mesmo que relacionados. Por norma, salvo raríssimas excepções (felizmente), os portugueses têm uma capacidade solidária enorme. Gigantesca, mesmo. Seja em iniciativas próprias, seja por correntes internacionais. Ao caso, refiro-me à iniciativa que gerou a salva de palmas colectiva (ontem, às 22h00) de agradecimento aos profissionais de saúde pelo HERÓICO esforço que têm realizado no combate à COVID-19. Exaustos, sem muitas (...)
11.Mar.20

Pior que o COVID-19 só mesmo a histeria humana

mparaujo
A paranóia, a histeria e o alarmismo juntam-se à falta de civismo, à falta de lucidez, à ausência de sentido comunitário e colectivo... e temos a figura típica de grande parte dos portugueses em momentos de crise ou de pressão. Tudo o que não se devia fazer ou deveria acontecer nestes importantes e críticos momentos. Mas a ganância e a precipitação lusa está no sangue e gene de muitos dos portugueses. Porquê esta corrida às prateleiras dos super e hipermercados? O que é (...)
16.Fev.20

As dúvidas sobre um país hipocritamente racista

mparaujo
Já há alguns anos que tenho como certeza pessoal que o futebol é uma realidade e um contexto no qual a vertente desportiva é apenas residual: é um meandro obscuro, tenebroso, impune, tormentoso, lamacento e pantanoso, acima da lei e da sociedade. Mas infelizmente, não é propriamente sobre um jogo, 11 contra 11, um penálti que não foi marcado, um golo que foi anulado. É sobre o reflexo de uma sociedade espelhada num lamentável e condenável episódio que ocorreu no jogo Vitória (...)
10.Fev.20

O dito pelo (não) dito... (8)

mparaujo
ou, de outra forma: "nem uma coisa, nem outra... antes pelo contrário". Desbloqueador de frases públicas. 1. As desculpas não se pedem... evitam-se. E no caso de figuras e funções públicas a expressão toma contornos ainda mais importantes. Lapsos, gafes, erros em situação de pressão, em directos, em contextos de perguntas e respostas ou informais, mesmo que criticáveis são compreensíveis. Mas em intervenções pensadas, reflectidas, programadas e contextualizadas (escritas ou (...)
07.Jan.20

Passar da(s) Palavra(s) aos actos...

mparaujo
Promovida, mais uma vez, pela Porto Editora, os portugueses escolheram a palavra do ano de 2019. Por si só, qualquer contexto de violência é condenável, criticável e deve ser denunciado. Têm vindo a público inúmeras realidades reprováveis: 900 casos de violência contra profissionais da saúde (normalmente, médicos e enfermeiros); praticamente todas as semanas há registo de casos com professores e auxiliares de educação; são mais que significativos os casos de violência (...)
25.Nov.19

Entre marido e mulher... mete a colher.

mparaujo
A ONU instituiu, em 1990, o dia 25 de novembro como o "Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres", em memória das irmãs Maribal (Minerva, Patria e María Teresa), activistas da República Dominicana, assassinadas em 1960 (a 25 de novembro). É indiscutível que as preocupações sociais, do garante e defesa das liberdades, dos direitos e garantias, devem ser permanentes e diárias. Mas não é menos verdade que o foco centrado na celebração de datas que (...)
03.Nov.19

A minha proposta é melhor que a tua... as vidas que se lixem.

mparaujo
Há um elefante no meio da sala que a muitos teimam não ver. O mundo está, hoje, numa perigosa escalada de instabilidade e conflitualidade social ou de contestações governativas. Veja-se o que se passa na América do Sul (Chile, Bolívia, Equador, Guatemala), no Médio Oriente (Líbano, Iraque, Iémen) ou em África (Etiópia, Argélia, Sudão, Burkina Faso, Somália, Ruanda, Zimbabwe, Líbia), na Ásia (Hong Kong). E, claro, o conflito internacional mais "mediático": Síria. Outra (...)
28.Jul.19

