6 comentários:
a propósito
"Sexta às 9" - RTP, desta sexta-feira (24 janeiro)
http://www.rtp.pt/play/p1047/e141785/sexta-as-9-ii
mparaujo a 26 de Janeiro de 2014 às 17:03

Mais um inútil que chegou a DUX, a praxe é simplesmente um grupinho que gosta de mandar, antes de se mandar para o desemprego. Pena que não tenham estudado a força da natureza na escolinha
Anti a 24 de Janeiro de 2014 às 18:51

Não acho estranho só agora as pessoas falarem, então quem devia falar passados 40 dias, ainda não falou!!! As pessoas é que só agora se estão a ver confrontadas com a possibilidade de que aquilo que viram não foi normal, que aquilo que viram afinal tem história, que aquilo que viram é importante ...até há bem pouco tempo 6 jovens tinham morrido por uma onda gigante e agora se começa a saber, passados 40 dias que se calhar não foi bem assim...
Dina Teresa a 24 de Janeiro de 2014 às 16:23

O Dux é a hierarquia máxima que se pode atingir enquanto aluno participante nas praxes. Reza a tradição de que é soberano sobre todos os alunos da universidade que tiverem menos tempo de casa que ele, e por isso pode praxar mesmo quem anda trajado.
Você tem poucos conhecimentos sobre a vida académica. Fui praxada e diverti-me muito! Quando praxei fiz questão que os caloiros se divertissem, porque a ideia das praxes é ajuda na integração dos novos alunos.
Márcia a 24 de Janeiro de 2014 às 16:08

"(sendo esquisito que alunos trajados sejam praxados já que a mesma diz, por norma, respeito a alunos caloiros que não trajam, bem como, segundo rezam as informações, o facto de as vítimas pertencerem à Comissão de Praxe, logo não seriam praxados)"

Com todo o respeito, vindo de um estudante académico membro da praxe, que praxe frequentou? São poucas, ou nenhumas, as que conheço em que se deixa de ser praxado assim que se traja. Não se pode ser praxado em frente a elementos de hierarquias inferiores, mas devo dizer que já fui por várias vezes praxado trajado, assim como toda a gente das mais variadas academias que conheço pelo país fora. Se a sua intenção é esclarecer o público leigo à praxe, agradecia que o fizesse com dados verídicos, e não com "informação atirada a avulso".
Joao a 24 de Janeiro de 2014 às 14:48

João... não sei que idade tem, nem quando foi praxado.
Nem estou preocupado com as suas insinuações.
Digo-lhe apenas que não conhece Aveiro, nem foi praxado no mesmo sítio que eu e muito menos no mesmo local.
No meu tempo só eram praxados os caloiros que apenas trajavam após a semana do enterro (noutros locais a semana académica ou as queimas), no princípio de maio, já na parte final do primeiro ano lectivo. Estamos em Dezembro...
mparaujo a 25 de Janeiro de 2014 às 11:03