Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

Debaixo dos Arcos

Espaço de encontro, tertúlia espontânea, diz-que-disse, fofoquice, críticas e louvores... É uma zona nobre de Aveiro, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre tudo e nada.

07.Jan.20

Passar da(s) Palavra(s) aos actos...

mparaujo
Promovida, mais uma vez, pela Porto Editora, os portugueses escolheram a palavra do ano de 2019. Por si só, qualquer contexto de violência é condenável, criticável e deve ser denunciado. Têm vindo a público inúmeras realidades reprováveis: 900 casos de violência contra profissionais da saúde (normalmente, médicos e enfermeiros); praticamente todas as semanas há registo de casos com professores e auxiliares de educação; são mais que significativos os casos de violência (...)
25.Nov.19

Entre marido e mulher... mete a colher.

mparaujo
A ONU instituiu, em 1990, o dia 25 de novembro como o "Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres", em memória das irmãs Maribal (Minerva, Patria e María Teresa), activistas da República Dominicana, assassinadas em 1960 (a 25 de novembro). É indiscutível que as preocupações sociais, do garante e defesa das liberdades, dos direitos e garantias, devem ser permanentes e diárias. Mas não é menos verdade que o foco centrado na celebração de datas que (...)
06.Jan.13

Sociedade menos Civil

mparaujo
Ainda a tempo... Escrevi aqui, em “Sociedade Civil RTP”, uma forte preocupação quando se perspectivou, em Março de 2012, um eventual fim do programa diário da RTP2, “Sociedade Civil”. Se é verdade que tudo tem um fim, nada é eterno, não tenho como sempre válida a máxima (...)
21.Jul.12

A vida também faz sorrir

mparaujo
Há alturas em que a vida é madrasta... por natureza ou porque não sabemos "cuidar" dela. Há alturas em que são mais os motivos de desânimo do que a vontade de rir, por mais optimistas e alegres que sejamos. Há alturas em que deixamos de acreditar face às decepções e ao rumo dos acontecimentos. Mas também há alturas em que alguém, um facto, um pequeno pormenor, uma grande notícia, um enorme gesto, nos fazem acreditar, sorrir, achar que valeu a pena sofrer, lutar e todos os (...)
04.Mar.12

Sociedade Civil RTP

mparaujo
É notório que a Comunicação Social vive um momento crítico: renovações de projectos e conteúdos mais mediáticos e mais perto das "necessidades" das audiências; redução de custos; adaptação às novas realidades da informação.Infelizmente, há o caso mais recente do Diário (...)