O dito pelo (não) dito... (7)

mparaujo
ou, de outra forma: "nem uma coisa, nem outra... antes pelo contrário". Desbloqueador de frases públicas. Ministra Marta Temido encabeça lista do PS pelo círculo de Coimbra. A ministra da Saúde, Marta Temido, vai encabeçar a lista socialista pelo círculo eleitoral de Coimbra nas próximas eleições legislativas, disse à agência Lusa a secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes. Fica apenas a questão: o PS abdicou de tentar ganhar em Coimbra?"Prender médicos só se for (...)
16.Jun.19

A antiguidade (já) não é um posto. Ontem foi dia de...

mparaujo
Esta era uma frase corrente, ao longo de várias décadas, por exemplo na Função Pública ou nas Forças Armadas, justificando as progressões na carreira, as diferenças salariais, as responsabilidades funcionais... se excluirmos o sentido jocoso ou a banalidade do seu emprego, a verdade é que a expressão continha algo de muito concreto: o respeito pela experiência e saber acumulados. Esta é, aliás, uma das diferenças colossais e abismais entre a cultura ocidental e a oriental, (...)
10.Jun.19

O dito pelo (não) dito... (6)

mparaujo
ou, de outra forma: "nem uma coisa, nem outra... antes pelo contrário". Desbloqueador de frases públicas. Numa primeira reacção à notícia divulgada pelo jornal Público que dava conta que Vítor Constâncio terá dado luz verde para que Joe Berardo pudesse levantar 350 milhões da Caixa Geral de Depósitos, o ex-Governador do Banco de Portugal afirmou, no twitter: "não tenho memória disso". Acrescentando ainda: "(...)nem de nada do género que tenha acontecido há 15 anos". Percebo (...)
08.Abr.19

O dito pelo (não) dito... (5)

mparaujo
ou, de outra forma: "nem uma coisa, nem outra... antes pelo contrário". Desbloqueador de frases públicas (as frases de 3 semanas ou alguns dias mais...). Assunção Cristas: «O CDS está mais uma vez um passo à frente com aprovação dos cabeças de lista às legislativas». (fonte: DN 07-04-2019) O CDS está é claramente fora do contexto (a pouco mais de 1 mês das eleições europeias) e fora do tempo (as legislativas são em outubro e ainda há pelo meio as regionais na Madeira).An (...)
05.Mar.19

O dito pelo (não) dito... (4)

mparaujo
ou, de outra forma: "nem uma coisa, nem outra... antes pelo contrário". Desbloqueador de frases públicas (as frases da semana e alguns dias mais...). Nota prévia... O Bloco de Esquerda comemorou, no dia 1 de março, 20 anos de existência. PSR, ex MDP/CDE (Política XXI) e UDP, juntando quatro mentores (Francisco Louçã, Miguel Portas, Fernando Rosas e Luís Fazenda, formaram o novo partido "à esquerdas das esquerdas" que agregou vontades e conceitos. Diga-se com três (...)
02.Fev.19

O dito pelo (não) dito... (3)

mparaujo
ou, de outra forma: "nem uma coisa, nem outra... antes pelo contrário". Desbloqueador de frases públicas (as frases da semana). “Deus quis que Donald Trump fosse presidente”, garante Sarah Huckabee Sanders (responsável pela gestão da Imprensa na Casa Branca). É por estas (não) por outras que cresce o número de descrentes e ateus. Como crente, acho que Deus tem muito mais trabalho e que fazer do que eleger presidentes evangélicos.PCP aponta promiscuidade político-económica (...)
19.Jan.19

O dito pelo (não) dito... (1)

mparaujo
ou, se preferirmos: "nem uma coisa, nem outra... antes pelo contrário". Desbloqueadores de frases públicas. Jerónimo de Sousa diz que sector público "faz melhor e mais barato" na saúde. Claro que faz, camarada presidente. Principalmente, "mais barato". Basta lembrar a precariedade e o valor salarial existente no SNS.Assunção Cristas: “O primeiro-ministro quer pintar o país de cor de rosa”. Oh senhora doutora! Claro que quer, é primeiro-ministro socialista (cor rosa). Se fosse (...)